• Página Global

Angola | Alimentar a fogueira da ingerência e da manipulação a partir de Portugal!


COM O DEDO NA FERIDA

 Martinho Júnior, Luanda 

Inspiradas na “proficuidade” das redes “stay behind” da NATO, sensibilidades sociopolíticas portuguesas alimentam a campanha fraccionista, pró-fraccionista e pós-fraccionista, “perpetuando” os acontecimentos do 27 de Maio de 1977 e procurando em 2020 inibir ou sabotar a ampla iniciativa da IVª república angolana em prol da Paz e da Reconciliação Nacional!

01- Hoje, 27 de Maio de 2020, Leonor Figueiredo lança, no seguimento de outras suas intervenções anteriores, em pleno jardim de Lisboa (à beira-mar plantado), mais um outro “livrinho” dessa saga, colando a iniciativa duma tão cinzenta quão híbrida “extrema-esquerda” à do “historiador” fascista Carlos Pacheco, tendo como alvo a figura do Presidente António Agostinho Neto.

O que publicou na sua página do Facebook indicia quanto Leonor, com os olhos de 2020, procura reinterpretar hoje em função duma corrente de guerra psicológica “soft power” da conveniência e interesse do império da hegemonia unipolar, os acontecimentos, as figuras e as sensibilidades inerentes à formação e arranque da República Popular de Angola na 2ª metade da década de 70 em Angola!

Esse “feito” integra uma já longa campanha fraccionista, pró-fraccionista e pós-fraccionista, que, sendo dirigida contra o carácter da República Popular de Angola e incidindo sobre a figura de António Agostinho Neto, procura de algum modo afectar “suavemente” e agora, os propósitos alargados de Paz e Reconciliação da IVª república angolana sob a égide do Presidente João Lourenço!

Tal como na Agenda de Nito Alves, Leonor nada diz sobre o Movimento de Libertação em África, do seu Não Alinhamento activo, do seu papel heroico de luta contra o colonialismo e o “apartheid” intimamente ligados conforme a exposição hoje possível de identificar do Exercício Alcora e dos “trabalhos” sobre a PIDE/DGS e seus interpares, continente-berço adentro antes do 25 de Abril de 1974 e redundantemente após o 25 de Novembro de 1975 em Portugal!...

Isso não interessa porque, tolhida a história, a campanha decide sentenciosa que o Presidente António Agostinho Neto é um “ditador”!…

Desse modo, por tabela valoriza a identidade fraccionista, agarrando levianamente o estafado slogan em versão estreita de conveniência “contra a ditadura”, num momento em que por via do Ministério da Justiça, a IVª república angolana procura de algum modo desenvolver os esforços de Paz e Reconciliação da Comissão de Reconciliação em Memória das Vítimas dos Conflitos Políticos em Angola!

Já que tanto uso e abuso se faz da imperial língua e textura camoniana, uma pergunta se impõe sobre esta Leonor: não será ela a Lianor que “pela verdura, vai para a fonte, fermosa e não segura”?!... (https://www.youtube.com/watch?v=3hJBZv3OJDkhttps://www.youtube.com/watch?v=WBKc96Q8GRs).

 

02- Não é um facto contemporâneo isolado, pois as entidades que nutrem essa campanha estão associadas de algum modo a um já longo trabalho de sapa tendo como alvo Angola, o estado angolano e algumas das suas sensibilidades sociopolíticas de forma a, conforme diz o ditado, fazer com que “água mole em pedra dura, tanto dá até que fura”!

Entre essas entidades e seguindo trilhas distintas em função de currículos e acontecimentos mais díspares, há diversas que dão corpo à campanha, dando o seu próprio corpo ao manifesto, aninhadas em potentados como o Clube Bilderberg e as suas tentaculares capacidades de comunicação dominante, ou seja, tirando partido dos engenhos e das artes do seu representante para Portugal (e pelos vistos, por tabela e “transversalmente”, para a CPLP), Francisco Pinto Balsemão!

Durão Barroso, que é tido como o sucessor de Francisco Pinto Balsemão no Clube e é um “emérito” comentador da SIC, Durão Barroso que desde o MRPP em última análise se “refugiou” no Goldman Sachs, até “está autorizado” a proclamar em Luanda em jeito de “grito do Ipiranga”, aproveitando o convite da Comissão de História do MPLA e num cenário correlacionado, que “o muro de Berlim começou a ser derrubado em Angola, em África”!…

José Milhazes, que é representante da SIC em Moscovo e profundamente implicado no sistema comunicativo da “glasnost global”, até se dá ao luxo de publicamente se interrogar e sugerir, especulando, que o Presidente José Eduardo dos Santos, terá sido “o principal vencedor do 27 de Maio de 1977”… (https://www.operanewsapp.com/ao/pt/share/detail?news_id=34b8de04e9921dbaed5f919a299d2a58&news_entry_id=285392df200521pt_ao&open_type=transcoded&request_id=HOME_PAGE_8b9fed08-522b-407a-b828-6e0885239eb5&from=news).

“Mil Ases” entre os “milhafres”, além de jamais conhecer o significado e o peso do Não Alinhamento activo e do seu impacto Tricontinental, em África em particular de Argel ao Cabo, nos arquivos Soviéticos parece ainda não ter descoberto que a URSS a 27 de Maio de 1977 já tinha começado a fornecer material de guerra à República Popular de Angola, a um nível que antes não ocorreu com a guerrilha do MPLA, quer o material que compôs a Unidade da Guarda Presidencial, quer a 9ª Brigada.

Foram blindados de fabrico e fornecimento soviético que partiram do quartel da 9ª Brigada, tripulados por fraccionistas, que dispararam os primeiros tiros, (tendo como alvo a prisão de São Paulo), acabando por tomar a prisão dando início à tentativa do golpe e foram os blindados de fabrico e fornecimento soviético da UGP que, tripulados pelos fiéis a António Agostinho Neto, responderam às ordens do Comandante-em-Chefe de Angola e foram decisivos no contragolpe, tudo isso muito antes da “glasnost global” do tempo do agente Boris Yeltsin, de que o “milhafre” é porta-voz, chegar à “sábia” conclusão “histórica” de que “Angola foi o princípio do fim para a URSS”!

O “milhafre” porta-voz da “Glasnost global” só poderia procurar pistas de conveniência para chegar a uma escabrosa concepção dessas, a concepção que esse tipo de servos são peritos: atribuem a outros, a “terceira bandeira”, o espectro de práticas de conspiração e provocação que detêm ou defendem, a fim de melhor diluir ou esconder suas próprias responsabilidades implicadas na busca de domínio do império que servem, como um contínuo procedimento de guerra psicológica “soft power” de que a IIIª Guerra Mundial é pródiga por parte dos sistemas do império de hegemonia unipolar!

“O princípio do fim” tem que ver com a vida interna desde logo da União Soviética, onde aqueles que desde antes de Ronald Reagan fizeram o trabalho de sapa que os revolucionários cubanos (entre eles o Comandante Che Guevara) em tempo oportuno observaram e levaram em consideração sempre com a vocação de perfilhar sobretudo lógica com sentido de vida!

Isso é algo que foge à visão dos “milhafres” que só existem por que é necessário perpetuar os termos da (pós) Guerra Fria, neste caso por via do pós-fraccionismo!

À Não-Alinhada e muito activa Revolução Cubana aliada consequente do Movimento de Libertação em África, muito antes da “glasnost”, o império nas suas práticas de conspiração que filtraram a URSS levando-a à implosão, não conseguiu iludir!

Depois, uma vez que o “milhafre” jamais pôs os pés em Angola e por isso indicia achar que Angola é mesmo um corpo inerte rendido à sua megalomania transcendental (é próprio desse tipo de aves de rapina), é incapaz de deter um grão de sensibilidade e vivência do sul para alguma vez avaliar os conteúdos da IIIª Guerra Mundial com outros olhos, com outra pele e com uma geoestratégia de Argel ao Cabo da Boa Esperança que hoje continua a luta por via da lógica com sentido de vida face aos manifestos desafios da presente pandemia em África!

Sua demência do âmbito da trilha conspirativa dominante (a demência que atribui a outros decerto que não é do domínio), sustenta o equívoco de reduzir ainda hoje tudo aos pressupostos da Guerra Fria, quando de há muito o que está em causa é a civilização ou a barbárie, é a vida da humanidade e o respeito pelo planeta, face aos que tantas demonstrações têm dado de práticas sangrentas de conspiração, provocação e irracionalidade!

São os “milhafres” que estão a esgotar os recursos da Terra pelo simples facto que desde o berço estão inebriados pela avidez de lucro sem fim que instrumentaliza a essência de seu domínio, o domínio que é matriz do “apartheid” a que tem conduzido a “glasnost global” de que este “milhafre” é porta-voz!

Sobre José Milhazes, há neste momento e a propósito, que evidenciar o seguinte (transcrição):

“O SERVO DA GLASNOST GLOBAL PUBLICOU OUTRA ESPECULAÇÃO SOBRE OS ACONTECIMENTOS RELACIONADOS COM O 27 DE MAIO DE 1977...

SE HOUVESSE O MÍNIMO DE FÉ SOBRE O QUE ESCREVEU, O ESPECULADOR EM CAMPANHA DIRIA QUE NA AGENDA DE NITO ALVES NÃO CONSTAVA NADA SOBRE A NECESSIDADE DE LUTA CONTRA O APARTHEID NA ÁFRICA AUSTRAL!

DE FACTO A URSS PASSOU A APOIAR A RPA COM MATERIAL, APENAS POR QUE A RPA PASSOU A SER DECIDIDAMENTE A TRINCHEIRA FIRME DA REVOLUÇÃO EM ÁFRICA E POR QUE NA NAMÍBIA, NO ZIMBABWE E NA ÁFRICA DO SUL ESTAVA A CONTINUAÇÃO DA NOSSA LUTA!...



03- A 26 de Maio de 2020, pelas 21 horas, a financeiramente malparada televisão privada que em Luanda dá pelo nome de TV Zimbo, no preciso momento em que na 9ª Brigada os fraccinistas há 43 anos preparavam os blindados BRDM-2 que iriam atacar a tiro de armas de calibre 14,5mm, de surpresa e pela surra da madrugada, a cadeia de São Paulo em Luanda, (subvertendo no mesmo local, o simbolismo do 4 de Fevereiro de 1961), promoveu uma “mesa redonda” cujos participantes não abordaram a corrente campanha de ingerência e manipulação, dos seus vocacionados promotores e das entidade-de-mão que a alimentam a partir de Portugal, num serviço de tão dócil, tão “suave”, quão cinicamente velada e persistente manipulação!...  (https://angola-online.net/tag/TV%20Zimbo).

A “privada” TV Zimbo, de “tão prestimosos ofícios”, não pretende desse modo tentar “privar” algumas sensibilidades sociopolíticas angolanas contemporâneas, tentando moldar algumas conveniências psicológicas?

Apesar desse risco que aparentemente se vai desvanecendo, há sinais que reforçam os programas e esforços de Paz e Reconciliação da Comissão de Reconciliação em Memória das Vítimas dos Conflitos Políticos em Angola, levando em conta as pernas que esse programa já vai tendo para andar!... (https://club-k.net/index.php?option=com_content&view=article&id=40760:27-de-maio-o-que-se-ganha-em-saber-quem-e-como-assassinou-o-nosso-ente-querido-eduardo-lisboa&catid=17:opiniao&lang=pt&Itemid=1067).

Não houve “privatização mental” no debate transmitido pelas 21 horas de 26 de Maio de 1977, que evitou fazer referência à longa campanha pos-fraccionista induzida de fora para dentro de Angola tirando partido dos acontecimentos do 27 de Maio de 1977 e das mensagens de conveniência da guerra psicológica “soft power” do império da hegemonia unipolar por via da tão servil quão disponível “plataforma luso-angolana” com base em Lisboa (jamais em Moscovo)!

De assimilação em assimilação, indicia-se começar a barrar mais uma adequação de velhos processos de ingerência e manipulação da NATO, alguns deles aproveitando a estafada visão de apologia do império de quinhentos, segundo os parâmetros socioculturais e sociopolíticos camonianos.

Os indígenas (e não os assimilados) angolanos, os indígenas que não se podem em consciência privatizar por que não sendo mercenários, continuam a ser ainda hoje patriotas com os olhos e toda a sensibilidade do sul e não ao nível arrogante dum qualquer “milhafre”, não podem deixar de apontar o dedo a mais um acto de tentativa de sub-reptícia assimilação, sem deixar de estar em sintonia com o estado angolano!

Se escapa o facto desses sobreviventes terem, sob o ponto de vista de legitimidade histórica, o direito a um contraditório que jamais a eles foi até hoje estendido, (também por que esse contraditório tem sido banido por todo o tipo de campanhas), há vocações, capacidades e instituições capazes de levar por diante o trabalho de investigação histórica, o que é outro sucesso que os “milhafres” não vão em Angola ter acesso!


04- O silêncio e o fogo da ingerência e da manipulação luso-angolana de determinadas elites mentalmente formatadas enquanto “milhafres”, não vão nem apagar nem subverter a história, como não conseguirão empolar ou manipular os amplos esforços de Paz e Reconciliação da Comissão de Reconciliação em Memória das Vítimas dos Conflitos Políticos em Angola!

Esquecem-se que antes como hoje, é a lógica com sentido de vida que é a essência vocacional do rumo de Angola e de todos os seus mais convictos patriotas, em especial os que colocam suas próprias pernas titubeantes no futuro, também na esteira de ampla Paz e Reconciliação em curso!

Martinho Júnior -- Luanda, 27 de Maio de 2020

5 Fotos de Agostinho Neto, cuja vida foi de “Renúncia Impossível”

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2020/05/angola-alimentar-fogueira-da-ingerencia.html

Artigos relacionados

PSD e BE contra reforço do apoio aos mais vulneráveis na capital
PSD e BE contra reforço do apoio aos mais vulneráveis na capital Apesar do voto dos dois partidos, a proposta dos vereadores do PCP na Câmara de Lisboa, com vista ao refor&ccedi... 2 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
Barraqueiro quer impor mais 9 meses de lay-off
Barraqueiro quer impor mais 9 meses de lay-off O anúncio foi feito pelo grupo, que prevê accionar o mecanismo de lay-off pelo período de nove mes... 1 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
Uma década perdida
Uma década perdida Os dados da população residente em 2019, divulgados há dias pelo INE, confirmam a tendência cumulativa de esvaziamento d... 1 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
Quase 10 milhões de crianças podem abandonar a escola por causa da Cov...
Quase 10 milhões de crianças podem abandonar a escola por causa da Cov... Uma ONG estima que, no final deste ano, 9,7 milhões de crianças «podem ver-se obrigados a abandona... 1 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
Brasil | As crianças que nos governam e como vencê-las
Brasil | As crianças que nos governam e como vencê-las #Escrito e publicado em português do BrasilPilhadas em crimes, reagem aos pulinhos, xingando e vociferando: “te... 2 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
TRUMP, BOLSONARO E O  DEEP STATE
TRUMP, BOLSONARO E O DEEP STATE Nos EUA, o Estado Profundo – leia-se CIA, NSA, Clintons, Bolton, Wall Street, etc – está numa luta feroz contra Tru... 1 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
  • Criado em .

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Publicações mais recentes

Últimos posts (Cascais)

Itens com Pin
    Atividades Recentes
    Aqui ainda não existem atividades

    Últimos posts (País e Mundo)

    Itens com Pin
      Atividades Recentes
      • LEGALIZAÇÃO DAS CASAS DE PROSTITUIÇÃO

        Um debate que provavelmente vai ganhar dimensão.
        Legalização da prostituição - petição apresentada na A.R
        Gravação da reunião na Assembleia da República
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      • Homicidal Cops Caught On Police Radio
        #TheJimmyDoreShow
        Homicidal Cops Caught On Police Radio
        42 219 visualizações
        •05/06/2020
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      Aqui ainda não existem atividades
      LOGO4 vert01
      A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
      Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
      exceto quando expressamente assinadas por esta.
       

      SSL Certificate
      SSL Certificate