• in LADRÕES DE BICICLETAS

Descompromisso Portugal

Authors: in LADRÕES DE BICICLETAS

Aquela foi uma tentativa de criar um movimento musculado de direita liberal em Portugal, com forte pressão sobre o poder político, através de uma cobertura militante de certos órgãos de comunicação social, deve estar neste momento enraizada noutras paragens e noutros think-tanks.
Quando se procura "compromisso portugal", o que nos aparece é um outro ideário, um outro programa, que não deixa ser liberal, no sentido mais norte-americano do termo...

Leia original aqui

  • Criado em .

Authors: in O TORNADO

No dia 5 de Dezembro realizaram-se manifestações em El Aaiún e em Dakhla.

No bairro Awda em El Aaiún, após a intervenção das forças de ocupação contra os manifestantes, houve várias detenções entre as quais a de dois menores.

As manifestações dos desempregados em Dahkla também foram violentamente reprimidas e foram feitas várias detenções. Entre os detidos está o irmão de Hasana El Wali, preso politico que faleceu devido aos maus tratos, torturas e negligencia médica.

Aziz Aluahadi transferido de urgência para o hospital após 43 dias de Greve de Fome[1]

Aziz Aluahadi estudante saharaui e activista de direitos humanos aguarda julgamento há mais de 9 meses. O grupo de 14 estudantes presos políticos do qual faz parte foram detidos e torturados e exigem o direito a um julgamento justo. Os jovens foram detidos devido à sua participação em manifestações pacíficas exigindo o direito de autodeterminação do povo saharaui.

Ali Saadoni transferido para hospital[2]

Dia 5 de Dezembro o activista saharaui Ali Saadoni foi transferido de urgência da prisão negra de El Aaiun para o hospital da cidade. Saadoni foi sequesttado com os activistas Nouradin Elargoubi e Khaliehna Elfak, pelas autoridades marroquinas no passado dia 1 de Dezembro e torturados.

Artigos publicados no

Continuar a ler

  • Criado em .

Authors: in O TORNADO

Depois dos contributos para um balanço do XX Congresso do PCP, o autor recua no tempo

Recuo no tempo, heis-me em Junho passado a revisitar o Congresso do PS e detenho-me num painel temático, moderado por Nicolau Santos.

Avanço e, chegando a esta cena, estanco.
Alto, isto está um espanto.
Não pelo que disse o convidado, pois o que Pacheco Pereira disse não compromete o PS. Não diria o mesmo do que aconteceu em sala, aliás, na altura muito bem composta. Sigam o vídeo:

  • ao 5º minuto, aplauso;
  • ao 7º minuto, novo aplauso;
  • mais coisa menos coisa, ao 8º, ao 10º, ao 12º, 15º, 16º, aplausos;
  • após o 17º minuto, aplausos quase seguidos…

Ah, se os dirigentes do PS souberem, como eu, ouvir… (refiro-me às palmas e ao que elas sublinhavam, claro)