O NEGOCIO DOS COMBUSTÍVEIS ASSENTA NUM SISTEMA CORPORATIVO

 
 
Octavio Serrano*
 
Sistema Corporativo, era o sistema económico escolhido pelo regime do Salazar, para organizar economicamente o país; existiam os órgãos corporativos; de que dou exemplo, os grémios da lavoura; e também grupos produtivos monopolistas, como por exemplo a CUF; e ambos tinham uma caracteristica que os assemelhava: tinham a capacidade política de determinar os preços do que compravam, e do que vendiam.
Os Grémios da Lavoura, por exemplo, podiam definir o preço dos produtos que adquiriam aos agricultores; e o preço, do que vendiam ao mercado retalhista; os monopólios, de que dou o exemplo a CUF, tinham o mesmo privilégio; isso garantia, que independentemente das vicissitudes da economia, estas entidades tivessem lucros garantidos. E para que nada pudesse ser posto em causa, os salários também eram tabelados, as greves proibidas, e a miséria instituída, garantindo-se, ano após ano, mais-valias, aos monopólios, margens aceitáveis aos comerciantes, e orçamentos positivos aos grémios; um sistema de paz económica podre, que atrofiou durante decénios o progresso do país.
Das peripécias, da última greve dos motoristas dos camiões de transporte de matérias perigosas, extrai alguma similitude, com o anteriormente descrito; apesar de vivermos num regime político, cheio de liberdades, há sectores económicos deste país, muito similares aos da “Outra Senhora”! Vejamos; o mercado de produção de combustíveis, é dominado por uma empresa monopolista; a Galp; a única concorrência, que poderia afectar o controlo que possui do mercado, poderia chegar eventualmente de operadores espanhóis; mas estes, devido à distância e à falta de meios alternativos ao rodoviário, para transportar os combustíveis, não podem fazer grande sombra. Deste modo, a Galp, tem garantidas boas margens na refinação; podendo proporcionar aos seus accionistas bons lucros perpétuos, e boa rentabilidade das suas acções; e constata-se tudo isto, pelos resultados líquidos que vai obtendo, ano após ano.
As empresas distribuidoras de combustíveis, compram à GALP; e vendem aos retalhistas, ou seja às bombas de combustíveis; as distribuidoras contratualizam os preços com os retalhistas; podendo, atribuir bónus em função das quantidades adquiridas; logo, os lucros das distribuidoras estão dependentes das quantidades vendidas, e da redução de custos que conseguirem; e cedo, chegaram a uma conclusão; fica-lhes mais barato pagarem o transporte dos combustíveis, a transportadoras, do que possuírem camiões próprios para transportar os combustíveis para os retalhistas. Logo, como há muita empresa candidata a fazer o serviço, têm a capacidade de negociar os preços dos transportes dos combustíveis, minimizando assim os seus custos.
E as empresas de transporte de combustíveis? Onde é que têm de apertar os custos, para que possam ser concorrenciais, junto das empresas grossistas de combustíveis? Precisamente, nos salários dos seus trabalhadores; por isso, com a cumplicidade do Estado, que de tudo isto, sempre teve perfeito conhecimento, têm pago ajudas de custo excessivas e inapropriadas e salários por fora, a fim de fugirem às contribuições para a segurança social sobre uma parte dos salários.
E quando recentemente explodiu a greve dos camionistas de transporte de matérias perigosas, em resultado da injustiça de que eram vitimas, o governo teve de se colocar ao lado do patronato, em nome do interesse nacional; quando era sua obrigação, ter tomado medidas atempadas, que impusessem às transportadoras, a legislação do trabalho vigente. Mais, sabendo-se, da obrigação governativa de promover uma sociedade inclusiva, deveria ter também tomado medidas de controlo sobre as imposições monopolistas da Galp. Mas isso colocaria em causa, a distribuição no sector, das mais-valias da chamada cadeia de valor! Não era? Tal e qual como antes do 25 de Abril!
 

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2019/09/o-negocio-dos-combustiveis-assenta-num.html

Tags:

Artigos relacionados

Quanto tempo falta para o petróleo acabar no mundo?
Quanto tempo falta para o petróleo acabar no mundo? © AFP 2019 / VITORIA VELEZ Especialistas analisaram o volume de petróleo que ainda existe no mundo e até qu... 15 views Sun, 13 Oct 2019, 22:15:25
Califórnia às escuras
Califórnia às escuras Os apagões planeados na Califórnia que deixaram quase 1 milhão de pessoas sem electricidade podem custar à economi... 13 views Fri, 11 Oct 2019, 15:44:44
Alexandrópolis, a nova base USA contra a Rússia Geoffrey R. Pyatt exerceu a função de Embaixador dos EUA, na Ucrânia, de 2013 a 2016. Organizou com Victoria Nuland, o... 39 views Wed, 02 Oct 2019, 15:15:16
Descoberto depósito maciço de petróleo no gigante asiático
Descoberto depósito maciço de petróleo no gigante asiático © AP Photo / Jin Liangkuai A descoberta de um campo petrolífero que poderia conter mais de um bilhão de tone... 37 views Mon, 30 Sep 2019, 16:57:10
Portugal | QUEM ENFRENTA A RAPINAGEM DA EDP?
Portugal | QUEM ENFRENTA A RAPINAGEM DA EDP?     Em cada semana, uma nova notícia sobre o mesmo esbulho. Esta quarta-feira ficámos a saber da condena... 33 views Thu, 26 Sep 2019, 13:29:14
EDP multada em 48 milhões por prejudicar consumidores
EDP multada em 48 milhões por prejudicar consumidores A empresa é acusada pela Autoridade da Concorrência de abuso de posição dominante por ter limitado a sua capacidade no... 31 views Fri, 20 Sep 2019, 00:31:33

Energia

  • Criado em .
  • Visualizações: 37

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • Vasco Graça updated his profile
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades