• Início
  • Artigos
  • Portugal
  • Numa sociedade racista não basta não ser racista. É necessário ser antirracista

Portugal | PCP reafirma impedimento de novas PPP na Lei de Bases da Saúde

O PCP reafirmou hoje a intenção de impedir novas parcerias público-privadas (PPP) no âmbito da revisão da Lei de Bases da Saúde, em discussão no parlamento, e defendeu que a questão deve ser assumida na atual legislatura.

"Para nós a gestão das unidades do SNS é pública, ponto final. Não há gestão privada das unidades do serviço público de saúde", afirmou, em conferência de imprensa, Jorge Pires, do comité central do PCP.
O dirigente da comissão política comunista, confrontado com a intenção do Bloco de Esquerda de remeter a questão das PPP para uma fase posterior à Lei de Bases da Saúde, como forma de viabilizar um acordo com o PS, disse não conhecer ainda a proposta em concreto.

Segundo Jorge Pires, o PCP não apoiará "um salto no escuro" e não se mostra favorável a deixar para o futuro "a discussão de um problema" sem que se possa saber qual será a próxima composição da Assembleia da República.

"Se este problema ficar definido agora é a garantia de que será muito mais difícil, enfim, aprovar legislação que vá no sentido de favorecer o aparecimento de novas PPP", salientou.

O dirigente comunista considerou que, "desde o principio, o PS se tem oposto a uma revisão progressista da lei", que valorize o Serviço Nacional de Saúde (SNS), quando nada tem feito "para impedir que as PPP se mantivessem".

Os comunistas assumem que, no parlamento, irão "até ao limite temporal" para chegar a um acordo relativamente à revisão da lei de bases, responsabilizando os socialistas por não ter sido possível garantir o entendimento necessário e não se demarcarem das opções que têm vindo a concretizar ao longo dos anos.

"Manter a possibilidade dos grupos económicos privados gerirem unidades do SNS é manter a promiscuidade entre o público e o privado, uma das principais causas para a situação que se vive hoje no SNS", acusou Jorge Pires.

No seu entendimento, a opção pelas PPP tem como objetivo "drenar milhares de milhões de euros para os grupos económicos", com a sequente "estagnação da construção hospitalar pública".

Para o dirigente do PCP, a intervenção dos privados deve limitar-se à "contratação da prestação de cuidados de saúde e não da gestão de estabelecimentos de saúde", vincando que "o PS ainda está a tempo de refletir" e apoiar uma lei de bases que assegure uma "separação entre os setores" e garanta as necessidades de investimento do SNS.

A posição dos comunistas surge após a coordenadora do BE, Catarina Martins, ter garantido, no sábado, que aprova a proposta da Lei de Bases da Saúde se as parcerias público-privadas forem retiradas da lei, para serem discutidas mais tarde, e se o atual regime jurídico das PPP for revogado.

A proposta do BE visa "ultrapassar o impasse criado e a salvar a Lei de Bases da Saúde", salvaguardando assim que os "passos dados e que são positivos não sejam postos em causa".

"Se o Partido Socialista aceitar esta proposta, poderemos ter uma Lei de Bases aprovada à esquerda, ficará assegurada a revogação da lei de Cavaco Silva, que é danosa para o Serviço Nacional de Saúde, e será possível em tempo próprio uma decisão clara sobre o regime de gestão das unidades do SNS", disse.

No parlamento, o grupo de trabalho da Nova Lei de Bases de Saúde deverá prosseguir na terça-feira com a "discussão das propostas de alteração" e votações indiciárias (ou indicativas) no âmbito da proposta de lei.

Notícias ao Minuto | Lusa

 

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2019/06/portugal-pcp-reafirma-impedimento-de.html

Artigos relacionados

Portugal mantém baixa taxa de mortalidade infantil
Portugal mantém baixa taxa de mortalidade infantil As estimativas foram hoje divulgadas pela OMS e UNICEF e indicam que, no ano 2018, ocorreram três mortes por cada mil ... 19 views Fri, 20 Sep 2019, 00:23:19
40 anos do Serviço Nacional de Saúde
40 anos do Serviço Nacional de Saúde     É necessário voltar ao espírito do tempo em que se queria construir um país mais solidário e justo. ... 30 views Tue, 17 Sep 2019, 13:45:19
40 ANOS DE SNS
40 ANOS DE SNS   Passam 40 anos sobre a instituição do Serviço Nacional de Saúde. No quadro das transformações operadas na soci... 35 views Sun, 15 Sep 2019, 23:13:32
António Arnault
António Arnault     Conheci-o na Noruega, há quatro décadas, numa delegação parlamentar, que ele chefiava. Eu estava enc... 32 views Mon, 16 Sep 2019, 11:21:20
Portugal | Profissionais da saúde não merecem isto
Portugal | Profissionais da saúde não merecem isto     Manuel Molinos * | Jornal de Notícias | opinião   O facto de apenas admitir que uma mulher pu... 69 views Mon, 22 Jul 2019, 14:05:52
Antes rico e ter saúde do que pobre e doente
Antes rico e ter saúde do que pobre e doente Henrique Barros, que é presidente do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, em entrevista a um matut... 65 views Mon, 15 Jul 2019, 19:08:49

Saúde, Dossiê: Revisão da Lei de Bases da Saúde

  • Criado em .
  • Visualizações: 151

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • Vasco Graça updated his profile
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate