• Entrada
  • Artigos
  • Secções
  • Política de Saúde

Secção: Política de Saúde

 

O peso das escolhas orçamentais

Ladrões de Bicicletas (Vicente Ferreira) 21 Mar. 2020

O Financial Times de hoje discute a capacidade de resposta à pandemia no Reino Unido. Um dos problemas é o legado de décadas de restrição do investimento público na saúde.
 
?As políticas, assim como o financiamento reduzido, moldaram o serviço [NHS, o Serviço Nacional de Saúde britânico]. Durante décadas, cortou o número de camas hospitalares a um ritmo superior à maioria das restantes nações."
 

Um dos entrevistados no artigo lembra que o NHS tem operado "no fio da navalha" durante anos e que a sua capacidade é posta à prova todos os invernos devido aos surtos de gripe e outras doenças, sendo que "não é preciso muito para que o sistema enfrente dificuldades severas das quais tem cada vez mais dificuldade em recuperar".

Não é novidade que o Reino Unido tem atravessado um longo período de austeridade, marcado pela contenção da despesa pública e diminuição do peso do Estado. O NHS não escapou a esta tendência. Os últim...

Saúde, Reino Unido, Política de saúde



Coronavírus e a privatização do serviço de saude

Abril de Novo Magazine 19 Mar. 2020

Coronavírus :entre a privatização do serviço de saude e outras perversões capitalistas

 

 

La epidemia de Coronavirus pone de manifiesto la perversión del sistema capitalista (por si a alguien le faltaba alguna evidencia):


En el capitalismo, sistema orientado hacia la capitalización de riquezas en pocas manos en base a la explotación de las y los trabajadores y en base al saqueo de la naturaleza, sistema en el que la sanidad es percibida como una mercancía, la mortalidad de las epidemias se multiplica en función de la precariedad del acceso a la salud. En algunos países, como Estados Unidos, no hay sanidad pública, y los costes médicos son exorbitantes para los pacientes; por ejemplo los tests para Coronavirus cuestan más de 3000 dólares en EEUU para un paciente sin seguro privado (al menos 27.5 millones de personas están sin cobertura)[1].
 
En el capitalismo, en los países en los que todavía queda algo de sanidad...
Privatização, Política de saúde



Portugal | Bater palmas a quem luta pelo direito de todos à Saúde

Página Global 15 Mar. 2020

 
 
AbrilAbril | editorial | imagem: Josef Lee
 
A comunicação social, que tão prontamente registou a onda de solidariedade, deve optar por, na próxima greve, dar eco às justas reivindicações dos profissionais que sustentam este bem maior que é o SNS.
 
As imagens que chegaram de vários pontos do País dão-nos, na situação difícil que estamos a atravessar, algum contentamento. Ontem, às 22h, milhares de portugueses foram às suas varandas e janelas bater palmas aos profissionais de saúde, pela sua dedicação e espírito de missão que garantem os cuidados daqueles que estão doentes.
 
Provavelmente, mesmo aqueles que não foram às janelas pensaram que esta era uma justa homenagem. Estes são os que não podem ficar em casa de quarentena, que não se podem proteger e que vão estar no mais próximo contacto com aqueles que estarão infectados com o coronavírus.
 
Mas os direitos laborais destes profissionais de saúde têm...
Trabalho, Saúde, Política de saúde



Governo volta a falhar prazos para a construção do Hospital do Seixal

in AbrilAbril 11 Mar. 2020

A denúncia é da Câmara Municipal do Seixal, que esta quarta-feira aprovou uma tomada de posição a recordar que as reivindicações pela construção do hospital têm 20 anos.

CréditosTiago Petinga / Agência Lusa

A tomada de posição pelo direito dos munícipes a melhores condições de saúde, aprovada ontem, deve-se ao facto de o Governo ter falhado prazos no concurso de construção do Hospital no Seixal.

Citado numa nota da autarquia, o presidente Joaquim Santos lamenta que, «apesar de todos os estudos que provaram e fundamentaram a necessidade de construção do Hospital no Seixal», e do acordo estratégico assinado em 2009 com o Ministério da Saúde para a construção do Hospital, este ainda não seja uma realidade.

O autarca lembra que através do abaixo-assinado, com mais de oito mil assinaturas, foi possível ver aprovada (Dezembro de 2015) uma resolução da Assembleia da República no sentido da construção urgente deste equip...

Saúde, Política de saúde



BENDITO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE, por PAULA ALVES SILVA

joaompmachado in 'A Viagem dos Argonautas' 09 Mar. 2020

OBRIGADO À PAULA ALVES SILVA, REVISTA VISÃO E HÉLDER MATEUS DA COSTA

O Hélder Mateus da Costa distribuiu este texto que julgamos de interesse nacional, até para compreendermos melhor o mundo em que vivemos

 

Reenvio este texto para esclarecer alguns pessimistas sobre a diferença entre o Serviço Nacional de Saúde- Português e outros ? e os países os USA Trumpista e etc ? que o combatem .

É uma bela experiência e esta leitura até é gratuita

???- Forwarded message ???
De: Reinaldo Ribeiro
Date: segunda, 9/03/2020 à(s) 08:56
Subject: Fwd: Ida a uma urgência em hospital dos EUA
To:

 

 

Paula Alves Silva

Revista Visão

23.02.2020

Julgo que os relógios dos hospitais são diferentes dos restantes. Tem, penso, um compasso próprio. Mais pausado. Mais audível. Torna-se num relógio ainda mais lento quando estamos sentados durante dez horas numa cadeira da sala de urgências. Deixamos de saber se foi a doença que nos entorpece...

Saúde, Política de saúde



Portugal | As PPP e o PS: regresso ao passado?

Página Global 08 Mar. 2020

 
 
Voltar ao lançamento de PPP na Saúde e abrir caminho à exploração privada de urgências e de outros serviços é regressar ao passado. É ressuscitar a entrega do SNS aos privados que figurava na Lei de Bases do PSD e do CDS. Não foi esse o caminho que se fez na anterior legislatura.
 
Moisés Ferreira | Público | opinião
 
O Governo do PS parece estar cheio de pressa para anunciar o lançamento de novas parcerias público-privadas (PPP) na área da Saúde. Em pouco tempo anunciou as de Cascais e de Loures e a ministra da Saúde abriu a porta à entrega a privados das Urgências Pediátricas do Hospital Garcia de Orta.
 
