• Início
  • Artigos
  • Portugal
  • Luta pela urgência de mais funcionários na Escola BS Oliveira Júnior

Problemas estruturais no emprego continuam por resolver!

No 1º trimestre de 2019 verificou-se um aumento do emprego (+1,5%) e uma redução do desemprego em termos homólogos (-13,8%). No entanto, em termos trimestrais o desemprego e a taxa de desemprego cresceram, interrompendo a tendência que vinha desde o 2º trimestre de 2016 e, verifica-se uma desaceleração na criação de emprego desde o 1º trimestre de 2018.

precariedade dadosEm termos regionais é preocupante o crescimento do desemprego no Algarve em termos homólogos, ao contrário do que aconteceu em todas as restantes regiões. A taxa de desemprego passou de 7,6% no 1º trimestre de 2018 para o 9,4% no 1º trimestre de 2019.

Vários problemas continuam sem a resposta adequada. A precariedade mantém-se elevada, com um em cada cinco trabalhadores com contratos não permanentes, sendo dois em cada três no caso dos jovens menores de 25 anos; o desemprego de longa duração diminuiu mas atinge ainda cerca de 47% dos desempregados; apenas um em cada três desempregados tem protecção no desemprego sendo os montantes dessas mesmas prestações muito baixos - em média 492 euros, pouco acima do limiar de pobreza.

A criação de emprego está a fazer-se em grande parte nos serviços (+53 mil postos de trabalho, principalmente nas actividades administrativas e dos serviços de apoio, nas actividades de informação e de comunicação e nas actividades de consultoria, científicas, técnicas e similares) e menos na indústria (+23 mil postos de trabalho), havendo um recuo da agricultura (-3 mil postos de trabalho).

O emprego cresceu mais entre os trabalhadores com 45 e mais anos (+33,5 mil) e até mais de 65 anos (+22,3 mil), do que entre os mais jovens (+18,6 mil ate aos 25 anos e + 2 mil entre os 25 e os 34 anos), tendo o emprego da faixa etária dos 35 aos 44 diminuído (-2,8 mil), num quadro em que muitos trabalhadores continuam emigrados.

A percentagem de trabalhadores a receber menos de 600 euros diminuiu significativamente (de 25,6% para 17,3%) devido ao aumento do salário mínimo nacional, o que demonstra a importância do seu aumento, ainda que insuficiente. Mais de metade dos trabalhadores (55,5%) continuam a receber menos de 900 euros líquidos.

Há razões objectivas para revogar as normas que promovem e legitimam a precariedade - antecâmara do desemprego - quer no sector público quer no sector privado, dando cumprimento ao princípio de que a um posto de trabalho permanente tem de corresponder um vínculo efectivo.

A proposta de revisão da legislação laboral do Governo PS, viabilizada na generalidade por PS, PSD, CDS e PAN, vai, no entanto, no sentido contrário. Não só não dá resposta às justas reivindicações dos trabalhadores, como irá acentuar a precariedade - e mais tarde o desemprego - com o aumento do período experimental para os trabalhadores à procura do primeiro emprego e desempregados da longa duração, a generalização dos contratos de muito curta duração a todos os sectores de actividade, a legitimação da precariedade e da ilegalidade dos contratos a prazo mediante o pagamento de uma taxa à Segurança Social, caso a média da precariedade sectorial seja ultrapassada.

A CGTP-IN continuará a mobilizar os trabalhadores para a luta pela defesa do emprego e contra as normas gravosas da legislação laboral, que facilitam a exploração, o empobrecimento e acentuam as desigualdades e as injustiças sociais.

Lisboa, 08.05.2019

DIF/CGTP-IN

Ver original aqui

Artigos relacionados

Aumenta a não renovação de contratos a mulheres grávidas
Aumenta a não renovação de contratos a mulheres grávidas Em 2018, houve 1500 não renovações comunicadas junto do Ministério do Trabalho. Muitas empresas continuam a não justif... 14 views Fri, 20 Sep 2019, 14:29:01
O salário mínimo de que Costa se orgulha existiria se não fossem os ac...
O salário mínimo de que Costa se orgulha existiria se não fossem os ac... (Daniel Oliveira, in Expresso Diário, 12/09/2019)   Ajude a Estátua de Sal. Click aqui   Há un... 28 views Sun, 15 Sep 2019, 00:55:52
Greve para defender a Tapada de Mafra
Greve para defender a Tapada de Mafra Governo insiste em manter em funções directora condenada por assédio pela ACT. O património ambiental está em causa po... 28 views Fri, 06 Sep 2019, 22:31:06
Fábrica de têxteis encerra nas férias e deixa 60 trabalhadoras sem emp...
Fábrica de têxteis encerra nas férias e deixa 60 trabalhadoras sem emp... A carta de despedimento chegou a 26 de Agosto e deixou 60 funcionárias desempregadas e surpreendidas com o encerrament... 28 views Thu, 05 Sep 2019, 15:25:37
Greve na Novares de Leiria arranca com grande adesão
Greve na Novares de Leiria arranca com grande adesão O turno das 5h da manhã ficou comprometido devido à paralisação dos trabalhadores da fábrica da indústria automóvel, q... 82 views Wed, 04 Sep 2019, 23:49:32
Ministério do Trabalho continua sem rever salários dos trabalhadores a...
Ministério do Trabalho continua sem rever salários dos trabalhadores a... A revisão da Portaria de Condições de Trabalho para os trabalhadores administrativos ainda não foi concretizada, deixa... 62 views Mon, 26 Aug 2019, 15:10:17

Trabalho

  • Criado em .
  • Visualizações: 108

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • Vasco Graça updated his profile
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate