• Entrada
  • Artigos
  • Mundo
  • Brasil | Quem deu a ordem de censurar sites?

Brasil | Quem deu a ordem de censurar sites?

 
 
Você provavelmente ainda não se deu conta disso, mas a gente vai te falar: a sua provedora de internet – aquela para a qual você paga seus boletos todo mês – está controlando que tipo de sites você vai ou não ver. E não estamos falando de sites com conteúdo flagrantemente criminoso ou ilegal. 
 
Estamos falando de sites com informações públicas sobre direitos reprodutivos e sobre como fazer um aborto seguro. Ao sonegarem esse tipo de informação, as empresas contribuem para a estatística: em 2016, foi registrada uma morte a cada duas tentativas de aborto. Tente acessar este site agora: https://www.womenonwaves.org/pt/
 
 
Nesta semana, mostramos aqui no Intercept que a Vivo e a NET/Claro, as duas maiores provedoras de internet banda larga do país, fazem exatamente isso: elas bloqueiam o acesso de seus clientes ao site Women on Waves, que fornece assistência e informações sobre aborto seguro. Para você ter uma ideia, só outros quatro países fazem o mesmo tipo de bloqueio: Arábia Saudita, Irã, Turquia e Coreia do Sul.
 
A gente foi, então, perguntar para as empresas por que elas censuram esse conteúdo. Isso porque, apesar de o aborto ser crime no Brasil (exceto nos casos de anencefalia, estupro ou risco) compartilhar informações sobre aborto seguro não é crime. Nós já publicamos, a revista AzMina já publicou (e foi atacada por isso), até a Organização Mundial da Saúde tem o beabá do aborto seguro disponível na internet. Por que o Women on Waves é bloqueado? As operadoras responderam com uma notinha de duas linhas que diz que o bloqueio aconteceu por causa de uma ordem judicial e que elas não comentam decisões da justiça. Uma notinha vaga que desperta outras perguntas: quem pediu esse bloqueio? Partiu de quem? As operadoras de telefonia recorreram? O processo está em segredo de justiça? Por quê? Não sabemos. No caso do bloqueio ao Women on Waves, a situação é grave porque o conteúdo não é criminoso. Por causa de uma ordem judicial que não sabemos de onde veio e nem o seu teor – mas podemos imaginar o que a provocou, já que a censura se agravou em 2019 –, milhões de brasileiros vão ficar privados do acesso a informações de interesse público sobre saúde reprodutiva feminina. Trata-se de uma censura a um site que, a rigor, é legal. Depois da publicação da reportagem – que se concentrou só na banda larga fixa –, recebemos relatos de leitores que relataram que o bloqueio também acontece na Tim. Ou seja, é mais grave do que relatamos. Nós perguntamos ao Sinditelebrasil, que representa as telecoms, o número do processo que motivou a censura. Ninguém respondeu. Sem transparência, você fica sem saber as razões das operadoras esconderem um site de você. Pior: fica sem saber, também, se há outros sites que estão sendo censurados sem nenhum aviso ou explicação. O que mais a Vivo, NET/Claro e a Tim  estão tentando impedir que seus clientes acessem? E por quê? Sugerimos que vocês perguntem às telecoms nas redes sociais. Talvez com pressão pública elas tomem coragem de nos contar a verdade. Marquem o TIB: a gente quer saber o que elas respondem. FACEBOOK:
Tim: https://twitter.com/TIMBrasil Por fim: quem tiver alguma pista ou ideia de que processo seria esse que derrubou o site, por favor, responda a este e-mail. Estamos apurando, mas vocês podem nos ajudar. Obrigada!
 
Tatiana Dias                                        
Editora Sénior
 
Nathália Braga
Estagiária de Jornalismo
 
O Intercept Brasil não vai parar de investigar o judiciário, as grandes corporações, políticos e governos. Junte-se a nós na luta por informação e transparência. FAÇA PARTE DO TIB  The Intercept Brasil

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2019/12/brasil-quem-deu-ordem-de-censurar-sites.html

Artigos relacionados

Bolsonaro e a arquitetura da destruição
Bolsonaro e a arquitetura da destruição Aproveitando a justa e necessária onda de repúdio ao discurso do Secretário nacional da Cultura, Roberto Alvim, po... 47 views Mon, 20 Jan 2020, 12:01:48
Projeto neoliberal esmaga a indústria e o consumo
Projeto neoliberal esmaga a indústria e o consumo A informação de que o Brasil perdeu 17 fábricas por dia entre 2015 e 2018 diz muita coisa. Como resultad... 18 views Fri, 17 Jan 2020, 12:39:19
Moro chorou ao saber que seria demitido e prometeu mudar de comportame...
Moro chorou ao saber que seria demitido e prometeu mudar de comportame...   Publicado no Blog do Rovai No dia em que foi avisado por um dos ministros militares que seria demitido por Bo... 36 views Tue, 14 Jan 2020, 22:23:15
“Democracia em Vertigem” no Oscar: a História começa a prestar contas ...
“Democracia em Vertigem” no Oscar: a História começa a prestar contas ... Cynara Menezes, para o Jornalistas pela Democracia “Neste momento, me inspiro em Darcy Ribeiro para dizer: não gost... 58 views Tue, 14 Jan 2020, 16:56:04
O atentado ao Porta dos Fundos e o terrorismo da ditadura
O atentado ao Porta dos Fundos e o terrorismo da ditadura Pesquisador relata métodos dos porões da ditadura militar que se igualam ao caso reivindicado por integralistas. ... 69 views Sat, 11 Jan 2020, 00:05:51
Cai a máscara das Jornadas de 2013
Cai a máscara das Jornadas de 2013   Que boca que tem o Lula, hein? Foi só ele falar que as jornadas de 2013 foram arquitetadas para derrubar o... 43 views Thu, 02 Jan 2020, 17:00:03

Brasil, Censura

  • Criado em .
  • Visualizações: 108

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Publicações mais recentes

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • Vasco Graça updated his profile
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate