portugal001Diferentes perspetivas informativas e opinativas sobre o país

Covid-19 matou menos do que a gripe em Portugal (e foi graças à quarentena)

 

Até agora, a pandemia de covid-19 foi menos mortal do que algumas das ondas mais letais de gripe dos últimos anos, de acordo com os dados da Direcção-Geral da Saúde (DGS). Mas, ainda assim, a infecção provocada pelo coronavírus levou a um aumento das mortes no país.

 

Portugal conseguiu evitar o cenário trágico de países como Espanha e Itália, onde as mortes devido à covid-19 chegaram a triplicar a mortalidade verificada em picos de gripe em anos anteriores.

A DGS conta 2.700 mortes por semana no pico da covid-19, o que constitui um número inferior ao registado no início do ano e desde 2017 nos picos da gripe, de acordo com dados divulgados pelo Jornal de Negócios.

Este resultado terá sido conseguido devido às medidas de confinamento impostas pelo Governo a 19 de Março.

Mas, ainda assim, a covid-19 teve um impacto no aumento da mortalidade em Portugal nos últimos meses. Em Março e Abril, morreram 21 mil pessoas, mais 13% do que a média registada no mesmo período entre 2009 e 2019, segundo os dados divulgados pelo Negócios.

O total de mortes desde o início do ano foi de 48,5 mil pessoas, mais 1% do que em 2019 e mais 6% do que a média entre 2009 e 2019.

“Este ano tivemos um inverno ameno. Sentimos algum impacto na mortalidade relacionado com a epidemia de gripe. No entanto, a partir de Março, detectámos um padrão de mortalidade diferente porque em vez de baixar, como seria natural, aumentava ligeiramente, e isso foi reportado às...

Covid-19

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 65

Hotelaria vai reabrir de forma gradual, mas sem baixar preços

 

A hotelaria vai reabrir de forma gradual. Os preços vão ser mantidos, independentemente de ocorrer uma quebra na procura.

 

Vários estabelecimentos turísticos já anunciaram a reabertura para o início do próximo mês, numa altura em que os portugueses estão a ser incentivados a fazer férias cá dentro. A retoma, segundo o Negócios, será feita de forma gradual e o setor está focado em manter os preços, independentemente de ocorrer uma quebra da procura.

A exceção é o alojamento local, onde os preços deverão aumentar, avança o diário económico esta sexta-feira.

Nenhum dos hoteleiros contactados pelo matutino arrisca avançar números, mas, numa primeira fase, a ocupação será baixa, ficando abaixo da metade da capacidade. João Pinto Coelho, diretor comercial do grupo Onyria, explicou que, “uma vez que este será um ano atípico, em que dependeremos sobretudo do mercado interno, é muito arriscado fazer previsões, mas vai ser difícil chegar a uma ocupação de 50% no verão”.

No último trimestre, segundo antecipa o presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), Raul Martins, a retoma de alguns eventos (ainda que de menor dimensão) e a prática de golfe, cuja época alta começa após o verão, poderão impulsionar o setor hoteleiro.

Contudo, apesar de a procura se antecipar baixa nos próximos meses, não será pelo preço que este setor irá procurar compensar esta quebra. “Os turistas não virão mais ou menos por causa do preço. Virão por...

Turismo

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 35

Novos casos de covid-19 continuam a subir (e 92% são na Grande Lisboa)

 

Portugal regista hoje 1.383 mortes relacionadas com a covid-19, mais 14 do que na quinta-feira e 31.946 infectados, mais 350, segundo o boletim da Direcção-Geral da Saúde (DGS). A larga maioria dos novos casos continua a ser na região de Lisboa.

 

Em comparação com os dados de quinta-feira, em que se registavam 1.369 mortos, há um aumento de óbitos de 1%.

Relativamente ao número de casos confirmados de infecção (31.946), os dados da DGS revelam que há mais 350 casos do que na quinta-feira (31.596), representando uma subida de 1,1%.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (769), seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo (346), do Centro (237), do Algarve (15), dos Açores (15) e do Alentejo, que regista um óbito, adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados actualizados até às 24 horas de quinta-feira, mantendo-se a Região Autónoma da Madeira sem registo de óbitos.

O número de recuperados sobe para 18.911, mais 274 do que na quinta-feira. Isto significa que 59,2% das pessoas infectadas já recuperaram.

Mas segundo os números de hoje, há mais 62 casos activos da infecção num total de 11.652.

A taxa de mortalidade global mantém-se nos 4,3%, mas sobe para 16,9% na faixa acima dos 70 anos.

O relatório da DGS aponta que há 1.568 casos a aguardar resultados de testes laboratoriais e quase 28 mil pessoas sob vigilância das autoridades sanitárias.

Calamidade prolongada nas ilhas Terceira e São Miguel

O...

Covid-19

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 26

Escoamento de produção espanhola

 
Esperemos que desta vez não apareça nenhum ministro na inauguração com loas ao investimento…
Uma boa notícia para a produção espanhola e má para o comércio local
O 12.º supermercado que a Mercadona vai abrir em Portugal fica em Santo Tirso, na Rua dos Trabalhadores do Arco, e já tem data de abertura: 25 de junho.
 
 
Será o segundo supermercado da retalhista espanhola a abrir este ano em Portugal – depois de ter comunicado que o de Aveiro abrirá a 16 de junho – dos 10 que pretende inaugurar em 2020 no nosso país.
 

Via: FOICEBOOK https://bit.ly/3gCrKXV

Ver original em 'Abril de Novo Magazine' na seguinte ligação:

https://abrildenovomagazine.wordpress.com/2020/05/29/escoamento-de-producao-espanhola/

Capital

  • Criado em .
  • Visualizações: 30

Greve nos CTT reclama direitos para estes trabalhadores «indispensáveis»

A greve dos trabalhadores dos CTT contra a imposição do pagamento do subsídio de alimentação em cartão de refeição arrancou com uma adesão de 92% na central de Lisboa.

Piquete de greve dos CTT, Cabo Ruivo, Lisboa, 29 de Maio de 2020CréditosMÁRIO CRUZ / LUSA

«A adesão é de 92%. Em cem trabalhadores que estavam escalados houve apenas oito que furaram a greve», disse o dirigente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT/CGTP-IN), Victor Narciso, aos cerca de 40 trabalhadores dos CTT que estavam no piquete da Estação de Cabo Ruivo, em Lisboa.

De acordo com o sindicato, os trabalhadores não aceitam a imposição de atribuição de um cartão de refeição do Banco Santander como forma de pagamento do subsídio de alimentação, substituindo, assim, o pagamento no vencimento mensal por transferência bancária, como era feito até agora.

O SNTCT denuncia as ameaças da administração em recorrer ao lay-off, mesmo sabendo que não existia base legal para o aplicar, por causa de um «pretenso terramoto nas receitas». Segundo o sindicato, os CTT pretendem, através desta medida, poupar quase dois milhões de euros em impostos reduzindo o valor das prestações sociais a que os trabalhadores têm direito.

Para além desta medida, que constituiu a «gota de água», a greve engloba também outras reivindicações, como os aumentos salariais e a admissão de mais trabalhadores para diminuir a carga horária.

José Manuel Oliveira, dirigente...

Trabalho, Luta

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 34

Teletrabalho deve passar a implicar acordo escrito já a partir de segunda-feira

 

Na próxima segunda-feira, dia 1 de junho, as leis do Código do Trabalho voltam a vigorar até deliberação contrária do Governo. O regime de teletrabalho pode passar por um acordo escrito entre trabalhador e empresa.

 

O Governo anunciou a reposição do Código de Trabalho a partir do dia 1 de junho, e este exige que haja um acordo escrito entre trabalhadores e entidade empregadora, quer o teletrabalho seja em regime total ou parcial, avança o Observador.

Um especialista em direito do trabalho alertou, em declarações ao Diário de Notícias, para a necessidade de criar um regime de “teletrabalho misto ou híbrido, em que uma parte da prestação é executada em modalidade de teletrabalho e outra presencialmente”.

Acontece que este regime já está previsto nas leis do trabalho, e passa pela existência de um acordo escrito que detalhe o período, a propriedade dos meios de trabalho e o pagamento de despesas. Poderá, contudo, haver exceções no caso dos trabalhadores que fazem parte de grupos de risco e/ou que tenham filhos a cargo.

António Costa garantiu, a 15 de maio, que a partir desta segunda-feira “aquilo que voltará é a legislação normal”, que prevê que a continuação em teletrabalho seja acordada entre empresa e trabalhador.

Um dia depois, a 16 de maio, o diploma reiterou que “o regime de prestação subordinada de teletrabalho pode ser determinado unilateralmente pelo empregador ou requerida pelo trabalhador, sem necessidade de acordo das...

Trabalho

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 24

Queixas sobre apoios à Cultura são «às dezenas»

O CENA-STE já recebeu «dezenas de queixas» sobre os apoios da Câmara de Lisboa para o sector da Cultura. Autarquia só considerou as propostas recebidas nas primeiras semanas.

Créditos / Lendias d'Encantar

«Quando os profissionais que se candidataram perceberam que o prazo do concurso nem sequer chegou ao fim, porque se atingiu o limite do financiamento, ficaram desapontados e confusos. Não percebem quais são os critérios que levam a que o colega do lado tenha apoio e eles não», declarou ao AbrilAbril Rui Galveias, membro da direcção do Sindicato dos Trabalhadores de Espectáculos, do Audiovisual e dos Músicos (CENA-STE/CGTP-IN), defendendo que a atribuição de apoios «não é uma corrida», em que saem beneficiados os que chegam primeiro.

Em causa está o «regime extraordinário de atribuição de apoios financeiros urgentes e imediatos aos agentes e entidades» do sector da Cultura, aprovado no início de Abril pela Câmara de Lisboa, devido ao surto de Covid-19, em que ficou estabelecido que as candidaturas poderiam ser entregues a partir de 20 de Abril e seriam recebidas «até ao limite da dotação disponível ou até 30 de Junho de 2020».

Na terça-feira, a Câmara de Lisboa anunciou que as candidaturas à vertente Cultura do Fundo de Emergência Social do município, no âmbito da Covid-19, apresentadas após 5 de Maio já não serão consideradas, «por ter sido atingido o valor total da verba disponível». 

Registando «dezenas de queixas» de...

Cultura, Lisboa

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 65

Bons Padrinhos

Para uns a execução pura e simples que o digam as muitas familias que ficaram sem casa , para outros a ley off…mas para ” reis” com bons padrinhos outro galo canta. O Novo Banco o tal que tem gestores de ouro… Eles perdoam , nós pagamos…

“Já está! Assinada a salvação do rei dos cogumelos com perdão de 54 milhões

A escritura de venda dos créditos das instituições bancárias no grupo Sousacamp à capital de risco Core Capital, que conta com a participação da produtora de tomate Sugal, foi finalmente assinada esta quinta-feira, 28 de maio.

Em causa estava a venda dos créditos do Novo Banco e do Crédito Agrícola, os maiores credores da Sousacamp, que inicialmente tinham concordado em perdoar cerca de 37 milhões de euros, mas que entretanto acordaram em fazer um “haircut” adicional de dois milhões de euros.
Depois de ter aceitado perdoar 24 milhões dos mais de 34 milhões de euros que tinha a haver no grupo, o Novo Banco aceitou perdoar mais 1,4 milhões, enquanto o grupo Caixa Agrícola Mútuo, que já tinha feito um desconto de 11 milhões dos 15,9 milhões que reclamava, acabou por perdoar mais 700 mil euros.
Contas feitas, a Core Capital e a sua parceira Sugal irão ficar com o maior produtor nacional de cogumelos 
 
O grupo Sugal, um dos maiores produtores mundiais de tomate concentrado, que é detido pela família Ortigão Costa, já é acionista da Core Capital e terá uma participação direta de 10% no grupo Sousacamp.
 
O Novo...

Corrupção, clientelismo e lobismo, Capital

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 33

Governo desdobra-se em elogios ao Estado social. Oposição aponta falhas e “cifras negras”

 

Para Ana Mendes Godinho, a crise pandémica veio mostrar que o Estado Social é “quem responde a quem precisa, quanto mais precisa”.

 

No debate desta quinta-feira, no Parlamento, a líder parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes, deu início à sessão dizendo que a covid-19 mostrou que foi a “existência de um Estado Social e não de um Estado assistencialista, que permitiu a resposta sanitária à pandemia através da mobilização do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”.

A ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho, sustentou a ideia com números, afirmando que, até à data, existem 1,2 milhões de trabalhadores com apoios pagos e 140 mil empresas, no montante total de 620 milhões de euros.

A governante adiantou ainda que o lay-off simplificado permitiu salvaguardar 804 mil empregos em 9.500 empresas, no valor global de 470 milhões de euros.

“Isto representou uma grande capacidade de execução, com toda a dificuldade que tivemos para implementar medidas rápidas para chegar rapidamente às pessoas e conseguirmos cumprir. Se há coisa que temos que aprender é que há momentos em que aprendemos todos e que neste momento de dificuldade vem pedir resposta ao sistema social”, argumentou a ministra, citada pelo Expresso.

Mas as críticas não tardaram. “Acabei de ouvir referenciar o sucesso do SNS, mas parece-me exagerado. Mais de 1500 camas hospitalares com pessoas com alta médica, trata-se de um preocupante aumento face a 2019. Que medidas...

Assembleia da República

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 18

Portugal pode reduzir IVA da luz (mesmo sem a resposta definitiva de Bruxelas)

 

O Governo pode avançar com a redução do IVA da luz sozinho, uma vez que a Comissão Europeia ainda não decidiu sobre o pedido de Portugal.

 

De acordo com o Diário de Notícias, fonte da Comissão Europeia adiantou que a Comissão Europeia ainda não decidiu sobre o pedido de Portugal de reduzir o IVA da eletricidade consoante os escalões de consumo, mas que o Governo pode avançar com a medida, uma vez que o processo de consulta “é uma mera formalidade”.

“O processo de consulta é uma mera formalidade, uma vez que o Comité do IVA não pode aprovar ou rejeitar a medida sugerida”, referiu a fonte, em declarações ao DN, lembrando que “antes de aplicarem taxas reduzidas em algumas áreas, nomeadamente no que se refere ao gás natural, à eletricidade ou ao aquecimento urbano, os Estados membros devem consultar o Comité do IVA da União Europeia”

A única coisa que o Comité do IVA pode apontar são questões legais, “possíveis preocupações jurídicas em matéria fiscal causadas pela medida”, suscitando problemas de incompatibilidade com o direito comunitário.

Assim, Portugal pode avançar com a medida, estando sujeito a uma avaliação posterior. “Nesse caso, o Estado-membro poderá ser exposto se a validade da taxa for questionada perante os tribunais”, referiu a fonte.

A criação de taxas diferenciadas do imposto consoante os escalões de consumo está prevista no Orçamento do Estado para 2020, tendo o processo de consulta com Bruxelas arrancado em dezembro do...

Governação, União Europeia

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 19

Na minha terra, chama-se a isto…

…atirar o barro à parede.

A ver se pega.

Desta vez não pegou, e a má notícia foi prontamente desmentida. Mas quem lida com o IGEFE sabe bem que os contabilistas do ME não brincam em serviço.

Se enviaram o ofício às escolas a anunciar um corte de verbas é porque terão recebido orientações nesse sentido.

Em ocasião mais propícia, voltarão à carga…

«As escolas foram surpreendidas, esta semana, com o anúncio de cortes entre os 14 e 25% dos seus orçamentos. A denúncia foi feita esta quinta-feira, no Parlamento, pelo BE. O Ministério anunciou horas depois que foi um erro que não será cumprido.

Os agrupamentos receberam um ofício do Instituto de Gestão financeira da Educação (Igefe), esta semana, a comunicar-lhes cortes nos orçamentos entre 14 e 25%, alguns casos até superiores, garantiu ao JN o presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE). A deputada do BE Joana Mortágua denunciou a intenção durante a interpelação ao Governo, esta quinta-feira, no Parlamento. Horas depois o ME garantia que o documento foi um erro.

“A referida informação foi enviada, indevidamente, pelo que está a ser retirada. Não haverá cortes nas verbas atribuídas às escolas”, garantiu ao JN o gabinete do ministro, Tiago Brandão Rodrigues, através de uma resposta escrita.» (in Jornal de Notícias)

 

 

Educação

  • Criado em .
  • Visualizações: 60

Avivar memórias na informação

observador

O Observador
Dos meninos do dinheiro  & do J.Manuel Fernandes

“A publicação online é detida pela empresa Observador On Time,  tem no empresário português Luís Amaral o seu grande acionista. Através da Amaral e Hijas Holdings, o dono do grupo polaco Eurocash (uma das maiores empresas a atuar no país de leste  controla mais de 45,6% da dona do Observador que, de resto, conta com vários empresários portugueses no seu capital. É o caso de António Carrapatoso, ex-presidente da Vodafone Portugal, que através da Orientempo tem uma participação de 9,96%, e de António Alvim Champalimaud que controla 6,1% da Observador On Time (adquiridos pela Holdaco). A Ardma SGPS (de Pedro de Almeida, com 6,05%) e a Atrium Investimentos (de João Fonseca, com 5,44%) têm posições acima dos 5%. Entre os acionistas de referência da empresa destaque ainda para a Merino Investimentos (de Alexandre Relvas), a Lusofinança (de Filipe de Botton), António Viana Baptista, a Ribacapital (de João Talone) e Pedro Martinho.” CM
 Luís Amaral, ex-quadro da Jerónimo Martins. 
 António Pinto Leite, destacado advogado da MLGTS e presidente da Associação Cristã de Empresários e Gestores 
 António Viana Batista, membro da administração da Jerónimo Martins 
 Pedro de Almeida, dono da Ardma, holding do mercado de contentores, 
 João Fonseca, ex-diretor do Deutsch Bank e acionista de referência da Atrium, sociedade gestora de grandes...

Comunicação, Direita, Neoliberalismo

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 43

Quanto nos custará, afinal, esta “bandeira”?

(Joaquim Vassalo Abreu, 27/05/2020)

Eu sei que muitos virão dizer: mas quem já pagou, está a pagar e irá continuar durante muitos anos a pagar negras “bandeiras”, como o BPN, o BES e outros sacrossantos defuntos Bancos, continua a pagar as PPP’s e eu sei lá que mais negros negócios, porque não salvar esta “ Bandeira”, esta sim uma verdadeira Bandeira, como aquelas que a seguir referirei. 

 

Pois é, eu “dusoso” me confesso e, não tendo adequada e definitiva resposta, apenas me questiono. Eu sei o quanto o desaparecimento da TAP desagradável será para o Miguel ( de Sousa Tavares) pois lá tem em lugar destacado, e muitíssimo bem, a sua Mãe, como eu tenho o meu querido Ary dos Santos e todos temos nomes inesquecíveis da nossa História! Mas…

Antigamente os Mouzinhos da Silveira nas suas explorações selvas adentro, os Vascos da Gama mar adiante descobrindo novos mundos ou os Antónios Vieira pelos sertões Brasileiros pregando novas doutrinas, todos eles levavam à sua frente o porta estandarte com a nossa verde e rubra Bandeira. 

Também nas guerras de conquistas ou reconquistas também lá ela seguia bem altiva anunciando este nobre Povo e País, pequeno de origem mas grande de nome.

Agora e já de algumas décadas a esta parte dizem que não é nada a Selecção, nem é o Cristiano Ronaldo, o Mourinho ou muito menos o Fernando Santos. Nem tão pouco o Saramago, o Whils, a Paula Rego, a Maria João Pires, o Joaquim de Almeida, o Pepê Rapazote ou a Maria de Medeiros...

Transportes

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 39

Portugal | Salvar a TAP de si própria

 
 
Pedro Ivo Carvalho| Jornal de Notícias | opinião

A estratégia da TAP para o Aeroporto Francisco Sá Carneiro é a equivalente à de uma organização humanitária falida que quer continuar a aparecer na capa das revistas como boa samaritana: distribui umas migalhas aos indígenas para não ser acusada de os condenar à fome.

Como método, é uma nódoa, como tentativa de fuga, é embaraçoso. Sobretudo porque os indígenas habitam na Região Norte, logo aquela que, nos últimos anos, mais tem contribuído para a produtividade do país.

Esqueçam as capelas partidárias, as bandeiras ideológicas e os regionalismos bacocos. Ao esvaziar o segundo aeroporto nacional (o qual, recorde-se, serve uma área geográfica e económica que se espraia do Alto Minho a Aveiro), a TAP assume a condição de companhia sectária, desligada dos interesses coletivos e, ironia suprema, a milhas da lógica de serviço público que tem sido invocada como razão cimeira para a salvarmos da bancarrota com os nossos impostos. Se é para isto, mais vale deixarmos o cheque de mil milhões de euros em terra. Não faltam destinos para lhe dar.

Por isso, bem pode o primeiro-ministro lançar avisos sonoros para nos descansar, e bem pode o ministro dos Transportes fazer voz grossa aos acionistas privados que agora quer disciplinar. O resultado está à vista: nem que seja por omissão, o desprezo a que a TAP votou o Norte teve o beneplácito do Governo da República. Eles querem mandar, mas não mandam nada. Ou...

Transportes

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 29

Bons resultados não se traduzem em aumentos dignos na Panasqueira

As previsões continuam a ser favoráveis para o ano corrente, apesar do surto epidémico, mas esse facto não leva a que aqueles que criam a riqueza vejam os seus salários valorizados.

Foto de Arquivo: Minas de AljustrelCréditos / dinheiro vivo

O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM/CGTP-IN) convocou uma greve de três horas por dia entre 15 e 20 de Junho, defendendo que a Beralt Tin & Wolfram (Portugal), concessionária das minas da Panasqueira, tem todas as condições para satisfazer as reivindicações de aumentos salariais dos trabalhadores.

Em nota divulgada, o STIM assinala que o grupo Almonty, do qual a Beralt Tin & Wolfram (Portugal) faz parte, obteve no ano de 2019 resultados positivos superiores a 16,4 milhões dólares.

Estes resultados foram valorizados há poucos dias pelo director executivo da multinacional, que, apesar da pandemia, previu para 2020 «consolidar e solidificar por gerações a posição [da Almonty] como o maior produtor de tungsténio do mundo livre».

Em contraste, a empresa tornou ainda mais limitada a proposta «ridícula» de aumento salarial de 25 cêntimos por dia, pretendendo que esse valor seja aplicado só a partir de 1 de Julho.

O sindicato destaca que os trabalhadores contribuíram para os bons resultados, pelo que «é da mais inteira justiça que a riqueza criada seja distribuída por quem a produz».





Ver original em "AbrilAbril" na seguinte ligação:

Trabalho

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 26

Infarmed suspende hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com covid-19

 

O Infarmed suspendeu o uso de hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com covid-19. Para além da OMS, outros países já tomaram a mesma decisão que Portugal.

 

A decisão vem no mesmo sentido da Organização Mundial de Saúde (OMS), que suspendeu temporariamente os ensaios clínicos com hidroxicloroquina. Em causa estão investigações que associam maior mortalidade ao uso daquele medicamento.

O estudo publicado na revista científica The Lancet refere que apesar de não haver evidências concretas em relação à utilização destes fármacos para tratar a covid-19, ao seu uso pode estar associada a “toxicidade cardíaca”, podendo aumentar o risco de morte.

Também em França, o Governo decidiu esta quarta-feira suspender os tratamentos. O Executivo revogou o decreto de 11 de maio que autorizava a prescrição e a administração de tratamentos com base em hidroxicloroquina a pacientes infetados com o novo coronavírus oriundo da China.

Na conferência de imprensa desta quinta-feira, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, tinha dito que estava a ser avaliado em que estatuto vai ficar o nosso país. “Estamos literalmente a fazer a esta hora essa avaliação”, disse, citada pelo Expresso.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde incluiu o medicamento nas orientações para o tratamento de doentes com covid-19 ainda em março. A indicação servia principalmente para aqueles que apresentavam os sintomas mais graves da doença.

“Não existem atualmente...

Saúde

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 40

Os direitos também estão de quarentena?

A primeira página do último Jornal da Fenprof é dominada por uma mensagem forte e muito oportuna: os direitos laborais dos professores não estão de quarentena. Têm, agora e sempre, de ser respeitados. Uma ideia que precisa de estar presente na agenda educativa, em nome dos professores, nos próximos tempos.

De facto, a excepcionalidade criada pela pandemia, a emergência de saúde pública que ditou o confinamento e a necessidade de desenvolver actividades educativas mesmo em regime não presencial levaram os professores a arregaçar os braços e a aceitar inéditos desafios e sacrifícios.

Mas uma coisa são as respostas excepcionais dadas a uma situação, também ela, excepcional. Outra coisa é aceitar a nova realidade educativa imposta pelas contingências da pandemia como uma espécie de novo normal.

Como se fosse normal trabalhar sem horário, de manhã à noite, permanentemente disponíveis para todo o tipo de solicitações. Recorrer de forma sistemática a equipamentos informáticos de uso pessoal para cumprir exigências profissionais. Ou estar presentes em reuniões intermináveis, que se prolongam porque, na nova realidade, ninguém tem de ir para casa – já todos estão em casa…

Todos compreendemos que, até que a normalidade regresse – e isso não vai acontecer já no próximo mês de Setembro – as condições de trabalho dos professores, tal como as de muitos outros profissionais, terão de ser diferentes. Mas não se pense que, quando todos os professores regressarem ao trabalho...

Trabalho, Educação

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 31
  • Vitor Dias in "O Tempo das Cerejas"
  • Portugal

Puro desconchavo

Diogos Prates
O azar de um liberal

No «Observador» (é o melhor sítio para uma coisa destas) um tal Diogo Prates que é apresentado como tendo sido cabeça de lista da Iniciativa liberal por Setúbal sentencia que «Desde o 25 abril de 1974 que todas as Câmaras no distrito de Setúbal são governadas por socialistas ou comunistas e tudo o que conseguiram foi espalhar pobreza e agora a doença.»
Deixando de lado a magna estupidez desta responsabilização pela «pobreza» e até, imagine-se !, pela pandemia do covid 19, acontece que este sujeito teve um azar dos diabos.
É que dois parágrafos mais à frente já estava a opinar acertadamente que «A recente pandemia vem lembrar-nos o que nunca devíamos esquecer: foi o saneamento básico generalizado que permitiu reduzir substancialmente a taxa de mortalidade de muitas doenças, nomeadamente a tuberculose».
O ilustre articulista não se deu ao trabalho (talvez por razões de idade) de nos contar quem é que no distrito de Setúbal generalizou o saneamento básico. Mas eu explico-lhe que foram sobretudo autarcas comunistas que, começando desde logo nas Comissões Administrativas democráticas, dirigiram e concretizaram no distrito de Setúbal (e também no Alentejo) uma notável obra no dominio do saneamento básico, inicialmente até com uma grande contribuição de trabalho voluntário das populações. Na verdade, poucos anos depois do 25 de Abril, a população abrangida pelo saneamento básico nessas regiões já representava 90% da população enquanto no...

Direita

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 112
  • Carlos Esperança in 'PONTE EUROPA'
  • Portugal

28 de maio de 1926

Há 94 anos teve lugar o golpe de Estado de que viriam a apropriar-se as pessoas erradas para a mais longa ditadura europeia.

O integralismo lusitano, o nacional-sindicalismo e a Cruzada Nun’Álvares tinham feito o caminho para que o nacional-catolicismo se transformasse no fascismo paroquial de Salazar, um professor da Universidade de Coimbra, sem mundo e sem visão de futuro.

Salazar foi o protagonista da longa ditadura que adiou Portugal. Ficou “orgulhosamente só” a liderar o país onde o analfabetismo, a mortalidade infantil, a tuberculose e a fome foram a imagem do regime, para acabar na tragédia da guerra colonial.

Salazar saiu da aldeia do Vimioso para o seminário de Viseu e, daí, para a Universidade de Coimbra onde dirigiu a madraça do CADC que havia de fornecer-lhe os quadros para a repressão que o manteve no poder. Não recebeu a tonsura no seminário, mas fez do País uma sacristia.

Demonizou a política e proscreveu os partidos políticos disfarçado de não-político, e foi um dos responsáveis pela fundação do Partido Centro Católico (1921).

A censura, a Pide, a tortura, as prisões, o degredo e o medo, aquele medo que ainda hoje habita muitos portugueses, permitiram-lhe sobreviver ao apoio dado ao maior genocida ibérico, Francisco Franco, e à conhecida simpatia por Benito Mussolini, cuja foto exibia na sua secretária de trabalho, depois da derrota do nazi-fascismo em 1945.

O chefe incontestado do período mais negro do séc. XX anda há muito a ser branqueado por...

Memória

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 47
  • Ladrões de Bicicletas (João Rodrigues)
  • Portugal

Transacções infernais


A TVI teve acesso ao contrato de compra e venda do Novo Banco, cuja divulgação pública tem sido uma exigência levantada nos últimos dias na esfera política. A primeira estranheza passa pela identidade do comprador: em vez de Lone Star, o nome que surge no contrato é Nani Holdings. O contrato a que a TVI teve acesso é confidencial e está guardado a sete chaves no banco de Portugal. Um documento extenso, mas que, logo ao início, surpreende: o que podemos ler e que, a 31 de março de 2017, foi celebrado o contrato entre o fundo de resolução e a Nani Holdings. O primeiro manteve 25% do banco e o segundo adquiriu 75%. A Nani Holdings, adquirente, é detida a 100% pelo Lone Star Fund, no Luxemburgo. Este, por sua vez, tem como maior acionista, a Nani Superholding, com sede no paraíso fiscal das Bermudas, e é detida por uma diversidade de fundos geridos pela americana Lone Star, dona indireta do Novo Banco. O mesmo é dizer que será difícil fazer o percurso inverso até à responsabilização. Ou seja, até quem tem de pagar ou devolver seja o que for.

Não há grandes comentários a fazer a este excerto da notícia da TVI. Confirma-se simplesmente a sordidez associada a este processo político de internacionalização da banca nacional, em que pagamos, mas não mandamos, compelido pela integração europeia e, infelizmente, aceite pelo governo.

Entretanto, e isto é mesmo uma nota de rodapé, é óbvio que Centeno não deve ir para governador da sucursal de Frankfurt, mas se calhar pode...

Banca

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 44

PSD quer lay-off até final do ano e Estado menos “dorminhoco”

 

 

O PSD apresentou hoje um conjunto de 26 “ideias e sugestões” na área social, incluindo o prolongamento do ‘lay-off’ simplificado até ao final do ano, a reafetação de recursos na administração pública e um Estado menos “dorminhoco”.

 

Em conferência de imprensa na sede nacional do PSD, em Lisboa – a primeira presencial desde a pandemia de covid-19 -, o presidente do PSD, Rui Rio, anunciou que estes são 26 contributos do partido, que o Governo “pode ou não aproveitar”, para o Programa de Estabilização Económica e Social que está a preparar.

“Não estamos a dizer ao Governo que entendemos que devia ser tudo feito, isto são ideias para, no quadro do que for a resposta que o entender adequada na vertente social, aproveitar o que for mais ou menos acomodável”, disse, explicando que, por essa razão, o partido não fez uma avaliação de custos deste pacote de medidas, até porque muitas delas “não custam nada”.

Por exemplo, uma das propostas do PSD é que o Governo seja mais célere a pagar os subsídios sociais e a reembolsar o IRS, que “não custa nada”, segundo Rui Rio.

“Muitas vezes temos a sensação que o Estado é um pouco dorminhoco, não é célere. Achamos que não há tempo para um Estado dorminhoco”, defendeu o vice-presidente da bancada Adão Silva, numa conferência de imprensa onde também esteve presente a deputada Clara Marques Mendes.

Prolongar o ‘lay-off’ simplificado até ao final do ano – sobretudo nos setores ainda fechados...

Partido Social Democrata

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 20

Mais 13 mortes e 304 novos casos. Reabertura da economia em Lisboa questionada

 

 

Embora a região Norte continue a ser a mais afetada pela pandemia, a situação na região da Grande Lisboa tem piorado. O Governo está a estudar o adiamento de algumas medidas de reabertura da economia na região de Lisboa e Vale do Tejo.

 

O número de mortos e infetados em Portugal voltou a aumentar esta quinta-feira. Nas últimas 24 horas registaram-se mais 13 mortes e 304 novos casos, elevando os números para um total de 31.596 infetados pelo novo coronavírus e 1.369 vítimas mortais. Assim sendo, regista-se um crescimento de 0,97% dos casos positivos.

Os dados revelados hoje através do boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral de Saúde ilustram ainda um aumento de 1% no número de óbitos. A taxa de letalidade global é de 4,33%.

Até ao momento, 512 pacientes estão internados em hospitais e 65 estão nos cuidados intensivos. Por outro lado, 11.078 pacientes estão em casa a recuperar. Há ainda 1.310 pessoas a aguardar resultados laboratoriais.

Além disso, o número de pacientes recuperados voltou a aumentar nas últimas 24 horas. Mais 288 pessoas recuperaram da doença, subindo para 18.637 pacientes curados em Portugal desde o início da pandemia.

A região Norte do país continua a ser a mais afetada pela pandemia, com um total de 16.718 infetados e 761 mortos. Segue-se a região da Grande Lisboa, cujo número de casos positivos tem aumentos nos últimos dias. Há um total de 10.320 pessoas infetadas e 340 vítimas...

Covid-19

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 27

Queixas de consumidores sobre vendas online sobem 250%

 

 

A Associação de defesa de consumidores Deco recebeu 3.500 reclamações relativas a compras online entre janeiro e maio, um aumento de 250% face ao número registado em igual período do ano anterior.

 

Paulo Fonseca, da Deco, precisou à agência Lusa que a maioria das queixas se refere ao comércio de bens eletrónicos e eletrodomésticos, vestuário, calçado e brinquedos.

As denúncias mais frequentes estão relacionadas com dificuldades na contratação, na entrega dos bens e na segurança dos meios de pagamento, adiantou.

“A oferta de lojas digitais aumentou, mas também o número de burlas, nomeadamente em ‘sites’ de anúncios e redes sociais, que levaram a que muitos consumidores tivessem ficado sem o bem e o valor pago”, denuncia a Deco.

Problemas com a demora na entrega do bem são dos mais frequentes, assim como, segundo a associação, o desconhecimento das regras sobre o prazo de entrega e direitos do consumidor. Cerca de 80% dos casos são resolvidos pela associação, diz a Deco, salientando a importância da literacia dos consumidores, e apelando às empresas que reforcem os canais digitais, os serviços de entrega e o apoio ao cliente, e promovam informação sobre os direitos digitais dos consumidores.

A associação, no âmbito de um projeto financiado pelo Fundo dos Consumidores, acaba de lançar o ‘site’ e.comprascomdireitos.pt, com informação sobre quem, onde e como comprar, e onde os consumidores podem reclamar.

“A Deco...

TIC

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 21

Publicações mais recentes

Filtrar por categoria
04, junho 2020

Aos que nos querem esquecidos

em Portugal

por Administração web

  Anda por aí um neo-fascismo engravatado que tenta branquear a dôr, a miséria e a repressão sofrida pelo povo português durante décadas. Como se não tivesse existido a pobreza, a repressão e a guerra…
03, junho 2020

A educação e a realidade social do concelho de Cascais

em Cascais

por Portal CASCAIS

Comentário: Há quem se especialize em ver a realidade de pernas para o ar. Neste artigo, um assumido 'liberal', militante de um partido com algumas raízes iniludivelmente alimentadas pelo fascismo, sinaliza meia dúzia de verdades…
03, junho 2020

Mulher detida por agressões à mãe recolheu à cadeia de Tires

em Cascais

por CASCAIS24

SEGURANÇA Por Redação 03 junho 2020 Uma mulher, 47 anos, detida pela PSP, em Carcavelos, por intimidações e agressões à própria mãe, viu confirmada a prisão preventiva, tendo recolhido ao Estabelecimento Prisional de Tires. A…
03, junho 2020

Portugal entre incumpridores de recomendações anti-corrupção

em Portugal

por Página Global

    Portugal integrava, no final de 2019, uma lista de 15 países com baixo nível de cumprimento das recomendações anti-corrupção dirigidas a deputados, juízes e procuradores, indica hoje o relatório GRECO, organismo do Conselho…
03, junho 2020

Rio de Janeiro tem mais de 50 mil infetados, mas já iniciou reabertura confusa e gradual

em Mundo

por ZAP in ZAP

  O Rio de Janeiro, uma das cidades mais afetadas pelo novo coronavírus no Brasil, iniciou hoje uma reabertura gradual e confusa de sua economia, com decretos a permitir algumas atividades e decisões judiciais limitando…
03, junho 2020

Mais 11 mortes e 366 novos casos. Há mais de 20 mil recuperados em Portugal

em Portugal

por ZAP in ZAP

  Nas últimas 24 horas, morreram 11 pessoas com covid-19 em Portugal e registaram-se 366 novos casos.   De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, divulgado esta quarta-feira, morreram 11 pessoas nas…
03, junho 2020

Xi Jinping defende construção de forte sistema de saúde pública na China

em Mundo

por Brasil24/7

    247 - Durante a realização nesta terça-feira (2), em Pequim, de um simpósio com especialistas e estudiosos, o presidente da China Xi Jinping, também secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China…
03, junho 2020

EUA têm uma «obsessão criminosa» com a Venezuela, afirma Arreaza

em Mundo

por in AbrilAbril

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Venezuela denunciou os ataques constantes dos EUA ao seu país, depois de, esta terça-feira, Pompeo ter anunciado sanções a novas empresas, para apertar o cerco. Em Maio de 2019,…
03, junho 2020

A encruzilhada da Universidade no pós-Covid. Por Isabelle Marc e Juan Varela Portas

em Mundo

por franciscogtavares in 'A Viagem dos Argonautas'

  Seleção e tradução de Francisco Tavares A encruzilhada da Universidade no pós-Covid Se, enquanto país, decidirmos combater as crises sanitárias, a dependência energética, as desigualdades e a catástrofe ambiental na perspetiva da reflexão científica…
03, junho 2020

Socialista Isabel Moreira acusa Governo de ignorar Parlamento e violar Constituição

em Portugal

por ZAP in ZAP

(Comentário: Quando um parelho partidário lida mal com a democracia acontecem estas 'fugas de informação' para queimar que ousa ter dúvidas ou criticar os chefes.Curioso (preocupante?) é ver dirigentes do PS a contrariarem uma sua…
03, junho 2020

IRC a 17%, quatro Autoeuropas e aposta no turismo nacional. O plano de retoma económica do PSD

em Portugal

por ZAP in ZAP

(Comentário: Menos impostos para o patronato, fundos públicos para apoio aos negócios privados, vender ao estrangeiro e ter uns amigos a zelar pela aplicação da austeridade. Sempre mais do mesmo...)   O PSD apresentou esta…
03, junho 2020

As últimas palavras do último discurso de Martin Luther King

em Mundo

por Abril de Novo Magazine

Discurso de Memphis, 3 de Março de 1968 As últimas palavras do último discurso de Martin Luther King: (…)Well, I don’t know what will happen now. We’ve got some difficult days ahead. But it doesn’t…
03, junho 2020

Protesto contra morte de negro na França acaba em confrontos e 18 presos

em Mundo

por Brasil24/7

    247 - Milhares de pessoas se manifestaram nesta terça-feira em Paris pelo assassinato há quatro anos de um jovem negro. A direita condenou a manifestação, proibida na véspera pela polícia. "Inadmissível", declarou o…
03, junho 2020

Bolsonaro, o “projeto secreto da cúpula militar”

em Mundo

por Brasil24/7

  “Líder!, Líder!, Líder! …”. Com esta exaltação ao estilo “Führer!, Führer!, Führer! …” da Alemanha dos anos 1930, os aspirantes-a-oficial da Academia Militar das Agulhas Negras recepcionaram o então deputado Jair Bolsonaro, recém reeleito…
03, junho 2020

Grupo de precários da Casa da Música dispensado de serviço via e-mail “meia hora depois” de uma vigília de protesto

em Portugal

por ZAP in ZAP

  Cerca de 13 trabalhadores “precários” da Casa da Música, no Porto, foram dispensados dos concertos que tinham alocados para o mês de junho.   Em declarações à Lusa, Hugo Veludo, um dos 13 assistentes…
03, junho 2020

Celebrações do 10 de junho só terão oito pessoas. “É como achei que devia ser o 25 de abril e o 1º de maio”

em Portugal

por ZAP in ZAP

(Comentário: O populismo é assim. Manipulando o medo em torno da Covid-19 alguns setores 'incomodados com a democracia' utilizaram as comemorações do 25 de abril e do 1º de maio para, com falsos pretextos, combaterem…
03, junho 2020

Forças policiais já prenderam quase 10 mil pessoas em protestos nos EUA

em Mundo

por Brasil24/7

      247 - Nos Estados Unidos as forças policiais estão prendendo em massa manifestantes que saem às ruas em protesto contra o assassinado do cidadão negro George Floyd por um policial branco na…
03, junho 2020

Mais de 100 escritores africanos solidários com protestos anti-racistas

em Mundo

por in AbrilAbril

Ondjaki, Grada Kilomba e Pepetela contam-se entre os muitos escritores que condenaram «actos de violência contra pessoas negras» nos EUA, apoiando os protestos naquele país «e em todo o mundo». Um homem passa por um…
03, junho 2020

Trabalhadores despedidos da Casa da Música após protesto

em Portugal

por in AbrilAbril

Treze trabalhadores com vínculos precários foram «dispensados» dos concertos que tinham alocados para o mês de Junho, meia hora depois de participarem numa vigília de protesto contra a precariedade. CréditosESTELA SILVA / LUSA Mais de…
03, junho 2020

China opõe-se à opressão política e sanções que os EUA fazem sobre Cuba

em Mundo

por Página Global

    Opressão sob falso pretexto de antiterrorismo Pequim, 3 jun (Xinhua) -- A China se opõe à opressão política e às sanções económicas impostas pelos Estados Unidos em Cuba sob o pretexto de antiterrorismo, disse…
03, junho 2020

Os protestos e as conquistas sociais

em Mundo

por José Carlos Ruy, em São Paulo in 'O TORNADO'

A revolta é uma resposta à pobreza e à opressão. E embora nem sempre seja o caso, pode ser eficaz na conquista de mudanças sociais.     por Paul Heideman, na Jacobin | Tradução de…
03, junho 2020

Para o início do ano académico de 2020, as universidades e os laboratórios de investigação precisam de mais recursos e recrutamento do que nunca. Por Université Ouverte

em Mundo

por franciscogtavares in 'A Viagem dos Argonautas'

Seleção e tradução de Júlio Marques Mota Para o início do ano académico de 2020, as universidades e os laboratórios de investigação precisam de mais recursos e recrutamento do que nunca. Por em 18/05/2020 (“Pour…
03, junho 2020

O homem que não conseguia respirar e morreu

em Mundo

por Domingos Lopes in 'O Chocalho'

Um homem manietou outro homem. Tem-no a seus pés. O homem que detém todo o poder sobre o outro homem derrubado e estendido no chão sabe quem é o homem que tem ao seu dispor.…
03, junho 2020

[Manlio Dinucci] 5G, NOVO CAMPO DA CORRIDA AOS ARMAMENTOS

em Mundo

por Manuel Banet

                              Na base aérea de Nellis, no Nevada - anuncia o Pentágono - começará em Julho, a construção de uma rede…

Últimos posts (Cascais)

Itens com Pin
    Atividades Recentes
    • Artigo publicado neste site (secção Cascais) A educação e a realidade social do concelho de Cascais Comentário: Há quem se especialize em ver a...
      Artigo publicado neste site (secção Cascais) A educação e a realidade social do concelho de Cascais Comentário: Há quem se especialize em ver a realidade de pernas para o ar. Neste artigo, um assumido 'liberal', militante de um partido com algumas raízes iniludivelmente alimentadas pelo fasc...  http://tinyurl.com/y9zl8npo
      Mais
      0
      0
      0
      0
      0
      0
      Publicação sobre moderação
      Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
    Aqui ainda não existem atividades

    Últimos posts (País e Mundo)

    Itens com Pin
      Atividades Recentes
      • Plataforma Cascais juntou-se ao grupo Conversando sobre o País e o Mundo
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      Aqui ainda não existem atividades
      LOGO4 vert01
      A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
      Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
      exceto quando expressamente assinadas por esta.
       

      SSL Certificate
      SSL Certificate