A pressa destes anúncios contrasta com a lentidão do Governo a regulamentar a Lei de Bases da Saúde, em particular os aspetos sobre a gestão pública dos estabelecimentos do SNS.
 
Sabendo que as decisões que está a tomar sobre novas PPP entram em choque com a nova Lei de Bases, estará o Governo a...
Saúde, Política de saúde



PS, PSD e CDS-PP mantêm garrote da Lei dos Compromissos na Saúde

in AbrilAbril 05 Mar. 2020

Os três partidos recusaram a retirada das instituições do SNS do regime que restringe a sua autonomia e sufoca a prestação de cuidados de saúde.

CréditosMiguel A. Lopes / LUSA

Na votação, que contou ainda com a abstenção da IL, apenas BE, PCP e «Os Verdes» estiveram a favor das propostas que visavam extrair da esfera da Lei dos Compromissos, as instituições do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Na apresentação da sua iniciativa, a deputada do PCP, Paula Santos, lembrou que o recente surto de coronavírus é exemplo maior de como os serviços públicos de saúde não podem estar reféns de uma lei que prioriza critérios de natureza administrativa e financeira face àquilo que é a prestação de cuidados de saúde.

A proposta dos comunistas passa por excepcionar, no imediato, o SNS da Lei dos Compromissos. Paula Santos recordou que já foi criada uma excepção para as autarquias locais, entendendo assim que «não há nenhuma razão» para que não o seja ta...

Saúde, Política de saúde



Lei dos Compromissos continua a amarrar Saúde e outras funções sociais do Estado

in AbrilAbril 02 Fev. 2020

A interdição da compra de medicamentos por hospitais públicos, noticiada recentemente, decorre das imposições legais restritivas da autonomia dos serviços públicos, aprovadas em 2012 pelo governo de PSD e CDS-PP.

Créditos / Pixabay

Por força da chamada Lei dos Compromissos, sempre que uma entidade pública apresente dívidas que não possam vir a ser saldadas nos três meses seguintes, esta fica impedida de contratar novos bens e serviços, mesmo que façam falta à execução da sua missão.

Foi essa a situação que levou o Tribunal de Contas a recusar, entre 2017 e 2019, o visto a pelo menos 35 contratos para hospitais públicos que visavam a aquisição de medicamentos, alimentação, serviços de diálise e radiologia, tratamento de roupa, entre outros.

Em declarações à TSF, o presidente da Associação dos Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço, revelou que já pediu ao Governo a revisão desta lei, que é herança da troika: «a Lei dos Compromi...

Saúde, Política de saúde



Com este Orçamento vão manter-se o subfinanciamento do SNS e a sua enorme dívida, e as dificuldades dos portugueses no acesso à saúde

ODiario.info 29 Jan. 2020

Contrariamente ao que afirmou o governo (1º ministro e ministra da Saúde) o subfinanciamento crónico do SNS pelo OE vai continuar em 2020 assim como vai continuar a enorme divida do SNS a fornecedores privados. Vai manter-se a política de destruição do SNS em benefício dos lucros do negócio privado da saúde.
Eugénio Rosa
 
 

Ver o original em ODiario.info (clique aqui)

Saúde, Política de saúde



Subfinanciamento crónico do SNS continua

Eugénio Rosa in 'O TORNADO' 27 Jan. 2020

O Orçamento do Estado para 2020 não acaba com o subfinanciamento crónico do SNS nem com a sua enorme divida como afirmou o Governo, e as dificuldades dos portugueses no acesso à saúde vão continuar em 2020.

 

Neste estudo analiso, utilizando dados oficiais do Relatório do Orçamento do Estado para 2020 e da ?Nota Explicativa ao Orçamento do Estado para 2020? apresentada na Assembleia da República pelo Ministério da Saúde, documentos acessíveis a todos os interessados, o Orçamento do SNS para 2020 mostrando que, contrariamente ao que afirma o governo, o subfinanciamento do SNS continua em 2020 (as transferências do OE para o SNS são inferiores à despesa do SNS em 809 milhões ?), e que apresar de um reforço do OE no montante de 550 milhões ? em Dez.2019 para pagar a divida do SNS, um elevado montante desta (1.439 milhões ?) passaram para 2020 por não se ter sido paga continuando a estrangular o funcionamento do SNS e contribuindo para a degradação deste...

Saúde, Política de saúde



´Não renovação da PPP do Hospital de Loures assente em avaliação técnica

20 Jan. 2020

Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, que representa o Estado no contrato, justifica a decisão com a necessidade de introduzir alterações nas prestações de saúde.

Saúde, Política de saúde



PSD de Loures pede demissão de Marta Temido por causa da não renovação de PPP

ZAP in ZAP 19 Jan. 2020

(Comentário:

Como era de esperar os interesses do negócio da doença movimentam-se. E não é só no PSD...)

Nuno Fox / Lusa

A ministra da Saúde, Marta Temido

O PSD de Loures pediu, este domingo, a demissão da ministra da Saúde, num comunicado em que manifesta ?profunda preocupação? com a não renovação da parceria público-privada (PPP) no Hospital Beatriz Ângelo.

 

Para a concelhia do PSD de Loures, não resta outra opção à ministra da Saúde, Marta Temido, que não a demissão. ?Não nos resta alternativa senão pedir à Senhora Ministra da Saúde que tome uma atitude responsável, e se demita?, escreve a concelhia, em comunicado.

Em causa as notícias avançadas no último fim de semana sobre a não renovação da parceria-público-privada (PPP) do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures.

O PSD de Loures considera que ?estas medidas em nada estão relacionadas com a melhoria da gestão e qualidade do serviço prestado aos utentes?, mas que resu...

Saúde, Política de saúde



O ?caos? na Saúde, dizem eles

12 Jan. 2020

A direita portuguesa é incapaz de auto-organizar-se mas tem competências em agitprop. É inábil e arcaica nos seus arranjos partidários, mas capaz na propaganda e manipulação da opinião, quando se trata de defender os interesses da classe que representa.

caos na saúde
Isabel do Carmo* in 'Público'
E, no entanto, O perfil da Saúde do país em 2019, relatado pela independente OCDE, diz o contrário. Diminuiu o número de mortes por causas evitáveis, o que decerto é devido ao elevado grau de vacinação de crianças e adultos com mais de 65 anos, superior à média da União Europeia (OMS/Unicef, 2018, Eurostat 2017), e as hospitalizações evitáveis, abaixo da média da UE, sugerem cuidados primários eficazes (dados relativos a 2017).

A direita portuguesa é incapaz de auto-organizar-se mas tem competências em agitprop. É inábil e arcaica nos seus arranjos partidários, mas capaz na propaganda e manipulação da opinião, q...

Saúde, Política de saúde



Brincando às Carreiras

Carlos Manuel Costa Almeida in 'O TORNADO' 06 Jan. 2020

?Mas a verdade é que as carreiras médicas acabaram. Não por decreto ou anúncio na televisão, mas na prática e na decorrência directa do novo regime de gestão hospitalar. Foi este, na verdade, que as matou.?

 

 

É ponto assente entre os médicos portugueses já com prática clínica significativa que as carreiras médicas foram um dos pilares do nosso serviço nacional de saúde, e condição que permitiu que, a par de uma formação médica pré-graduada de qualidade e que não coloca de maneira nenhuma mal o nosso país no mundo ocidental, os nossos especialistas também possam ombrear com os seus colegas ocidentais. Apresentando uma preparação profissional com o mesmo nível de qualidade num país muito mais pobre, e agora a ficar decididamente para trás nesta Europa superalargada ? se não se conseguir entretanto aumentar o nosso produto interno bruto, em fase descendente.

As carreiras não só permitiram uma formação médica estru...

Saúde, Política de saúde



O que há de verdade no Plano de Melhorias do SNS

Eugénio Rosa in 'O TORNADO' 06 Jan. 2020

A sub-orçamentação em 2020, a continuação do aumento do endividamento do SNS e as dificuldades dos portugueses no acesso à saúde

 

 

Neste estudo analiso, conjuntamente, as principais medidas constantes da Resolução do Conselho de Ministros 198/2019, designado pelo governo como o ?Plano de Melhoria de Resposta do SNS? ou, abreviadamente ?PMR-SNS?, assim como as verbas que constam da Proposta de Orçamento do Estado para 2020 destinadas à saúde e, especialmente, ao SNS, comparando-as com as do Orçamento de 2019, mostrando que, apesar dos reforços constantes delas, elas são manifestamente insuficientes para acabar com a sub-orçamentação do SNS, para eliminar ou pelo menos reduzir significativamente o endividamento, e para garantir aos portugueses uma melhoria no acesso aos cuidados de saúde.

É um contributo para a reflexão sobre o bem saúde que é vital para todos os portugueses. Espero, por isso, que este estudo possa ser úti...

Saúde, Política de saúde



As «contas certas» de Centeno sobre Saúde não explicam dificuldades

in AbrilAbril 05 Jan. 2020

O ministro das Finanças afirmou hoje no Parlamento que o «SNS nunca teve tantos recursos», escamoteando as causas e responsabilidades políticas da situação de carência que o serviço público de saúde vive.

CréditosTiago Petinga / Agência LUSA

No início da discussão parlamentar sobre o Orçamento do Estado, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) foi um dos temas em destaque, uma vez que o documento levado, pelo Governo do PS, à Assembleia da República suscita dúvidas junto dos deputados.

Pese embora o primeiro-ministro procurar criar a noção de avanços significativos nesta matéria, as medidas anunciadas ficam aquém das necessidades do SNS.

Desde logo, a proposta de reforço de 800 milhões de euros para área da Saúde ainda não teve, por parte do Governo, qualquer explicação quanto ao destino a dar a esta verba. A questão ganha relevância porque a mesma pode acabar por ficar «debaixo do chapéu» da suborçamentação verificada entre 2008 a 2018 no sector ( ...

Saúde, Política de saúde



O SNS e os fortes inimigos que o quererão derrotar

jorge rocha in 'Ventos Semeados' 26 Dez. 2019


Não será fácil ao governo socialista concretizar as promessas relativas ao Serviço Nacional de Saúde tal qual foram anunciadas por António Costa na sua mensagem de natal. Há muitos anos que surgiram «empreendedores» decididos a transformar num negócio aquilo que deveria ser uma das prioridades do Estado no dever de garantir o bem-estar das populações e acreditar que vão prescindir do que lhes rende anualmente muitos milhões de euros é ilusão em que só um ingénuo pode crer. Sobretudo se, como já o demonstrou amiudadas vezes, Marcelo tudo fará para garantir a continuidade desses bons negócios em coerência com o seu voto de há quarenta anos quando era deputado e votou contra a existência desse SNS.

 

Por esta altura as empresas dos seguros de saúde, que auferem milhões à custa das mais valias entre o que efetivamente pagam aos clientes e o que deles recebem, estarão a agitar o seu lobbyde forma a não verem escapulir-se da sua carteira quem ta...
Saúde, Política de saúde



Governo autoriza abertura de mais 20 Unidades de Saúde Familiar

ZAP in ZAP 22 Dez. 2019

António Pedro Santos / Lusa

 

O Governo autorizou a abertura de mais 20 Unidades de Saúde Familiar (USF), oito das quais estão em condições de iniciar atividade até ao final do ano, foi anunciado esta segunda-feira.

 

As restantes USF modelo A entrarão em funcionamento a partir dos primeiros meses de 2020, adianta uma nota à comunicação social do gabinete da ministra da Saúde, Marta Temido. ?Está autorizada a abertura de mais USF, até ao limite de 20. Destas novas USF, oito estão já em condições de iniciar atividade até 31 de dezembro, sendo que as restantes entrarão em funcionamento a partir dos primeiros meses do ano?, precisa a nota.

O Ministério da Saúde afirma que, ?sem prejuízo de terem sido já criadas 20 USF modelo A durante o ano de 2019, existem agora mais equipas que reúnem os requisitos para iniciar o funcionamento neste modelo de organização?.

?Com a constituição destas USF, prossegue-se o compromisso de generaliz...

Saúde, Política de saúde



A grande explosão do negócio privado da saúde em Portugal

Página Global 19 Dez. 2019

 
 
Entre 2007 e 2017 o número de hospitais privados aumentou de 99 para 114, representando neste último ano já  50,7% do número total de hospitais existentes no país.

O grande problema é que é a saúde publica que está a financiar isto tudo.
 
É ao nível dos grandes grupos de saúde, alguns deles já controlados por entidades estrangeiras, (Grupos Luz, José Mello Saúde, Lusíadas, Trofa, grupo Hospitais Privados do Algarve) que se tem verificado o maior crescimento que tem engolido os pequenos e médios hospitais, assim como as velhas policlínicas, tornando os consultórios de médicos cada vez mais uma recordação do passado, e transformando a maioria dos médicos e outros profissionais de saúde (incluindo os que trabalham também  no setor publico)  em autênticos ?proletários descartáveis? aos quais pagam uma percentagem do preço que cobram ao doente, ou por peça (ex. por cada operação que fazem), sem qualquer vinculo...
Saúde, Política de saúde



Médicos que fazem urgências vão poder receber mais

18 Dez. 2019

Objectivo é reduzir o recurso a empresas prestadoras de serviço, que até Outubro custaram ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) 97,7 milhões de euros.

Saúde, Política de saúde



Presidente do IPO de Lisboa: ?O SNS tem de andar à frente da propaganda de quem só quer vender produtos?

18 Dez. 2019

O SNS está desfalcado e mais dependente da contratação de serviços externos, o que aumenta a desarticulação e não serve melhor os doentes. A leitura é de João Oliveira, presidente do IPO de Lisboa, para quem o reforço de 800 milhões anunciado na Saúde ainda não é claro. Se não forem aplicados em melhores condições de trabalho e reorganização, podem ser um desperdício, diz. Receia que haja visões diferentes no Governo.

Marta F. Reis
marta.reis@newsplex.pt

In 'Sol'

 
 
 

Está há um ano à frente do IPO de Lisboa. Muda a perspetiva mesmo para quem já era diretor clínico?

Não muda demasiado, tenho de tomar decisões em que já participava mas a outro nível. Em contrapartida, ganhei um diretor clínico. Não me sinto numa missão diferente. É tentar influenciar o funcionamento quer desta instituição quer do SNS no sentido do que é mais necessário à população e à aplicação do progresso no tratamento das pessoas. 

 

...

Saúde, Política de saúde



A campanha

in 'Estátua de Sal' 13 Dez. 2019

(Daniel Oliveira, in Expresso, 13/12/2019)

Daniel Oliveira

 

Quem veja os telejornais conclui que temos o sistema de saúde do Burkina Faso. Quem leia o recente relatório da OCDE fica baralhado. Temos uma esperança de vida superior à média europeia, que aumentou, entre 2000 e 2017, cinco anos. Sobretudo por causa da redução da taxa de mortalidade por AVC e doenças cardíacas. Estamos melhor do que a média europeia na mortalidade por doenças evitáveis e tratáveis, temos uma baixa taxa de hospitalização evitável, excelentes taxas de vacinação e, ao contrário de verdades feitas, os tempos de espera para cirurgias programadas estão de novo a melhorar e continuam inferiores aos da média da OCDE.

Enquanto a economia nos deixa na cauda da Europa, temos um SNS de qualidade e com resultados acima da média e mais barato do que os outros. Fazemos melhor com menos. Mas o SNS é, com o sistema de pensões, demasiado apetitoso para se manter no público. É ...

Saúde, Política de saúde



O mercado dos medicamentos na UE e a grande indústria farmacêutica

Jornal Tornado in 'O TORNADO' 11 Dez. 2019

Preços altos, baixo acesso: o mercado dos medicamentos na União Europeia e a grande indústria farmacêutica (Big Pharma)

 

 

Pelo que lutam as grandes farmacêuticas em Bruxelas?

A indústria farmacêutica é uma das indústrias mais rentáveis do mundo ao beneficiar de um modelo altamente problemático que contribui para que muitas pessoas ainda não tenham acesso a medicamentos essenciais e que salvam vidas. Durante décadas este assunto foi foco no hemisfério Sul, mas a crise do desaparecimento de medicamentos a preços acessíveis está agora a alastrar-se pela Europa.

O aparecimento de medicamentos extremamente caros ? com preços de dezenas e centenas de euros, grandemente desproporcionados aos seus custos de desenvolvimento e de produção ? deve-se em muito à regulação pró-indústria e às regras sobre propriedade intelectual. Durante muitos anos a sociedade civil tem feito soar os alarmes sobre esta matéria e, finalmente em 2016, o Conselho...

Saúde, Política de saúde



Do pé de guerra à surpresa prometida. Governo vai injetar 800 milhões na Saúde e contratar 8400 profissionais

ZAP in ZAP 10 Dez. 2019

José Sena Goulão

 

Há quatro ministros em ?pé de guerra? com Mário Centeno, exigindo ao responsável pela pastas das Finanças mais verbas no Orçamento de Estado de 2020 (OE2020) para os ministérios que tutelam, escreve o Correio da Manhã.

 

Em causa está a ministra da Saúde, Marta Temido, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues e ainda a ministra da Justiça, Francisca Van Dunem.

De acordo com o diário, que avança a notícia esta quarta-feira, os governantes acima mencionados reclamam mais verbas para os seus ministérios no OE2020, apesar de Mário Centeno deixado claro que é preciso manter o equilíbrio das contas públicas.

O OE2020 é discutido esta quarta-feira em reunião de Conselho de Ministros e a atribuição das verbas a cada ministério é um dos assuntos em cima da mesa. Esta ?guerra? entre o titular das Finanças e os restantes governantes é habitual durante a discussã ...

Governação, Política de saúde



Brasil |Devastação da Saúde e o Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento

Jornal Tornado in 'O TORNADO' 10 Dez. 2019

O texto abaixo, do Dr. Roberto José Bittencourt, contém uma das mais lúcidas análises sobre a situação atual da Saúde (talvez seja dispensável o qualificativo ?pública?, pois é difícil conceber, tanto do ponto de vista teórico quanto prático, alguma saúde, quando se fala na população, que não seja pública).

 

 

Contra tudo o que foi discutido e decidido na Constituinte de 1988, que criou o Sistema Único de Saúde (SUS), a continuada asfixia do setor público de Saúde fez com que ele se tornasse, na prática, hoje, ?complementar ao setor privado?.

O autor faz a história sucinta da sabotagem ao SUS, desde o seu nascimento. O resultado pode ser assim sintetizado:

 
Na prática, verificamos que 70% dos brasileiros, que dependem do SUS, dispõem de menos recursos para a saúde, do que os 30% dos brasileiros que ainda têm acesso aos Planos de Saúde.?
 
 
 

Roberto José Bittencourt é médico, fo...

Saúde, Política de saúde



Morre-se menos em Portugal por causas evitáveis e tratáveis que na UE

09 Dez. 2019

Um relatório da Comissão Europeia revela que, em Portugal, a taxa de mortalidade por causas evitáveis e tratáveis é mais baixa que na maioria dos países da União Europeia. Há o registo de 140 mortes evitáveis por 100 cada mil habitantes. A média europeia é de 161.

Em relação às doenças tratáveis, em Portugal registam-se 89 óbitos por cada 100 mil habitantes, contra os 93 da média europeia.

Segundo o relatório sobre a Situação da Saúde na União Europeia, Portugal está à frente de países como a Áustria, Dinamarca, Alemanha e o Reino Unido. A Lituânia, a Letónia e a Hungria ocupam os últimos lugares, com mais do dobro de mortes evitáveis do que a média dos países analisados. O relatório vai ser apresentado sexta-feira em Lisboa.

O relatório da Comissão Europeia, com a colaboração da OCDE, faz um diagnóstico da elevada eficácia do Serviço Nacional de Saúde com bons resultados em medidas de saúde pública, de prevenção no cancr...
Saúde, Política de saúde



Injeções financeiras nos hospitais são discricionárias e geram desresponsabilização

09 Dez. 2019

A necessidade cíclica de "injeções financeiras discricionárias" do Ministério das Finanças para os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) é estrutural e promove a desresponsabilização da gestão hospitalar, conclui uma análise do Conselho das Finanças Públicas.Injeções financeiras nos hospitais são discricionárias e geram desresponsabilização
 

O Conselho das Finanças Públicas (CFP) divulgou hoje um documento de análise à contratualização com as empresas públicas prestadoras de cuidados de saúde, que no fundo são os Centros Hospitalares, os IPO e as Unidades Locais de Saúde.

Os autores do documento entendem que a gestão do SNS até utiliza ferramentas de última geração, mas é dificultada pela ?crescente complexidade do sistema de planeamento?

?Mais de metade do valor orçamental para o SNS vai para o processo de contratualização? dos hospitais, o que prejudica o planeamento financeiro.

?Os contratos não efetuam uma correta correspondência entre os serviços contratados e as necessidades financeiras?, indica...

Saúde, Política de saúde



Jerónimo diz que SNS está "sob fogo cerrado" e apela a "grande debate"

09 Dez. 2019

O secretário-geral do PCP afirmou hoje, em Alpiarça, que o Serviço Nacional de Saúde está "sob fogo cerrado", com relatos diários de desgraças, desleixos e carências, "tudo a pensar em atingir o coração" deste sistema.

Jerónimo diz que SNS está "sob fogo cerrado" e apela a "grande debate"
Jerónimo de Sousa falava no final de um almoço que reuniu perto de 300 pessoas no ginásio da coletividade Águias de Alpiarça (distrito de Santarém), inserido na campanha "Intervir, Lutar, Avançar", que o partido tem em curso em todo o país.
 

Para Jerónimo de Sousa, "este é um grande debate que está colocado - o de saber se o direito à saúde é um direito dos portugueses" ou se vinga "a tese de que a doença é a alma do negócio".

Sublinhando que o PCP tem propostas pelas quais se vai bater também nesta área, o líder comunista advertiu que "basta o Governo não fazer nada" para o SNS ser destruído.

Reafirmando que o PCP só decidirá o seu sentido de voto no Orçamento do Estado para 2020 perante "o documento concreto", o líd...

Saúde, Partido Comunista Português, Política de saúde



SNS ? Problemas e soluções

08 Dez. 2019

 
Qualquer de nós que trabalhou em hospitais sabe que o que deseja a maioria dos recém-especialistas é ser contratada e ficar no SNS. Estará o Estado à espera que lhes aconteça como à menina do Capuchinho Vermelho e que venha um lobo e os coma? É que os lobos estão por aí. É o mercado?
 
 
Isabel do Carmo
7 de Dezembro de 2019
 

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) tem aparecido aos olhos do público como sendo um caos, mas não é um caos. Convém ver a quem aproveita esse retrato e claro que se chega facilmente à conclusão que aproveita a quem vive do negócio da saúde: serviços privados e seguros. Não é o caso dos profissionais do SNS, que acreditam que este é um serviço que está na base, a par da Educação e da Segurança Social, do que nos resta na luta pela igualdade. Serviço público baseado no Orçamento Geral do Estado (OGE), o qual vive sobretudo dos impostos, que são progressivos. Um esforço de co...

Saúde, Política de saúde



Confirma-se quadro sombrio da saúde nos EUA, por António Abreu

Abril de Novo Magazine 05 Dez. 2019

Os Estados Unidos, apesar de gastarem mais em assistência médica do que qualquer outro país, registaram uma mortalidade crescente e uma esperança de vida decrescente para pessoas de 25 a 64 anos, que deveriam estar no auge de suas vidas.

Um novo relatório publicado no Journal of the American Medical Association pelos investigadores Steven H. Woolf e Heidi Schoomaker, mostra um quadro sombrio: a esperança de vida geral nos Estados Unidos, que havia aumentado nos últimos 60 anos, caiu em três anos consecutivos. Mas essa não é apenas uma tendência recente. A expectativa de vida dos EUA começou a perder ritmo com outros países na década de 1980 e, em 1998, havia caído para um nível abaixo da esperança de vida média entre os países da OCDE ? Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico. Embora a esperança de vida nesses países continue a aumentar, a esperança de vida nos EUA parou de aumentar em 2010 e vem diminuindo desde 2014 (1).

 
...
Saúde, Política de saúde



Actual modelo do sistema de saúde está em mudança

Joaquim Ribeiro in 'O TORNADO' 05 Dez. 2019

(Observação:

O grande equívoco dos que confundem (ou será que querem confundir-nos?) descentralizar com municipalizar.

Ou o súbito empenho do ex-ministro Adalberto Fernandes e dos 'financeiristas' da Deloitte em municipalizar a saúde.

Desestruturar e pulverizar o SNS é, agora, o objetivo que move os que querem ter na doença um lucrativo negócio

Contributo para areflexão sobre o tema: pdf Neoliberal Health Organizing Communication, Meaning, and Politics (4.48 MB) )


 

 

O último de três encontros do Fórum Saúde XXI, do Ciclo de Conferências a Oeste ? Torres Vedras 2019, debateu ?A descentralização e uma visão para o futuro da saúde no Oeste? e reuniu cerca de meia-centena de participantes.

 

 

A descentralização de serviços na área da saúde marcou este terceiro fórum, onde os intervenientes falaram sobre as transferências de competências do poder central para o poder local e as suas vantagens e desvantagens ou implicações n...

Saúde, Municipalização, Política de saúde



SNS - é viável. Deixem-se de demagogias!

02 Dez. 2019

Rui Freitas /30 Nov 2019
in DN (aqui)
 

Desde há pelo menos 35 anos que me tenho dedicado à atuação e investigação, de como é que os Serviços de saúde podem ?ganhar? com os ensinamentos que a gestão nos traz.

Como é sabido gerir um hospital exige um conhecimento genérico de muitos sectores nomeadamente clínico (seu principal objetivo), mas cuidando doutros, não menos importantes, sem perder de vista o superior interesse de todos os atores.

Entendamos como atores, os que prestam e recebem os cuidados de saúde.

Ora, sendo certo que os que recebem, necessitam duma atenção muito especial, tanto no trato (humanização dos serviços) como na solução final (devolução à sociedade curado), muitos desafios se colocam a quem dirige, de modo a que os que praticam os atos estejam capacitados para os executar, com mestria e dentro de prazos razoavelmente aceites.

Em torno de tudo isto, roda todo um movimento administrativo e técnico que por ser ri...

Saúde, Política de saúde



Governo empenhado em reduzir défice e dívida na saúde que necessita maior investimento

02 Dez. 2019

 por Lusa

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou hoje estar empenhada em concretizar a redução do défice e da dívida, sublinhando a necessidade de um maior investimento no setor.

"Quando se diz que a saúde esta suborçamentada estamos a presumir que há uma diferença entre aquilo que se precisaria para trabalhar e aquilo que neste momento existe com receita para o sistema, isso é uma presunção, na medida em que não temos o sistema a trabalhar com toda a eficiência", reconheceu.

Marta Temido falava aos jornalistas à margem do 5.º Encontro Nacional do Primeiro Episódio Psicótico, que decorre hoje em Lisboa, organizado pela Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, dedicado ao tema "Priorizar cuidados na doença mental grave: intervenção precoce na psicose".

Segundo a ministra, "não há um número de suborçamentação: há um défice e há uma dívida", reconhecendo que o ministério tem dois esforços pela frente, nomea...

Saúde, Política de saúde



A doença é que é boa para os negócios da indústria farmacêutrica - a Nintendo sabe.

02 Dez. 2019

Big Pharrma
A consola de jogos Nintendo lançou um jogo (Big Pharma) em que se simula o negócio da indústria farmacêutica. Uma espécie de 'Monopólio' da saúde.
Na sua publicidade a Nintendo cuida de avisar:
"Usarias [o poder de dirigir uma indústria farmacêutica] para o bem ? Ser plenamente altruísta pode não ser o melhor para o planeamento do negócio.A verdade desconfortável (existe algum balsamo para isso?) é que alguns remédios são mais lucrativos que outros e a doença é boa para os negócios. Bem-vindo ao mundo da Big Pharma!"
Ou seja, na indústria farmacêutica o negócio é criar doentes crónicos e não curar as doenças.
Claro, quando a saúde é um negócio o que interessa é a doença para dar lucro.
A Nintendo sabe bem...
 
big pharma screenshot
 

Big Pharma is part business sim, part logistics puzzle.

What if you had it in your power to rid the world of disease, to improve the lives of millions, to ease suffering and cure the sick and earn a tidy profit? A...

Saúde, Política de saúde



A parcela da riqueza criada no país que é aplicada na saúde diminuiu, a despesa das famílias aumentou

Revista Crítica Económica e Social 29 Nov. 2019

Artigo de Eugénio Rosa.


A situação do setor público da saúde em Portugal tem-se agravado como consequência das dificuldades crescentes que enfrenta o SNS sujeito à ditadura do défice orçamental e da política de proteção dos grandes grupos de saúde privados. Os dois gráficos seguintes, com dados da OCDE (?Health at a Glance?), revelam uma realidade preocupante, a saber: enquanto em Portugal a parcela da riqueza criada (PIB) aplicada na saúde dos portugueses diminuiu entre 2006 e 2017, na União Europeia sucedeu precisamente o contrário; em média aumentou sendo já superior à do nosso país.

Gráfico 1- A despesa com saúde (publico + privada) em percentagem do PIB, em Portugal e nos países da União Europeia em 2006(PT) ou 2007 ? ?Health at a Glance- 2010?


Em 2006, a despesa total (pública+ privada) em Portugal representava 9,9% do PIB, enquanto a média na União Europeia era de 8,3% do PIB, ou seja, menos 1,6 pontos percentuais.

Gráfico 2...

Saúde, Política de saúde



Raquel Varela: ?Sem exclusividade dos médicos, nunca teremos um SNS forte!?

28 Nov. 2019

Uma percentagem do PIB de pelo menos 5% alocada ao SNS, um SNS sem concorrência interna, gestão democrática e exclusividade dos médicos. Estas são, para Raquel Varela, as quatro premissas indispensáveis para um Serviço Nacional de Saúde sustentável no futuro. Em entrevista ao Jornal Médico, a historiadora e investigadora do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa, lamenta que o SNS tenha vindo a ser ?sistemática e propositadamente desnatado a favor do setor privado pelos sucessivos governos?. A autora do recém-editado livro História do Serviço Nacional de Saúde em Portugal ? A Saúde e a força de trabalho, do Estado Novo aos nossos dias destaca o papel incontornável dos médicos na construção do SNS: ?ao defenderem os seus interesses, enquanto classe profissional, os médicos defenderam o país e os portugueses?.

JORNAL MÉDICO (JM) | Em vésperas de fazer 40 anos, o SNS é o típico ?quarentão? em crise existencial?

...
Saúde, Política de saúde



"ADSE não é privilégio nenhum da Função Pública"

28 Nov. 2019

O presidente do Conselho Geral e Supervisão (CGS) da ADSE, João Proença, considerou esta segunda-feira que o subsistema de saúde "não é privilégio nenhum da Função Pública", sublinhando que são os beneficiários que o financiam na totalidade desde 2016.

 
 
João Proença falava numa conferência sobre 'O futuro da ADSE', em Lisboa, organizado pela SEDES - Associação para o Desenvolvimento Económico e Social.

A ADSE, que há mais de dois anos passou de direção-geral a instituto público de gestão participada, "desde 2016 que é paga a 100% pelos beneficiários", afirmou o antigo líder da UGT, que agora preside ao CGS.

Segundo lembrou João Proença, em 2014 os beneficiários titulares da ADSE passaram a pagar por mês 3,5% do seu salário ou pensão para o sistema de proteção e assistência na doença da função pública, um desconto decidido pelo Governo de coligação PSD/CDS-PP, em pleno programa de ajustamento financeiro, mas que foi "além da 'troika'"...

ADSE, Política de saúde



Se o governo não sabe qual é a prioridade, anote por favor: SNS

28 Nov. 2019

Os partidos de esquerda não dizem outra coisa desde há quatro anos: salve-se o SNS e a democracia respira. O problema é se o gabinete de S. Bento ouve, ou se ouve e quer.
Francisco Louçã

O desgaste sofrido do sistema de cuidados de saúde no SNS já alcançou o ponto de alarme. Isso não é novidade, o que diz tudo sobre o problema: há muitos anos que sabemos que este tempo chegaria, dado que mais de metade do pessoal médico tem mais de cinquenta anos e, se mais não fosse por isso, a capacidade de garantir as urgências está comprometida. Mas também se sabe, e há tanto tempo, que o envelhecimento da população agrava a pressão sobre o SNS, que se acentuam os custos com os medicamentos novos para patologias crónicas e outras, que a concorrência dos privados atraindo os profissionais reduz as disponibilidades. Sabe-se tudo isso. Só pode espantar que só agora chegue o alerta, depois de anos e anos de irresponsabilidade, de subfinanciamento e de desgaste d...

Saúde, Política de saúde



Como se promove a perceção do caos no SNS

28 Nov. 2019

(Comentário:
 
Alguns exemplos de como a direita mais do que enunciar problemas pretende promover a imagem de que o SNS está hoje num caos. Como se as dificuldades vividas no SNS não datassem de há vários anos e não tivessem como primeira causa a delapidação de recursos que o setor privado tem feito dos meios (financeiros, humanos e materiais) do SNS.
Mas, afinal, o que pretendem com o alarmismo social que promovem diariamente é, precisamente, manter essa "absorção" de recursos e reduzir o SNS ao mínimo para pobres e remediados.
A este propósito ver aqui)

 
 
Pedro Santana Lopes
Pedro Santana Lopes 27 de novembro de 2019
no jornal 'Negócios' (grupo Cofina - Correio da Manhã)'
 
 
Temos de nos libertar do preconceito ideológico que diz que o SNS é tendencialmente gratuito porque não é. Por ano, custa aos contribuintes, neste momento, mais de 11 mil milhões de euros.
 

A esquerda à esquerda do PS andou distraída até às eleições so...

Política de saúde



Portugal | Saúde.pt: O interlúdio punk da corrida ao ouro

Página Global 27 Nov. 2019

 
 
O debate sobre o Serviço Nacional de Saúde (SNS) encontra-se num interlúdio punk: ruidoso, agressivo, atonal e atordoador. Nesta fase confundem-se justas reivindicações sociais e profissionais com interesses individuais e sectorializados; misturam-se a filosofia e os objetivos do Serviço Público com a ideologia e o modus teórico-prático do mercado e amalgamam-se descontentamentos geradores de alarme social e de irritação profissional, convenientemente amplificados pelos media.
 
Este cenário de agitação sócio-política em torno do SNS foi exacerbado após a aprovação da nova Lei de Bases da Saúde (LBS) e encontra-se em fase aguda, agora, nas vésperas da discussão do Orçamento Geral de Estado (OGE) para 2020, o primeiro desta legislatura. De facto, o mero vislumbre da possibilidade de contenção da mercantilização do sector da saúde tem sido o bastante para tentar decapitar o Ministério da Saúde no no...
Saúde, Política de saúde



Why the NHS will be privatised ? take the example of ?free-schools?

TruePublica 27 Nov. 2019

 
28th November 2019 / United Kingdom

TruePublica Editor: For nearly a year now, TruePublica has said that trade negotiations with America for a post-Brexit trade deal are already in an advanced stage. We have constantly reported that the NHS will be opened up to US medical corporations and that a medical insurance backed scheme will eventually be introduced.

In January this year, we published an article ?Killed by the State? ? a piece about how the dismantling of the UK welfare state is aided by the advice of American ?healthcare? companies with subsequent devastating policy decisions. The excellent decade long research by independent disability studies researcher Mo Stewart ? revealed that the welfare state was being systematically dismantled at the expense of people?s lives. And whilst Mo Stewart?s work emphatically shows how the disabled has been a primary target ? it should be understood that under an American trade deal, the trajectory and rollout will be much...

USA, Reino Unido, Política de saúde



Como o sistema canibaliza o SNS

in 'Alpendre da Lua' 26 Nov. 2019


Ontem dei atenção à televisão. Ia ser discutido "Um prognóstico Reservado" e eu ouvi tudo e de tudo, porque assim, porque assado. Em vozes distintas, as exaltadas, as acomodadas e as calmas. Gosto particularmente daquilo que é dito com tino, em tom calmo e com um sorriso. Temos ao 41º minuto um exemplo disso.

Quanto ao diagnóstico, formei-o rápido:
  • acorrem às urgências quem devia ser atendido nos SAP(1)? Já não há disso? Então Senhora Ministra, espera o quê?
  • a um médico custa a formá-lo uma pipa de massa(2),  e uma enfermeira também não é de graça(3)? Depois de aptos pisgam-se para os privados? Senhora Ministra, faça como na Marinha(4)!
Notas:
(1) Os SAP, Serviço de Atendimento Permanente, foram desaparecendo lentamente, sem deixar rasto... eu sei que Bruxelas tem o olho em cima da despesa... mas é o SNS que está em risco. E a Senhora Ministra sabe disso...
(2) A formação de um médico, custa ao Estado 115 mil euros
(3) A formação d...
Saúde, Política de saúde



Saúde.pt: O interlúdio punk da corrida ao ouro

Teresa Gago in 'O TORNADO' 25 Nov. 2019

O debate sobre o Serviço Nacional de Saúde (SNS) encontra-se num interlúdio punk: ruidoso, agressivo, atonal e atordoador. Nesta fase confundem-se justas reivindicações sociais e profissionais com interesses individuais e sectorializados; misturam-se a filosofia e os objetivos do Serviço Público com a ideologia e o modus teórico-prático do mercado e amalgamam-se descontentamentos geradores de alarme social e de irritação profissional, convenientemente amplificados pelos media.

 

 

?Consolida filho, consolida, enfia-te a horas
certas no Casarão da Gabriela que o malmequer
vai-te tratando do Serviço Nacional de Saúde.?

(José Mário Branco em FMI)

 

O debate sobre o Serviço Nacional de Saúde (SNS) encontra-se num interlúdio punk: ruidoso, agressivo, atonal e atordoador. Nesta fase confundem-se justas reivindicações sociais e profissionais com interesses individuais e sectorializados; misturam-se a filosofia e os objetivos...

Saúde, Política de saúde



Faz-se ?medicina de guerra? nas Urgências e ?podem morrer doentes?

ZAP in ZAP 24 Nov. 2019

ABr

 

Os serviços de urgência dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) estão em coma, mergulhados no caos e a precisar de medidas urgentes e radicais para resolver os problemas relacionados com a escassez de profissionais e de recursos. O alerta é de profissionais do sector que pedem ao Governo que faça ?sangue? para resolver a crise.

 

São mais de seis milhões os atendimentos feitos anualmente nas urgências hospitalares do SNS, de acordo com dados divulgados ao Público pelo presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI), João Araújo Correia, que nota que são ?o dobro da média dos países da OCDE?.

A juntar a esta realidade, em que ?os portugueses usam as urgências como se fossem uma loja de conveniência?, como diz João Araújo Correia, citando muitos casos de falsas urgências, com situações de pouca gravidade, há ainda uma flagrante falta de médicos especialistas e de recursos como camas, além de muitos equipam...

Saúde, Política de saúde



SNS no feminino

Maria Augusta Sousa in 'O TORNADO' 24 Nov. 2019

Intervenção da Enf Maria Augusta na Associação Portuguesa de Desenvolvimento Hospitalar.

 


Aponta alguns caminhos e nesta altura em que parece que o SNS são só os médicos, será simbólico o testemunho de outros profissionais de saúde.

 

SNS no feminino

Conferência APDH
22 Novembro 2019

 

Começo por saudar a iniciativa levada a cabo pela Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar.

Permitam-me uma pequena nota: não falaríamos de Serviço Nacional de Saúde, de SNS, se não tivesse havido quem tivesse feito acontecer o 25 de Abril.

Por isso deixem-me expressar na escrita de Sofia de Mello Breyner, homenageando-a neste ano em que faria 100 anos, o que também para mim significou este tempo,

25 de Abril

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Sophia de Mello Breyner Andresen, in ?O Nome das Coisas?

...
Saúde, Política de saúde



Portugal | SNS: O mais importante é...

Página Global 19 Nov. 2019

 
 
 
Mariana Mortágua | Jornal de Notícias | opinião
 
O pagamento de despesas médicas é a maior causa de falência pessoal nos EUA. Mais que o desemprego ou um imprevisto, é o pagamento dos cuidados de saúde que atira as pessoas para a miséria, depois de terem vendido ou penhorado todos os seus bens.
 
São 530 mil pessoas por ano nesta situação, sendo que a maioria tem seguro privado de saúde. É o caso de Susanne LeClair, da Florida, que contou ao jornal inglês "The Guardian" como, depois da primeira cirurgia para o cancro comparticipada pelo seguro, começou a receber as faturas de todos os tratamentos não comparticipados, que somam agora 52 mil dólares. Um em cada seis americanos tem dívidas médicas que, no total, somam 81 mil milhões de dólares. A situação é mais dramática para um em cada 12 que não tem acesso a um seguro.
 
Os EUA são só um exemplo entre vários países que rejeitaram a ideia de um serviço públi...
Saúde, Política de saúde



Portugal | Os médicos e o serviço público

Página Global 18 Nov. 2019

 
 
Inês Cardoso* | Jornal de Notícias
 
O meu médico de família tem sempre tempo e um sorriso para os seus doentes e está disponível para os atender em vários canais fora do horário de trabalho.
 
Apesar de não ter ligações ao concelho, instalou-se numa pequena vila de quatro mil habitantes e dedica-se a tempo inteiro ao Serviço Nacional de Saúde (SNS). É, a julgar pelo que mostram as estatísticas, um caso cada vez mais raro e que tende a ser pouco seguido pelos jovens médicos.
 
É num contexto de dificuldades em fixar os especialistas no SNS que o Governo inscreve no seu programa a promessa de criar um regime de permanência no serviço público para todos os que terminem o período de especialização. Não se sabe ainda como, nem por quantos anos. Apenas se fala num "pacto" com os profissionais, o que pressupõe uma negociação e contrapartidas para essa dedicação.
 
O problema é que não se trata apenas de oferecer...
Saúde, Política de saúde

 

Ver o dossier sobre a Revisão da Lei de Bases da Saúde (2019):

revisaolbs

  • Criado em .
  • Visualizações: 590

Publicações mais recentes

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
Aqui ainda não existem atividades
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate