• Início
  • Artigos
  • Portugal
  • Crise política em déjà vu - sei o que fizeste numa primavera passada

Problemas estruturais no emprego continuam por resolver!

No 1º trimestre de 2019 verificou-se um aumento do emprego (+1,5%) e uma redução do desemprego em termos homólogos (-13,8%). No entanto, em termos trimestrais o desemprego e a taxa de desemprego cresceram, interrompendo a tendência que vinha desde o 2º trimestre de 2016 e, verifica-se uma desaceleração na criação de emprego desde o 1º trimestre de 2018.

precariedade dadosEm termos regionais é preocupante o crescimento do desemprego no Algarve em termos homólogos, ao contrário do que aconteceu em todas as restantes regiões. A taxa de desemprego passou de 7,6% no 1º trimestre de 2018 para o 9,4% no 1º trimestre de 2019.

Vários problemas continuam sem a resposta adequada. A precariedade mantém-se elevada, com um em cada cinco trabalhadores com contratos não permanentes, sendo dois em cada três no caso dos jovens menores de 25 anos; o desemprego de longa duração diminuiu mas atinge ainda cerca de 47% dos desempregados; apenas um em cada três desempregados tem protecção no desemprego sendo os montantes dessas mesmas prestações muito baixos - em média 492 euros, pouco acima do limiar de pobreza.

A criação de emprego está a fazer-se em grande parte nos serviços (+53 mil postos de trabalho, principalmente nas actividades administrativas e dos serviços de apoio, nas actividades de informação e de comunicação e nas actividades de consultoria, científicas, técnicas e similares) e menos na indústria (+23 mil postos de trabalho), havendo um recuo da agricultura (-3 mil postos de trabalho).

O emprego cresceu mais entre os trabalhadores com 45 e mais anos (+33,5 mil) e até mais de 65 anos (+22,3 mil), do que entre os mais jovens (+18,6 mil ate aos 25 anos e + 2 mil entre os 25 e os 34 anos), tendo o emprego da faixa etária dos 35 aos 44 diminuído (-2,8 mil), num quadro em que muitos trabalhadores continuam emigrados.

A percentagem de trabalhadores a receber menos de 600 euros diminuiu significativamente (de 25,6% para 17,3%) devido ao aumento do salário mínimo nacional, o que demonstra a importância do seu aumento, ainda que insuficiente. Mais de metade dos trabalhadores (55,5%) continuam a receber menos de 900 euros líquidos.

Há razões objectivas para revogar as normas que promovem e legitimam a precariedade - antecâmara do desemprego - quer no sector público quer no sector privado, dando cumprimento ao princípio de que a um posto de trabalho permanente tem de corresponder um vínculo efectivo.

A proposta de revisão da legislação laboral do Governo PS, viabilizada na generalidade por PS, PSD, CDS e PAN, vai, no entanto, no sentido contrário. Não só não dá resposta às justas reivindicações dos trabalhadores, como irá acentuar a precariedade - e mais tarde o desemprego - com o aumento do período experimental para os trabalhadores à procura do primeiro emprego e desempregados da longa duração, a generalização dos contratos de muito curta duração a todos os sectores de actividade, a legitimação da precariedade e da ilegalidade dos contratos a prazo mediante o pagamento de uma taxa à Segurança Social, caso a média da precariedade sectorial seja ultrapassada.

A CGTP-IN continuará a mobilizar os trabalhadores para a luta pela defesa do emprego e contra as normas gravosas da legislação laboral, que facilitam a exploração, o empobrecimento e acentuam as desigualdades e as injustiças sociais.

Lisboa, 08.05.2019

DIF/CGTP-IN

Ver original aqui

Artigos relacionados

Ministro quer justificar luta nas escolas com o fim da anterior soluçã...
Ministro quer justificar luta nas escolas com o fim da anterior soluçã... Tiago Brandão Rodrigues, que não se lembra da luta dos auxiliares de educação na anterior legislatura ou no início des... 28 views Wed, 13 Nov 2019, 13:45:03
O trabalho como dor e como criação
O trabalho como dor e como criação Em 1849, no texto intitulado  «Trabalho, Assalariado e Capital», Karl Marx definia o salário como a quantidade ... 39 views Sun, 10 Nov 2019, 15:10:47
Trabalhadores da CP aprovam estratégia que levarão à mesa da negociaçã...
Trabalhadores da CP aprovam estratégia que levarão à mesa da negociaçã... As organizações sindicais que representam os trabalhadores da CP reuniram-se esta quinta-feira para determinar a inter... 31 views Fri, 08 Nov 2019, 17:44:23
De um décimo para um quinto com SMN
De um décimo para um quinto com SMN Só falta concluir correctamente !     (clicar para aumentar) "Ainda de acordo com os últimos da... 26 views Fri, 08 Nov 2019, 13:16:37
Economia «suporta e beneficia» com subida do SMN para 850 euros
Economia «suporta e beneficia» com subida do SMN para 850 euros O secretário-geral da CGTP-IN defendeu esta manhã que a economia nacional não só suporta o aumento do salário mínimo n... 30 views Wed, 06 Nov 2019, 18:28:18
Assinado acordo final para o sector de mercadorias
Assinado acordo final para o sector de mercadorias O texto final do contrato colectivo de trabalho para o sector rodoviário de mercadorias foi assinado esta manhã e, par... 32 views Tue, 29 Oct 2019, 17:54:12

Trabalho

  • Criado em .
  • Visualizações: 121

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • Vasco Graça updated his profile
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate