• AbrilAbril

Piquenique da Interjovem: «Já conhecemos bem a precariedade»

«A luta é o caminho» para «fazer valer» a exigência de emprego estável, erradicação da precariedade, fim dos baixos salários e da reversão dos despedimentos que foram levados a cabo a pretexto da Covid-19.

CréditosPaulo António / AbrilAbril

A Interjovem/CGTP-IN promoveu este sábado uma iniciativa no âmbito dos 50 anos desta central sindical, sob o lema «50 anos de Juventude! Piquenique contra a Precariedade e os Baixos Salários», que reuniu dezenas de jovens na Ribeira das Naus, em Lisboa, cumprindo as necessárias medidas de segurança sanitária.

Foram várias as intervenções de jovens trabalhadores sobre os seus sectores e as suas condições de trabalho, desde a precariedade das empresas de trabalho temporário aos baixos salários que dificultam o início da vida independente. 

Lembrando que os jovens trabalhadores têm sido dos mais afectados pela vaga de despedimentos e cortes nos salários, fruto da profunda precariedade que assola a juventude, Dinis Lourenço, dirigente da Interjovem, referiu que apesar de o vírus «ser novo», os problemas «são velhos».

«A precariedade, que abriu caminho aos despedimentos, já
a conhecemos bem», disse o dirigente, acrescentando que a maioria dos jovens «mandados para casa» no início do surto epidémcio estavam no período experimental de 180 dias, «uma das recentes alterações ao código do trabalho, aprovadas por PS, PSD e CDS-PP e cozinhadas pelo patronato e a UGT».

Salários que «mal chegam para arrendar um quarto» também já eram conhecidos pelos jovens trabalhadores, muitos dos quais agora cortados em um terço pelo lay-off mesmo em empresas com «lucros fabulosos», denunciou Dinis Lourenço.

Os horários desregulados, que se agravaram durante o período de confinamento e com muitos trabalhadores em regime de teletrabalho, já eram uma realidade generalizada, sublinhou.

Mas hoje, tão importante como «a pedagogia da protecção» e de se assegurarem os meios de segurança a quem trabalha, é também a dinamização das «actividades económicas, sociais, culturais, desportivas, recreativas que são tão necessárias à saúde e ao bem estar dos jovens», defendeu o dirigente.

Para Dinis Lourenço, «só a luta é o caminho» para «fazer valer» as reivindicações dos jovens trabalhadores, nomeadamente o emprego estável, a erradicação da precariedade, o fim dos baixos salários e a reversão dos despedimentos que foram levados a cabo a pretexto do surto epidémico.

Ver original em "AbrilAbril" na seguinte ligação:

https://www.abrilabril.pt/trabalho/piquenique-da-interjovem-ja-conhecemos-bem-precariedade

Artigos relacionados

Trabalhadores da hotelaria e restauração em luta
Trabalhadores da hotelaria e restauração em luta Os trabalhadores dos sectores da Alimentação, Hotelaria e Restauração têm vindo a desenvolver, na última quinzena, diversas acções, incluindo greves, concentrações de protesto e plenários. Acção sindical em Braga, n... 20 views Thu, 06 Aug 2020,
Não há razão para despedimentos na Super Bock, denuncia sindicato
Não há razão para despedimentos na Super Bock, denuncia sindicato A empresa alegou redução de actividade em Abril para querer despedir trabalhadores, mas já está de novo em níveis máximos de carga. E em Maio distribuiu 55 milhões de euros aos accionistas. Créditos / CGTP-IN O... 53 views Tue, 21 Jul 2020,
Milhares de profissionais da saúde morreram por negligência dos governos
Milhares de profissionais da saúde morreram por negligência dos governos Amnistia Internacional Mais de 3000 profissionais da saúde e outros trabalhadores de mais de 70 países em todo o mundo morreram porque os governos não os protegeram da COVID-19. 20 Julho, 2020 M. Aza... 102 views Mon, 20 Jul 2020,
“Desconfinar não é desarmar”. Jovens não respeitam regras e estão a propagar covid-19 em Setúbal
“Desconfinar não é desarmar”. Jovens não respeitam regras e estão a propagar covid-19 em Setúbal pedrosimoes7 / Flickr   O coordenador da Proteção Civil Municipal de Setúbal, José Luís Bucho, manifestou-se esta segunda-feira preocupado com os excessos cometidos pela população jovem no concelho, que acus... 58 views Tue, 14 Jul 2020,
Empresa tenta dissuadir plenários de trabalhadores vidreiros
Empresa tenta dissuadir plenários de trabalhadores vidreiros A administração da Carl Zeiss tentou dissuadir a participação dos trabalhadores nos plenários, com o argumento do «estado de calamidade em Lisboa» e a proibição de ajuntamentos. Créditos / STIV Os trabalhad... 62 views Fri, 03 Jul 2020,
Parlamento vai debater o teletrabalho por iniciativa do PAN
Parlamento vai debater o teletrabalho por iniciativa do PAN Mário Cruz / Lusa   O PAN considera que “o teletrabalho é uma ferramenta que pode ajudar a conciliar a vida profissional e a vida familiar”, ainda que apresente fragilidades como a “invasão da vida pessoal... 55 views Fri, 03 Jul 2020,

Comentários (0)

Rated 0 out of 5 based on 0 voters
There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
Rate this post:
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Trabalho, Jovens

  • Criado em .
Piquenique da Interjovem: «Já conhecemos bem a precariedade»
Note 0 sur 5 Pour 0 votes

Publicações mais recentes

Últimos posts (Conversando à beira-mar)

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • LEGALIZAÇÃO DAS CASAS DE PROSTITUIÇÃO

    Um debate que provavelmente vai ganhar dimensão.
    Legalização da prostituição - petição apresentada na A.R
    Gravação da reunião na Assembleia da República
    0
    0
    0
    0
    0
    0
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
  • Homicidal Cops Caught On Police Radio
    #TheJimmyDoreShow
    Homicidal Cops Caught On Police Radio
    42 219 visualizações
    •05/06/2020
    0
    0
    0
    0
    0
    0
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades

página no Facebook

[an error occurred while processing this directive]
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate