• Página Global

Campanha contra racismo e xenofobia ecoa em estádios alemães


Após insultos contra jogadores, incluindo imitações de macacos, torcedores alemães se posicionam contra o racismo no desporto com cartazes e gritos de "Fora nazis". Que futebolistas sigam o exemplo.

No bucólico Estádio Floresta Negra, pouco antes do jogo contra o Fortuna Düsseldorf no último sábado (22/02), torcedores do Freiburg estenderam um gigantesco banner contra racismo e gritaram a plenos pulmões "Nazis raus" (Fora nazis). Os dizeres da faixa não deixaram dúvidas sobre o teor da manifestação. Ali estava escrito com todas as letras: "Racismo mata. Todos e tudo contra o racismo."

Dois dias antes, por ocasião da partida entre Frankfurt e Salzburg pela Liga Europa, ao final do minuto de silêncio em homenagem às vítimas do atentado de Hanau, milhares de torcedores levantaram a voz e também clamaram por "Nazis raus". Esse grito fez-se ouvir não apenas nos estádios, mas também em muitas cidades onde dezenas de milhares de cidadãos foram às ruas para se manifestar contra racismo e xenofobia.

O presidente da federação judaica de ginástica e desportos Makkabi, Alon Meyer, declarou em carta de agradecimento publicada parcial ou integralmente pela mídia, que as manifestações dos torcedores alemães nos estádios representam "um divisor de águas na luta contra o extremismo de direita".  

"Foi um momento grandioso e imponente, que chama à responsabilidade todo o mundo desportivo alemão. É nosso dever como sociedade civil assumir com determinação a luta contra o discurso de ódio. Os adeptos do Frankfurt demonstraram isso de forma notável", disse Meyer.

Em meados de fevereiro, num jogo da terceira divisão entre Preussen Münster e Würzburger Kickers, um homem de 29 anos resolveu insultar o jogador Leroy Kwadwow com palavras e gestos. Fez a imitação de um macaco enquanto exclamava: "Volte para o seu buraco." Adeptos que presenciaram o ato racista pediram a intervenção das forças de segurança e ecoaram pelo pequeno estádio as palavras de ordem "Nazis raus". O homem foi levado preso para fora do estádio e será processado por crime racial. Também está proibido de frequentar qualquer competição desportiva pelos próximos três anos.

Fritz Keller, presidente da Federação Alemã de Futebol, anunciou que a entidade lutará contra o racismo com todos os meios à disposição e justificou: "Vivenciamos novamente uma época na qual alguns segmentos da sociedade procuram um inimigo para que possam se livrar do ódio que carregam dentro de si. Para esses eu digo que no futebol, nos estádios e no desporto em geral não há lugar para ódio, xenofobia e racismo. Vamos cerrar fileiras contra toda e qualquer forma de descriminação – seja no estádio, na rua ou nas redes sociais."

Há quase um mês, numa partida válida pela Copa da Alemanha entre Schalke 04 e Hertha Berlim, Jordan Torunarigha da equipa berlinense, teve que ouvir insultos e urros racistas durante a partida. O juiz fez-se de desentendido e deixou passar. Logo a seguir, Jordan sofreu uma falta violentíssima que o deixou estatelado no chão. Ao levantar-se já fora de campo, descarregou sua raiva e chutou uma caixa com bebidas. Dessa vez, o árbitro não teve dúvidas. Deu o segundo cartão amarelo ao jogador e expulsou-o de campo.
  
O incidente ocorreu na Veltins Arena, casa do Schalke 04, cujo presidente, Clemens Tönnies, há poucos meses, durante um evento empresarial, pleiteou a construção de centrais elétricas no continente africano. Ele justificou sua proposta com o seguinte argumento: "Assim, os africanos param de derrubar árvores e de produzir crianças quando fica escuro."

Talvez seja exagero estabelecer uma ligação direta entre a fala de Tönnies e o ato racista de um desvairado. Por outro lado, pessoas no exercício de cargos executivos têm a responsabilidade de medir suas palavras, especialmente quando pronunciadas em público.  Excessos verbais carregam dentro de si germes à procura de um terreno fértil, quiçá na mente dos que só necessitam de uma justificação qualquer para extravasar sua índole violenta contra inimigos imaginários.

