• vítor dias in "O Tempo das Cerejas"

Nunca aprenderão nada sobre Cuba

Chama-se a isto elegância
P.S.: Em estado de frenética ansiedade, aguardamos agora que, em próximo editorial, Diogo Queiroz de Andrade nos diga que as manifestações populares de dor nacional pela morte de Fidel ou foram trucagens televisivas ou então que cada cinco cubanos estaam acompanhados de perto por um polícia ou por um soldado.

Ver original em "O Tempo das Cerejas" (aqui)

  • Criado em .
Quando leio na comunicação social notícias que poem em causa a credibilidade de políticos questiono-me sobre se além dos nossos procuradores, também os jornalistas foram inoculados com uma vacina especial que os torna em sacerdotes livres de pecado. Parece que estes seres puros chamaram a si a tarefa de purificar a democracia, descobrindo que vem a bola com convites ou quem anda a receber gorjeta duas vezes.
A propósito da última grande descoberta do Expresso, veio-me à memória uma notícia em tempos abafada, dando conta que a EDP tinha convidado um rebanho de jornalistas para irem ver o Rock in Rio. Mas como se tratava de gente chunga, não podia ima ao Rock in Rio de Chela e jogar à lerpa num canto escondido do parque da Bela Vista, tiveram de ir a Las Vegas com tudo pago. Lembro-me muito bem de nesse tempo ler no Expresso artigos laudatórios da EDP e de Mexia.
Este tipo de casos repete-se na nossa comunicação social e explica porque motivo algumas personagens com quem quer ninguém quer agora ir à missa nas capelas privativas, andavam no passado com todas as partes luzidias graças às lambedelas do jornalismo. Quem não se lembra da ameça de Ricardo Salgado de deixar de dar de comer ao pessoal da Impresa, se continuassem as notícias sobre o mensalão? Pinto Balsemão ainda formulou a competente afirmação de independência, mas o assunto foi abafado ainda mais depressa do que o ataque químico ao espião russo.
Dantes não existiam escolas de jornalismo, os jornais eram...

Continuar a ler

  • Criado em .
Em homenagem aos camaradas Lúcio Lara e Jorge Silva, “Sapo”, heroicos combatentes das justas causas angolanas; as três fotografias em que aparece o camarada Lúcio Lara, foram tiradas pelo camarada “Sapo” num “longínquo” Primeiro de Maio, quando o MPLA era Partido do Trabalho e quando Angola era uma República Popular
1- Terminou a VIII Cimeira das Américas na capital do Peru, Lima, com um balanço que revela o ambiente de luta que sem tréguas move a humanidade naquela parte do planeta.
A VIII Cimeira correspondeu fundamentalmente aos estímulos das oligarquias americanas agenciadas pelos Estados Unidos, acirrando-se dialeticamente contra os sectores progressistas das Américas, numa autêntica corruptela de democracia e incapaz de elas próprias terem hipótese de se defender de todo o tipo de acusações de corrupção em que se debatem, protagonizam e elas mesmo tornam públicas.
A Venezuela Socialista e Bolivariana, dilecto alvo da corruptela ao sabor da hegemonia unipolar, não foi convidada e o seu processo democrático está a ser posto em causa por todas as cumplicidades e conivências vassalas, pois o seu modelo, com toda a legitimidade participativa e de dimensão popular, é um pavor para a “representatividade” apropriada e moldada ao jeito dos interesses do império da doutrina Monroe e suas agenciadas oligarquias, ainda que elas tantas contradições internas demonstrem sem limites acarretar.
Cuba esteve pela segunda vez consecutiva e...

Continuar a ler

  • Criado em .
O novo líder será o primeiro, desde a Revolução Cubana, com outro sobrenome e representando uma geração mais jovem do que aquela que pegou em armas para derrubar a ditadura de Fulgencio Batista (1952-1959) e desafiar os Estados Unidos (EUA), estabelecendo um regime socialista a 150 quilômetros de sua costa
A Assembleia Nacional de Cuba se reuniu nesta quarta-feira para escolher o próximo presidente da ilha caribenha que, nas últimas seis décadas, foi governada pelos irmãos Castro: Fidel, que morreu aos 90 anos, e Raúl, que prometeu se aposentar aos 86. O novo líder será o primeiro, desde a Revolução Cubana, com outro sobrenome e representando uma geração mais jovem do que aquela que pegou em armas para derrubar a ditadura de Fulgencio Batista (1952-1959) e desafiar os Estados Unidos (EUA), estabelecendo um regime socialista a 150 quilômetros de sua costa.
O novo presidente de Cuba assume em um momento delicado. A Venezuela, que fornece petróleo e sustentava o regime cubano; hoje enfrenta grave crise econômica, marcada pela hiperinflação, o desabastecimento e o isolamento internacional.
Com a mudança de governo em 2017, os Estados Unidos recuaram no processo de reaproximação; primeiro passo para o fim do bloqueio econômico; comercial e financeiro que continua impondo à ilha. O presidente norte-americano, Donald Trump, (eleito também com o voto dos cubanos; que imigraram para os EUA e que exigem a derrubada do comunismo na ilha); limitou viagens e...

Continuar a ler

  • Criado em .

O Programa de Estabilidade não vai a votos, mas há visões diferentes: CDS-PP e PSD querem voltar a ditar o caminho; BE pede «consolidação orçamental» com mais folga; PCP rejeita política de Bruxelas.

CréditosTiago Petinga / Agência Lusa

A discussão do Programa de Estabilidade e do Programa Nacional de Reformas na Assembleia da República está agendada para a próxima terça-feira, 24 de Abril, e em conjunto serão discutidos cinco projectos de resolução.

O CDS-PP, já se sabia, repete a dose de anos anteriores e quer rejeitar os documentos no Parlamento. Não porque não concorde com os constrangimentos impostos pela participação de Portugal na União Europeia e no euro que os documentos comportam, os quais, aliás, seguiram fielmente num passado bem recente. A intenção, mais ou menos declarada, seria derrubar o Governo ou, na ausência de apoio para tal, marcar terreno na disputa com o PSD.

Este ano o PSD também tem a sua proposta, com a designação de alternativa colocada logo no título. No entanto, o texto também não revela qualquer distanciamento face à ortodoxia em matéria de política orçamental que Bruxelas impõe aos estados-membros da União Europeia. Há palavras para a redução do...

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Francisco Seixas da Costa in "duas ou três coisas"

Tradutor

Um bom tradutor é como um bom árbitro de futebol: quando chegamos ao fim da obra não damos sequer pela sua existência. E, no entanto, uma boa tradução pode fazer toda a diferença, sendo que, por razões opostas, o contrário é igualmente verdade.
Ontem, juntamente com uma revista que adquiri, vinha uma “fatia” de um livro - nessa técnica de vendas que consiste em obrigar à fidelização, até completar a totalidade da obra. Não foi por isso que comprei a revista, nem costumo ler esses mini-volumes.
Excecionalmente, porém, deitei uma vista de olhos ao texto e logo me irritei: a obra está traduzida ”com os pés”, com expressões inadequadas. O que é típico numa má tradução, como é o caso desta, é que se consegue mesmo perceber, por detrás de alguns dos erros, o que estava escrito na língua original.

Ver original em "duas ou três coisas" (aqui)

  • Criado em .
  • Jornal Tornado in 'O TORNADO'

Levante do Gueto de Varsóvia completa 75 anos

f526f67e06.jpeg

Ontem foi o aniversário de 75 anos do Levante do Gueto de Varsóvia, um detalhe não pequeno da Shoá (Holocausto judaico pelos nazistas). Que importância pode ter nas narrativas históricas a chacina ocorrida num subúrbio na Polônia, em meio a um conflito que arrasou o continente e deixou marcas profundas em todo o mundo, e que causou 50 milhões de mortos?

Na história da Segunda Guerra Mundial, divisor de águas no século 20, a Shoá (Holocausto judaico pelos nazistas) não é detalhe pequeno. Mesmo no quadro dos doze anos de duração do regime nazista alemão, o genocídio que exterminou dois terços da população de 9 milhões de judeus europeus ocorreu num período curto, de apenas três anos, desde a decisão da Solução Final no castelo de Wansee.

Ontem foi o aniversário de 75 anos do Levante do Gueto de Varsóvia, por sua vez um detalhe não pequeno da Shoá. Que importância pode ter nas narrativas históricas a chacina ocorrida num subúrbio na Polônia, em meio a um conflito que arrasou o continente e deixou marcas profundas em todo o mundo, e que causou 50 milhões de mortos?

É óbvio que a frieza da linguagem dos números não se presta a representar a densidade do significado dos momentos e do sofrimento humano.

O Gueto de Varsóvia representa, no contexto do genocídio executado em escala industrial jamais conhecida antes, um momento épico da resistência judaica. Diante da total falta de alternativas, o espírito de luta pela dignidade tomou conta de algumas centenas de...

Continuar a ler

  • Criado em .
ab109d13ca.jpeg

Ao iniciar sua intervenção no Parlamento cubano, o general de Exército Raúl Castro agradeceu por ter sido o encarregado de encerrar uma “emotiva sessão da Assembleia Nacional”. No caso, sua última sessão como presidente, pois passou o cargo ao novo eleito, Miguel Díaz-Canel.

Raúl conheceu:

o trabalho das comissões eleitorais e de candidaturas que colaboraram para o bom desempenho das eleições. O 6º Congresso do Partido aprovou limitar ao máximo de dois períodos de cinco anos os cargos de maior relevância, e ainda que esta modificação não tenha sido introduzida na Constituição, desde que assumi meu segundo mandato, em 2 de fevereiro de 2013, expressei que este seria o último e que a partir de hoje Cuba teria um novo presidente”.

O general do Exército destacou perante os deputados a trajetória política de Miguel Díaz-Canel, a forma como ele foi ascendendo progressivamente e assumindo responsabilidades políticas tanto na UJC [a juventude comunista] quanto no Partido Comunista de Cuba.

Sobre a eleição de Díaz-Canel para presidente do Conselho de Estado e Ministros, Raúl insistiu que “não é casualidade, foi previsto”. E destacou que não há dúvidas sobre as virtudes, experiência e dedicação ao trabalho que o novo presidente demonstrou ao longo dos anos e por isso certamente “terá êxito absoluto na responsabilidade que o órgão máximo do poder de Estado lhe assegurou”.

Raúl anunciou também que o movimento lógico agora é em 2021 Díaz-Canel assumir também o...

Continuar a ler

  • Criado em .
951f372e3c.jpeg

Para manter o ex-presidente Lula como preso político em Curitiba, a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, sinalizou que não vai pautar em plenário a ação do PCdoB que pede liminar contra prisão de condenados antes do trânsito em julgado.

Segundo o jornalista Gerson Camarotti, indicação de Cármen veio depois que o ministro Marco Aurélio Mello pediu que seja feito pelo plenário da Corte o julgamento da ação declaratória de constitucionalidade (leia mais em «Marco Aurélio manda nova ação sobre 2ª instância para plenário do STF»).

Ao analisar o pedido, Marco Aurélio disse que há indicativo de que o entendimento firmado em 2016 pelo STF e que permite a prisão de réus após condenação em segunda instância poderá mudar em uma nova análise pelo plenário da Corte.

Alguns ministros demonstraram contrariedade quando informados da ação do PCdoB. Isso porque há um sentimento majoritário no STF de congelar esse debate por um período, depois de o tema ter sido debatido durante o julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula recentemente.

Texto original em português do BrasilExclusivo Editorial Brasil247 / Tornado

Receba regularmente a nossa newsletter

Contorne a censura subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.

<

Ver artigo original em "O TORNADO"

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Maria Ramos, no Porto in 'O TORNADO'

Mau humor

2028796a84.jpeg

Há pessoas que vivem de mau humor. De tal modo que já não sabem viver de outra forma. Não vivem. Golpeiam-se. E quem com eles tem de conviver, por força das situações e circunstâncias, é um tormento.

O azedume e a irritação se lhes colou assim, no dia a dia e na vida, na forma de agir e de se movimentar, que os danos de que se fazem portadores são de vária ordem e de incalculável prejuízo.

Desconhecem que o mau humor não modifica as suas vidas e as possíveis contrariedades. Outrossim, as agudiza, e com o passar do tempo, a perturbação, o desequilíbrio, e até mesmo a enfermidade se instalam, primeiro subtilmente, e com o passar do tempo, dando origem a patologias de vária ordem.

Vida alguma é livre de contratempos e de aflições. Não é com carranca, no entanto, que os contratempos ou as aflições são minimizadas ou solucionadas, contribuindo para o afastamento de muitos daqueles que com o seu concurso fraterno e de auxílio tão importante e fundamental são.

Nas horas das crises, importante a calma e o raciocínio lógico para que possamos deter a desesperação. E a serenidade será sempre a ferramenta que nos sustenta e sustentamos quem connosco vive ou convive. E a esperança. Sem ela, quase impossível viver.

Tenhamos presente que o destrambelhamento e a aspereza nunca ajudaram a ninguém.

A dor, toda ela, tem um princípio, meio e um fim. Chico Xavier, ao longo da sua vida, quando atravessava períodos de maior angústia e de vicissitudes várias...

Continuar a ler

  • Criado em .
Resultado de imagem para A CONDENAÇÃO DE LULA

Authors: in POLITEIA

FINALMENTE, AS PROVAS!

FIM DA LINHA PRA VOCÊ, EX-PRESIDENTE!

Fim da linha pra você, ex - presidente ladrão

mesmo sem provas

bato panelas

em prol da sua condenação

isso é pra você aprender

que o pobre não tem direito a mais que uma refeição

Fim da linha pra você, metalúrgico boçal

isso é pra você aprender

a nunca mais fazer assistência social

com meu dinheiro

e nem se atrever a transformar em engenheira

a filha do pedreiro

Fim da linha pra você ex presidente aleijado

não é pelo triplex

que você está sendo condenado

é pela sua ousadia

em ajudar o garçom

a virar advogado

em contribuir

pra ascensão do negro favelado

que agora acredita

que pode estudar medicina

sair da miséria

e até conhecer a Capela Sistina

Fim da linha pra você, ex presidente bandido

isso é pra você aprender

que o nordeste deve continuar a ser esquecido

e que saúde e educação

é pra quem pode

e não é que pra quem quer

Fim da linha pra você, semi analfabeto atrevido

graças a sua insensatez

o filho da faxineira

chamou o meu filho de amigo

você está sendo condenado

pela sua falta de noção

Continuar a ler

  • Criado em .

Na primeira intervenção como presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel assumiu a fidelidade ao legado de Fidel e Raúl Castro, e valorizou a unidade dos cubanos como a principal defesa da Revolução cubana.

CréditosAdalberto Roque/POOL / EPA

A Assembleia Nacional do Poder Popular (ANPP) de Cuba informou esta quinta-feira que o novo presidente da maior das Antilhas é Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez, de 57 anos, que tinha sido proposto para o cargo após a eleição dos membros que irão integrar o Conselho de Estado.

No seu primeiro discurso como chefe de Estado, Díaz-Canel destacou o papel do Partido Comunista de Cuba (PCC) como garantia da necessária unidade dos habitantes da ilha caribenha: «Para nós é absolutamente claro que só o PCC garante a unidade da nação e do seu povo», afirmou o Presidente do Conselho de Estado e de Ministros, para quem a unidade dos cubanos é a «força mais valiosa da Revolução», segundo informam o Cuba Debate e a Prensa Latina.

O novo mandatário cubano, até agora primeiro vice-presidente, garantiu a continuidade do processo revolucionário iniciado a 1 de Janeiro de 1959, tendo por base o apoio do povo, a fidelidade ao legado da geração histórica, em particular do seu líder, Fidel Castro (1926-2016), e de...

Continuar a ler

  • Criado em .

O ministro do Planeamento disse não conhecer casos de pessoas a viver em roulotes ou tendas após verem as suas habitações destruídas pelos incêndios de 2017, mas as denúncias são várias.

Bárbara, uma das vítimas dos incêndios de 2017, vive num armazém, enquanto a sua filha vive na rouloteCréditos / Maavim

O ministro Pedro Marques foi ouvido, na quarta-feira, no Parlamento, a pedido do PCP. Em resposta ao deputado comunista João Dias, que denunciou a situação, o governante disse não conhecer «um único» caso de pessoas a viver em tendas.

Ontem, o gabinete do ministro precisou à RTP que, afinal, conhece um caso, tratando-se de alguém que já vivia nessas condições antes dos incêndios. Mas a realidade que o Movimento Associativo de Apoio às Vítimas dos Incêndios de Midões (Maavim) denuncia é bem diferente.

Em comunicado, emitido ontem, o Maavim desmentiu Pedro Marques e concretizou ter identificado casos de pessoas a viver em habitações precárias (tendas, roulotes, garagens) nos concelhos de «Arganil, Oliveira do Hospital, Seia, Tábua».

As fotografias partilhadas pelo movimento, e que o PCP já fez chegar ao Governo através de um requerimento, comprovam as denúncias. A reportagem que é emitida esta noite pela televisão...

Continuar a ler

  • Criado em .

Cerca de 200 pessoas manifestaram-se esta quinta-feira, em Lisboa, numa concentração pela paz, mas também de repúdio contra a recente agressão ilegal dos EUA, França e Reino Unido sobre a Síria.

O fim das ingerências externas na Síria foi uma das reivindicações ouvidas no protestoCréditosNUNO FOX / LUSA

Quem passasse ontem pelo largo Luís de Camões, ao final da tarde, encontrava um cenário que provavelmente não estava à espera: uma quantidade anormal de pessoas de bandeiras ou placartas em mão a gritar palavras de ordem tais como «A paz é urgente, no médio oriente» ou «Fim à agressão! Mais guerra não».

O acto público «Pela Paz! Fim à agressão à Síria» – subscrito por 28 organizações – serviu para condenar a recente escalada bélica, com o recente ataque dos EUA, Reino Unido e França, realizado no passado dia 14, através do lançamento de mais de cem mísseis, e que contou com o expresso apoio da NATO, da União Europeia e de Israel.

Uma «agressão a um Estado soberano, em completo desrespeito pelos princípios da Carta das Nações Unidas e pelo direito internacional, e sob o pretexto de uma alegada utilização de armas químicas», realizado horas antes de os...

Continuar a ler

  • Criado em .
  • josé simões in "DER TERRORIST"

Economia quê?!

shark-frenzy-breeding-groupers-french-polynesia.jpeg

A Europa, do Estado social, deve subsidiar, via fundos europeus, aqueles que duplicam as funções do Estado no sector social, o Estado paralelo, ou que parasitam o Estado, em stanby à espera das directivas do Partido Popular Europeu, o "coração das trevas", reflectidas nas políticas implementadas pelos partidos membros nos respectivos governos, com vista a desmantelar o Estado social em favor dos interesses da "economia social".

"Espero que a Economia social veja reconhecido o seu papel e espero que um dia, não muito longínquo, a própria União Europeia venha a ter um programa próprio de apoio à Economia Social, ainda que ela seja entendida de forma distinta nos vários países"

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, defendeu esta quinta-feira que os fundos europeus do pós-2020 devem incluir um reforço do apoio para o setor e para as instituições da Economia Social.

[Imagem]

Ver original em "DER TERRORIST" (aqui)


  • Criado em .
Rombo de perto de R$ 1 bilhão nas contas públicas de governos tucanos compromete Geraldo Alckmin. Ele será o candidato do PSDB à Presidência da República.
O Tribunal de Justiça de São Paulo aceitou a denúncia e tornou réus a cúpula do PSDB paulista. Nos governos chefiados por Geraldo Alckmin e José Serra, o rombo nas contas públicas gira na casa de R$ 1 bilhão.
Com isso, se tornaram réus o secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Clodoaldo Pelissioni; o atual presidente do Metrô, Paulo Menezes de Figueiredo; o chefe de gabinete do prefeito Bruno Covas, Sérgio Avelleda, e quatro ex-presidentes do metrô.
Os integrantes da cúpula do PSDB são acusados pelo Ministério Público pela compra e abandono de trens novos que ficaram sem utilização enquanto a construção da Linha 5-Lilás não era concluída. O Ministério Público pede a devolução de R$ 799 milhões como forma de ressarcir os cofres públicos pelos prejuízos causados.
Clodoaldo Pelissioni ocupou a Presidência do metrô entre março e setembro de 2015, quando assumiu a Secretaria de Transportes. Na ocasião, secretário estadual de Transportes Metropolitanos era Jurandir Fernandes, que também denunciado pelo...

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Francisco Seixas da Costa in "duas ou três coisas"

Chama-se a isto Europa

Manuel Valls nasceu na Catalunha. Até aos 20 anos teve apenas nacionalidade espanhola. Naturalizou-se francês e, já nessa nova qualidade, chegou a primeiro ministro da França.
(Um parêntesis para notar que acho isto seria inviável em Portugal. Não somos ainda um país preparado para aceitar que alguém, nascido no estrangeiro e mantendo apenas essa nacionalidade externa até à fase adulta da sua vida, viesse a chegar à chefia de um governo entre nós. Não posso provar isto, mas sinto-o).
Agora surge a hipótese de Valls poder vir a candidatar-se à chefia da municipalidade de Barcelona. A Europa de que eu gosto é precisamente isto.

Ver original em "duas ou três coisas" (aqui)

  • Criado em .
  • Francisco Seixas da Costa in "duas ou três coisas"

Até onde irá Macron?

Há dias, o presidente francês, Emmanuel Macron, deu uma longa entrevista televisiva, por ocasião do primeiro aniversário da sua eleição. Contrariamente a uma prática comum a muitos dos seus antecessores, que tinham quase sempre à sua frente interlocutores respeitosos, quando não dóceis, Macron aceitou que as questões lhe fossem colocadas por dois jornalistas que ele sabia, à partida, que lhe iriam ser muito incómodos. E foram. O programa chegou a ter momentos tensos, com o presidente a manter uma notável frieza. Ele, contudo, correu o risco. E ganhou.
Recordaria que Macron é um presidente de circunstância. Na primeira volta das presidenciais de 2017 teve 18% dos votos, tendo sido eleito pela lógica “tudo menos Le Pen”, que alguma direita e suficiente esquerda seguiu no segundo turno. Se François Fillon não se tivesse enredado em nepotismos, seria hoje o presidente francês. Quero com isto dizer que Macron, à época da sua eleição, não correspondeu a nenhuma “vaga de fundo” que tivesse varrido a França, numa onda avassaladora de entusiasmo em torno de uma figura providencial.
E, no entanto, Macron é, nos dias de hoje, uma surpresa.
Ainda o estou a ver, numa sala do Eliseu, em meados de 2012, a informar os embaixadores da UE das prioridades de François Hollande no seu primeiro Conselho Europeu. Era então secretário-geral adjunto da Presidência. Apresentou tudo com grande rigor, respondeu a uma ou duas perguntas nossas com precisão e assertividade. À saída, o meu...

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Jornal Tornado in 'O TORNADO'

Erdogan antecipa eleições na Turquia

e867626677.jpeg

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou que as eleições presidenciais e legislativas que estavam previstas para novembro de 2019 vão ser antecipadas para 24 de junho deste ano, em resposta a uma proposta lançada pelo líder do Partido do Movimento Nacionalista (extrema-direita), e como forma de concentrar o poder em suas mãos.

Após as eleições, entrarão plenamente em vigor as alterações da Constituição aprovadas em referendo no ano passado – em uma consulta que não cumpriu os padrões democráticos. Estas alterações darão poderes executivos alargados ao presidente Erdogan, reduzindo bastante as funções do Governo e as competências fiscalizadoras do Parlamento. Permite ainda – teoricamente – que o Presidente possa se manter no cargo até 2029.

O governo de Erdogan é alvo de críticas da União Europeia e de organizações de direitos humanos, que o acusam de transformar a Turquia em uma autocracia, segundo informações da Folha de São Paulo.

“Ainda que o presidente e o governo estejam trabalhando em conjunto, somos confrontados com as doenças do velho sistema a cada passo”, afirmou Erdogan, num discurso transmitido pela televisão turca.

Os desenvolvimentos na Síria e em outros locais tornaram urgente a mudança para um novo sistema executivo para proteger o futuro do nosso país de uma maneira mais forte. Discutimos o apelo do senhor Bahçeli e concordamos em antecipar as eleições.”
Declarou o presidente.

As sondagens têm apontado para a queda do...

Continuar a ler

  • Criado em .
6e89632b3d.jpeg

O Brasil, que já virou piada no mundo por conta da nossa Justiça, que condenou um ex-presidente da República por um crime que não existe, voltou novamente a ser motivo de chacota, desta vez por conta da senadora gaúcha Ana Amélia, conhecida como “Ana do Relho”, que parece não saber a diferença entre a rede de TV Al Jazeera e a rede terrorista Al Qaeda, o que a teria levado a acusar a sua colega Gleisi Hoffman, presidente do PT, por ter concedido entrevista à televisão árabe, de pedir a ajuda dos terroristas do Estado Islâmico para salvar Lula.

E mais risível ainda: a Procuradoria Geral da República decidiu investigar a senadora petista com base na acusação da sua colega que, como disse o deputado Paulo Pimenta, confunde Al Jazeera com al fafa, al face, al môndega, al mofada e outros als por aí. E muitos se perguntam: terá sido mesmo burrice ou má fé? Será que alguém consegue levar a sério a senadora do relho e a PGR com esse tipo de iniciativa? A providência da PGR, talvez por falta do que fazer ou pela busca de holofotes, evidencia mais uma vez uma atuação política, além de absurdo e inexplicável ódio a Lula e ao PT.

Ao mesmo tempo, a juíza Carolina Lebbos, do Paraná, proibiu a visita a Lula, no cárcere da Policia Federal em Curitiba, do Prêmio Nobel da Paz, o argentino Adolfo Perez Esquivel, e do teólogo Leonardo Boff. Por que? Qual o fundamento jurídico para semelhante proibição. Que o ex-presidente é preso político, ninguém tem dúvidas, mas...

Continuar a ler

  • Criado em .
ab68900c32.jpeg

No documento, sindicato que representa 850 mil trabalhadores dos Estados Unidos e do Canadá reafirma a parceria de 40 anos com Lula.

O ex-presidente Lula recebeu na última segunda-feira 16 uma carta de apoio dos metalúrgicos da América do Norte, um sindicato que representa 850 mil trabalhadores dos Estados Unidos e do Canadá. O documento foi divulgado no site de Lula.

No documento, eles reafirmam a parceria de 40 anos com Lula e a confiança no compromisso do presidente com os trabalhadores de todo o mundo. Questionam também a falta de provas no processo e os riscos para a democracia brasileira, e demandam que Lula seja solto e possa concorrer nas eleições de 2018.

“Solidariedade para sempre!”, diz o texto.

Texto original em português do Brasil

Exclusivo Editorial Brasil247 / Tornado

Receba regularmente a nossa newsletter

Contorne a censura subscrevendo a Newsletter do Jornal Tornado. Oferecemos-lhe ângulos de visão e análise que não encontrará disponíveis na imprensa mainstream.


<

Ver artigo original em "O TORNADO"


  • Criado em .
  • Francisco Seixas da Costa in "duas ou três coisas"

Abafado

A expressão foi: “sinto-me abafado com esta paisagem!”. Foi há muitos anos, precisamente neste mesmo local. Estávamos por aqui com uns amigos e um deles, infelizmente já desaparecido, revelou-nos o que podia ser a reação natural de um “ser urbano” a um cenário imponente de montanhas. Lembro isto porque, ao aqui chegar, há pouco, foi essa frase insólita, que trazia gravada e me veio, de súbito, à memória. Gosto imenso de cidades, admito que talvez goste mesmo bastante mais de cidades do que “do campo”. Mas a majestade deste fantástico pedaço de Portugal nunca me “abafou”, bem antes pelo contrário. A esse amigo, sim, e eu até o posso perceber: um filho do asfalto, das esquinas e das avenidas do mundo, sedento do ruído, a ele por aqui ensurdecido pelo forte silêncio dos montes. Pelo contrário, a mim, hoje, esta vista, numa estupenda temperatura primaveril, deu-me um sopro tão grande de bem-estar que logo me fez encomendar um gin tónico, em copo alto, como prolegómeno líquido a um sólido cabrito que viria ao jantar. E que bom que estava o Evel 2014!

Ver original em "duas ou três coisas" (aqui)

  • Criado em .
bial
0Shares
00

A Bial inaugurou hoje a ampliação do seu centro de Investigação e Desenvolvimento (I&D), resultado de um investimento que mais que duplicou a área da empresa dedicada à investigação, passando de 1.490 para 3.720 metros quadrados. A farmacêutica portuguesa irá contratar mais cientistas durante este ano e no próximo, com a intenção de aumentar o número de investigadores que trabalham atualmente na empresa (104) para o dobro.

A empresa portuguesa, sediada no concelho da Trofa, é a que mais investe em inovação no nosso país, a uma média de 50 milhões de euros por ano. As exportações em 2017 representaram 70% do volume de negócios do grupo, um aumento expressivo quando comparado com 2010, ano em que apenas 30% da faturação da Bial era proveniente de mercados internacionais.

A Farmacêutica tem apostado nas áreas das neurociências e do sistema cardiovascular, com dois medicamentos no mercado global (um para o tratamento da epilepsia e outro para doentes de Parkinson) que já valeram 100 milhões dos 270 milhões de euros de faturação no ano passado, o que representou um crescimento de 17% em relação ao ano anterior.

Para dar vazão ritmo de crescimento da empresa, “a dois dígitos, nos próximos anos”, a Bial pretende também fazer outro investimento entre 2019 e 2021 nas áreas industrial e logística. “Estamos a chegar ao limite da nossa capacidade industrial. A nossa ambição é de, pelo menos, duplicar esta nossa capacidade, para durar uns 15 a 20...

Continuar a ler

  • Criado em .

- Plataforma Cascais no Facebook

LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
Contacto: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 

SSL Certificate
SSL Certificate

Para estar informado(a)

Registo para receber a informação da Plataforma Cascais

captcha