• Entrada
  • Artigos
  • Portugal
  • Da importância da música para pastores e domadores
  • Carlos de Matos Gomes in 'O TORNADO'
  • Portugal

Da importância da música para pastores e domadores

A propósito da vitória de Bolsonaro no Brasil, João Miguel Tavares escreveu no Público de 29 de Outubro uma reflexão típica de intelectual clássico sobre a eficácia nula dos intelectuais sobre as massas.

"As elites artísticas, intelectuais e jornalísticas têm de meter na cabeça de uma vez por todas que a sua influência sobre o povo, na hora do voto, é nula. Que os seus poderes de mediação e de persuasão, na era das redes, evaporaram-se de vez. Que ter escritores, comentadores, historiadores, músicos ou jornais a criar vídeos, e manifestos, e hashtags, e editoriais, e o diabo a quatro, onde do alto da sua imensa sabedoria tentam explicar ao povo brasileiro (como já haviam tentado explicar ao povo americano) em quem ele deve votar, é uma ridícula figura, por uma razão muito simples – aquele voto, o voto de dezenas de milhões de brasileiros e de norte-americanos, também é contra nós. Quando eu digo “contra nós” refiro-me a uma elite privilegiada, da qual eu próprio faço parte, e que ao longo dos séculos se convenceu de que a sua missão no mundo era desempenhar o papel social de porta-voz das minorias, dos descontentes, dos pobres, dos oprimidos, e que através desse movimento foi valorizando o seu próprio papel no mundo, assumindo-se como proprietária da boa consciência da humanidade, e acreditando que existia uma linha inquebrantável com o povo sofredor, que ela compreendia como ninguém.”

A questão intelectual da ineficácia dos intelectuais não é de agora, nem das redes sociais. É milenar. Os textos de Aristóteles sobre a virtude e a moral são comprovadamente ineficazes. Tanto como a Utopia de Thomas Moore, ou a Declaração Universal dos Direitos do Homem, ou as Constituições dos vários estados do planeta, incluindo a dos pais fundadores dos Estados Unidos. Ou até o hino da alegria com música de Beethoven e letra de Schiller. A estátua da Liberdade de Nova Iorque é um êxito de estética, mas não de eficácia na promoção do produto que representa. O insucesso de escritores, filósofos, músicos, escultores, pensadores do mundo em geral é a prova de eles pertencem a uma outra espécie de seres humanos. São como os pavões entre as aves, não dão de comer ao povo. O êxito entre as aves são os frangos, é conseguir  fazer dos bandos frangos de aviário que servem para churrascos. Os intelectuais clássicos (há outros, como veremos, eficazes), além de ineficazes são inúteis como os pavões.

Por mim, que sou agnóstico desde os 16 anos, há muito que deixei de acreditar na eficácia da catequese e nos sermões. Vivo na sombra dos cínicos e dos céticos, assisto ao espectáculo dos pragmáticos. Um intelectual clássico, entendido como alguém que reflicta sobre a injustiça, ou sobre a origem do mal, ou da pobreza, é como um animal num jardim zoológico convencido que a sua gaiola é o mundo real. Eu assumo que sou animal criado em cativeiro que os amigos dirão cantar e os inimigos zurrar. Uma morsa de oceanário, parece-me bem. O que escrevo, sejam os romances, sejam os comentários ao que se passa à minha volta são reflexões, não para missionar, ou mudar o mundo, alertando os seus habitantes, mas para partilhar com os meus companheiros de aquário enquanto não chega a próxima refeição. Para partilhar com pessoas que julgo pertenceram à minha espécie. Quanto aos outros a minha posição é idêntica à que tenho com as várias espécies de animais, e até vegetais, já agora.

Com os animais podemos estabelecer relações de afectos mais ou menos intensos, pode parecer que eles nos entendem e nós a eles, mas quem já amestrou cavalos, ou cães, por exemplo, sabe das limitações do diálogo, e que nem os amestradores estão livres de um coice ou de uma mordedura, nem os bichos de levarem uma chicotada ou um pontapé, ou de serem abandonados. Até quando às espécies vegetais as dificuldades de relacionamento são as mesmas que entre os intelectuais clássicos e a massa. Os intelectuais clássicos como eu e outros podemos fazer os melhores discursos para proteger as matas de Monchique e de Pedrógão que elas serão pasto das chamas e estão à mercê de qualquer incendiário pragmático: o povo gosta do espectáculo e a lenha dá dinheiro. Parece que o Bolsonaro vai pegar fogo a parte da Amazónia e não são as palavras dos intelectuais que salvarão as árvores, nem os índios. O Bolsonaro não precisa de convencer as árvores com argumentos racionais, nem os índios. Precisa de força para incendiar umas e eliminar os outros! Ele é um intelectual prático, como os que Maquiavel louvou ao escrever que a experiência mostra que só fizeram grandes coisas aqueles príncipes que tiveram em pouca conta as promessas feitas e que, com astúcia, souberam transtornar as cabeças dos homens.

As massas humanas são como as árvores e estão à mercê dos incendiários. Os intelectuais clássicos, a que JMT se referia, funcionam como as agulhetas dos bombeiros, podem ajudar a apagar uma fogueira, mas são completamente ineficazes num grande incêndio.

O grande e antiquíssimo erro dos intelectuais clássicos é o de todos verem o mal nos outros e nunca em si, de julgarem os outros por si mesmos. Julgarem que os outros se comportam determinados pela razão e não pelos instintos. Ora, o primeiro dos instintos de todos os seres é a sobrevivência. A razão não nos faz sobreviver, faz-nos viver, o que é distinto. Entre a fé a razão, as massas escolhem a fé. Ora os intelectuais utilizam a razão (tant bien que mal) para explicar o que as massas sentem. É uma luta perdida. Todos os grandes movimentos sociais assentaram na fé, em promessas, em justificações milagrosas, em assaltos. O assalto à Bastilha ou ao palácio de Inverno não foram racionais, foram uma demonstração de intelectuais eficazes sobre as massas. Os sans coulottes da revolução francesa, os  bedniaks, e serednniasks e kulaks, os camponeses russos, foram apenas a carne para canhão dos intelectuais eficazes, desempenharam o mesmo papel dos votantes de ontem no Brasil e de crentes na IURD de todos os dias.

A questão do uso da razão impõe aos intelectuais eficazes um problema muito sério. Para serem eficazes, como actualmente são Trump, Bolsonaro, ou o bispo Macedo têm de se castrarem de um elemento que os intelectuais clássicos costumam prezar: a moral. O intelectual clássico apresenta-se às massas como alguém que utiliza os seus dons de inteligência para o bem delas, foi o caso de Aristóteles, de santo Agostinho, de Hobbes, de Kant. Esses são os derrotados, como Francisco de Assis, que acabou a falar aos peixes. Os intelectuais vitoriosos são os que se despojaram da moral. Os casos mais próximos e à mão são os que ganharam eleições na América, no Brasil, na Itália, são os que inventaram igrejas e deuses-mealheiro. Na realidade esses são os intelectuais eficazes, de grande sucesso, os que sabem tocar a flauta de Hamelin e levar os ratos atrás de si.

Aquilo que hoje define um intelectual não é que reflicta sobre o conflito e o compromisso, mas que saiba tocar a música de levar os ratos a atirarem-se aos abismo a cantar, ou a sambar.

Nota final:

este é um texto de intelectual elitista e marginal

Ver original em 'O TORNADO' na seguinte ligação:

https://www.jornaltornado.pt/da-importancia-da-musica-para-pastores-e-domadores/

Artigos relacionados

 O que é 'capital fictício'?
O que é 'capital fictício'? por Marx Memorial Library O "ouro das fadas" nas fábulas infantis é dinheiro mágico – uma fortuna que logo se desfaz... 53 views Wed, 13 May 2020, 14:17:49
Em jeito de reflexão sobre a reação de um grande amigo ao meu texto “2...
Em jeito de reflexão sobre a reação de um grande amigo ao meu texto “2...    Por Francisco Tavares em 12/05/2020   Sobre o texto que escrevi “25 de Abril hoje, 2020”, diz-... 67 views Wed, 13 May 2020, 14:47:02
 O capital em coma induzido
O capital em coma induzido por José Martins [*] Daqui para a frente os capitalistas de todo o mundo sentirão mais intensamente o gosto amargo d... 79 views Wed, 06 May 2020, 15:00:21
Leitura #8 - Manter o poder conquistado
Leitura #8 - Manter o poder conquistado   Os primeiros tempos da Revolução de Outubro são de uma extraordinária dureza. O Imperialismo recusa a oferta... 45 views Tue, 28 Apr 2020, 17:05:56
 Ao camarada Lenine, no seu 150º aniversário
Ao camarada Lenine, no seu 150º aniversário por Vijay Prashad [*]  Vladimir Ilyich Ulyanov (1870-1924) era conhecido por seu pseudônimo – Lenin. Ele era, as... 121 views Fri, 24 Apr 2020, 11:14:28
Lenine
Lenine Todos concordarão em que seria insensata e até criminosa a conduta de um exército que não esteja preparado para domi... 127 views Wed, 22 Apr 2020, 23:25:30