Leon Goretzka joga no Bayern de Munique há um ano e meio. Ele veio do Schalke 04 e tem 25 anos. Já vestiu a camisa da seleção alemã em 25 oportunidades. Em entrevista à revista alemã Der Spiegel conclamou seus colegas a um maior engajamento na luta contra o racismo.

"Infelizmente os temas do antissemitismo e racismo tornaram-se muito atuais. Diante disso, tomei a decisão de me posicionar claramente a respeito. Já estava mesmo na hora", disse Goretzka.

"Na partida amistosa que jogamos contra a Sérvia no ano passado, dois dos meus colegas de seleção sofreram pesados insultos racistas. Até então eu achava que no nosso país racismo fosse coisa do passado. Recentemente visitei o campo de concentração de Dachau e decidi então fazer a minha parte para que o horror não se repita", concluiu.

É um caso alentador de um profissional do futebol posicionando-se claramente sobre questões políticas. Que seus colegas se encham de coragem e sigam o exemplo.

Gerd Wenzel*

Na imagem: "Racismo mata. Todos e tudo contra o racismo", diz cartaz exibido por torcedores do Freiburg

*Gerd Wenzel começou no jornalismo desportivo em 1991 na TV Cultura de São Paulo, quando pela primeira vez foi exibida a Bundesliga no Brasil. Desde 2002, atua nos canais ESPN como especialista em futebol alemão. Semanalmente, às quintas, produz o Podcast "Bundesliga no Ar". A coluna Halbzeit sai às terças. Siga-o no TwitterFacebook e no site Bundesliga.com.br

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2020/02/campanha-contra-racismo-e-xenofobia.html

Artigos relacionados

Os corsários  Juan Guaidó e Boris Johnson 2020 - Francis Drake1591Um juiz britânico concedeu a Juan Guaidó o controle das 31... 1 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
PCP não aprova o Orçamento Suplementar
PCP não aprova o Orçamento Suplementar Os comunistas chumbam um Orçamento que prolonga «o corte de salários a centenas de milhares de tra... 1 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
EUA criticados por açambarcamento de Remdesivir
EUA criticados por açambarcamento de Remdesivir Os Estados Unidos são alvo de críticas crescentes depois de terem anunciado a compra da quase totalidade dos próxi... 1 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
Partido Comunista da China comemorou seu 99º aniversário. 1 de julho de 2020, o Partido Comunista da China comemorou seu 99º aniversário. 99 anos da sua fundação, 71 anos no po... 1 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
A escolha que sobrava para a TAP
A escolha que sobrava para a TAP (Daniel Oliveira, in Expresso Diário, 02/07/2020) Daniel OliveiraJá o escrevi demasiadas vezes para ter de desenvolv... 5 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
Empresa tenta dissuadir plenários de trabalhadores vidreiros
Empresa tenta dissuadir plenários de trabalhadores vidreiros A administração da Carl Zeiss tentou dissuadir a participação dos trabalhadores nos plen&a... 2 views Mon, 30 Nov -1, 00:00:00
  • Criado em .

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Publicações mais recentes

Últimos posts (Cascais)

Itens com Pin
    Atividades Recentes
    Aqui ainda não existem atividades

    Últimos posts (País e Mundo)

    Itens com Pin
      Atividades Recentes
      • LEGALIZAÇÃO DAS CASAS DE PROSTITUIÇÃO

        Um debate que provavelmente vai ganhar dimensão.
        Legalização da prostituição - petição apresentada na A.R
        Gravação da reunião na Assembleia da República
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      • Homicidal Cops Caught On Police Radio
        #TheJimmyDoreShow
        Homicidal Cops Caught On Police Radio
        42 219 visualizações
        •05/06/2020
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      Aqui ainda não existem atividades
      LOGO4 vert01
      A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
      Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
      exceto quando expressamente assinadas por esta.
       

      SSL Certificate
      SSL Certificate