Teoria, Intelectualidade

  • Criado em .
  • Visualizações: 242

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Publicações mais recentes

Filtrar por categoria
31, maio 2020

China | Duas reuniões fora do normal

em Mundo

por Página Global

    David Chan* | Plataforma | opinião   Na passada quinta e sexta-feira tiveram lugar as «Duas Reuniões» da Assembleia Popular Nacional e da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, adiadas devido à pandemia.…
31, maio 2020

Cascais soma mais 5 novos infectados aumentando para 551 casos

em Cascais

por Portal CASCAIS

  No relatório de hoje, da Direcção Geral da Saúde (DGS) registou 5 novos casos no número de infectados com o COVID-19 no Concelho de Cascais, subindo para 551 casos confirmados em Cascais. Os dados da…
31, maio 2020

PONTO – NEWSLETTER – INFORMAÇÃO SEM RUÍDO – PARCERIA com BRASIL DE FATO

em Mundo

por joaompmachado in 'A Viagem dos Argonautas'

  Selecção de Camilo Joseph   29 de maio de 2020   Olá,   o Brasil se torna definitivamente o epicentro mundial da pandemia de coronavírus, o que poderia ser evitado se tivéssemos um governo…
31, maio 2020

Emmanuel Macron diz que é tempo de pensar o impensável. Entrevista ao Financial Times

em Mundo

por franciscogtavares in 'A Viagem dos Argonautas'

Seleção e tradução de Francisco Tavares   Emmanuel Macron diz que é tempo de pensar o impensável. Entrevista ao Financial Times O presidente da França acredita que a pandemia do coronavírus transformará o capitalismo –…
31, maio 2020

A vingança do estado contra o mercado

em Mundo

por Brasil24/7

    A ascensão do neoliberalismo foi feito às custas de desqualificar o Estado. Que seria ineficiente, burocrático, arrecadador excessivo de impostos, que gastaria mal, que seria fonte da corrupção na sociedade. O Estado teria…
31, maio 2020

O espelho da pandemia

em Portugal

por Duarte Caldeira in AbrilAbril

Apesar de há 46 anos ter ocorrido uma revolução democrática e de o país ter evoluído em diversos indicadores, a Covid-19 revelou alguns problemas na sociedade que estão a montante da pandemia. A emergência sanitária…
31, maio 2020

CARTA DE BRAGA – “relato sobre as minhas algibeiras” por António Oliveira

em Mundo

por clara castilho in 'A Viagem dos Argonautas'

  ‘Aceito lições de quem é virtuoso, mas da Holanda, transformado no maior paraíso fiscal europeu, não aceito lições, era o que faltava! As lições aceito-as em alemão, não em flamengo!’ Este ‘desabafo’ de Romano…
31, maio 2020

Trabalhadores da Autoeuropa temem perda de centenas de postos de trabalho

em Portugal

por Lusa in ZAP

  A entidade coordenadora das Comissões de Trabalhadores da Autoeuropa assumiu hoje, em comunicado, recear a perda de centenas de empregos no parque industrial, que está sem condições para trabalhar sete dias por semana, após…
31, maio 2020

Ricos, pobres e mal agradecidos

em Mundo

por in 'Estátua de Sal'

(Miguel Sousa Tavares, in Expresso, 30/05/2020) Miguel Sousa Tavares Numa sociedade decente, os pobres têm direito a esperar que os impostos sobre os ricos não os deixem cair na miséria nem no abandono: não é…
31, maio 2020

Os ignorados e os invisíveis

em Portugal

por in 'Estátua de Sal'

(José Pacheco Pereira, in Público, 30/05/2020) Pacheco Pereira A pandemia,, que poderia ter tido um efeito de revelação da realidade, acaba por não o ter, não por causa do excesso de visibilidade de alguns, mas…
31, maio 2020

BE e CDS rejeitam “paraministros”. Só negoceiam com Costa e Centeno

em Portugal

por ZAP in ZAP

  O Bloco de Esquerda e CDS rejeitam negociações com “paraministros”, sublinhando que só discutem com membros do Governo, comentando a manchete do Expresso segundo a qual um gestor petrolífero está a assumir esse papel.…
31, maio 2020

Os adoradores do cao

em Mundo

por Abril de Novo Magazine

    Ajoelhados perante a “democracia” estadunidense, persignando-se frente ao dólar-cruz, os humanistas de máscara no bestunto olham-se nesse espelho onde escorre sangue e acham-se bonitos. No reflexo desse caco repugnante encontramos o Ministro dos…
31, maio 2020

Como idoso acho repugnante

em Portugal

por Abril de Novo Magazine

    Agostinho Lopes como idoso acho repugnante   Ou a suma hipocrisia. Há coisas que fazem revolver as tripas, sem ser comida estragada. No Público de 02MAI20 vem publicada a Opinião colectiva de um…
31, maio 2020

Os salazaristas e o neofascismo português

em Portugal

por Carlos Esperança in 'PONTE EUROPA'

  Os meus leitores habituais hão de ter notado que, cada vez que acuso a ditadura fascista, surgem salazaristas a defendê-la. As datas do opróbrio são para eles facadas, os crimes meros acidentes e a…
31, maio 2020

Moro tem palestra cancelada na Argentina e critica 'intolerância' e 'polarização' no país

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© REUTERS / Agustin Marcarian Após ter palestra virtual que realizaria para Universidade de Buenos Aires cancelada, ex-ministro da Justiça Sergio Moro disse que "houve um misto de intolerância e de pressão política num cenário…
31, maio 2020

Mais 13 mortos e 257 infetados com covid-19 em Portugal

em Portugal

por Página Global

    Há mais 13 óbitos associados à covid-19, 257 novos casos diagnosticados e mais 275 doentes recuperados nas últimas 24 horas.   No total, Portugal já registou 32203 casos de infeção (dos quais, 19186…
31, maio 2020

Onde está a liberdade de imprensa nos EUA?

em Mundo

por Página Global

    Em Minneapolis, uma equipe da CNN foi presa ao noticiar sobre os protestos populares. Uma prática autoritária inaceitável, sobretudo num país que tanto ostenta sua preocupação com a liberdade, opina Carla Bleiker.  …
31, maio 2020

Série da Netflix revela falhas nas investigações sobre quem matou Malcolm X, em 1965

em Mundo

por Marcos Aurélio Ruy, em São Paulo in 'O TORNADO'

Quais as semelhanças entre as investigações dos assassinatos do importante ativista pela igualdade racial nos Estados Unidos, Malcolm X, em 1965, e da então vereadora do PSol, Marielle Franco, em 2018?     As investigações…
31, maio 2020

Trump e a censura nas redes sociais

em Mundo

por António Duarte

«Usuário assíduo do Twitter, onde conta com mais de 80 milhões de seguidores, o presidente dos EUA teve algumas de suas postagens recentes moderadas pelo microblog. Na última terça-feira (26), duas de suas publicações sobre…
31, maio 2020

União Europeia pede que EUA reconsiderem decisão de sair da OMS

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© REUTERS / Jonathan Ernst Neste sábado (30), o chefe de Relações Exteriores da União Europeia (UE), Josep Borrell e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, pediram aos Estados Unidos por meio…
31, maio 2020

Portugal | A pobreza dá menos saúde

em Portugal

por Página Global

    Inês Cardoso | Jornal de Notícias | opinião Muitos defensores de um confinamento rígido, prolongado se possível até que haja vacina para a covid-19, insistem no argumento de que a economia não pode…
30, maio 2020

Recibos verdes e sócios-gerentes já podem pedir apoio relativo a maio

em Portugal

por Lusa in ZAP

  O formulário para os trabalhadores independentes e sócios-gerentes pedirem o apoio criado no âmbito da pandemia covid-19, relativo a maio, fica hoje disponível na Segurança Social Direta, podendo ser entregue até 9 de junho.…
30, maio 2020

Brasil tem mais de 100 crianças e jovens até 19 anos mortos pela Covid-19

em Mundo

por Brasil24/7

    247 - O Brasil tem 141 crianças e jovens até 19 anos mortos por conta do coronavírus, de acordo com o último boletim do Ministério da Saúde. Foram ao menos 42 vítimas menores…

Últimos posts (Cascais)

Itens com Pin
Atividades Recentes
Aqui ainda não existem atividades

Últimos posts (País e Mundo)

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • Plataforma Cascais juntou-se ao grupo Conversando sobre o País e o Mundo
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate