• Le Monde Diplomatique PT
  • Mundo

«Uma chacina»

Ninguém podia invejar a sorte de Nathalie Dompnier, presidente da Universidade Lumière Lyon II, quando teve de comentar a imolação pelo fogo, a 8 de Novembro último, de um dos seus estudantes. Com o seu gesto, Anas K., de 22 anos, pretendeu protestar contra a miséria e o impasse da sua condição social. Tinha de trabalhar e estudar ao mesmo tempo; reprovara nos exames; acabava de lhe ser retirada a bolsa que recebia. Decidiu-se então, segundo as palavras do tunisino Abdel Razzaq Zorgui, que também se imolou, em Dezembro de 2018, a «fazer uma revolução sozinho».

Os jovens entre os 18 e os 24 anos constituem o grupo cuja taxa de pobreza mais aumentou. Ora, recorda Nathalie Dompnier, a precariedade «não permite estudar em condições de serenidade». Cinco meses antes da tentativa de suicídio de Lyon, um aviso oficial advertia que o trabalho assalariado dos estudantes, quando ultrapassa um certo período, «o que acontece muitas vezes entre os que não dispõem de bolsas suficientes ou de ajudas familiares, fá-los correr um risco acrescido de insucesso nos estudos» [1].

Muitos destes estudantes, além disso, têm fome, dormem na rua, não cuidam de si próprios. Com os meios ínfimos de que a sua universidade dispõe, Nathalie Dompnier declara que «não poderá fazer tudo» por eles. Avança com «uma unidade psicológica», «um número verde», «uma mercearia solidária» (Le Monde, 16 de Novembro de 2019). Quanto à ministra do Ensino Superior e da Investigação, Frédérique Vidal, vale-se de ter «aumentado o montante das bolsas» (na realidade, em 1,3%, ou seja, o nível oficial da inflação). Vai, contudo, «repensar tudo isto»; mas, «evidentemente, isso leva tempo». Por agora, promete que, neste Inverno, vão deixar de expulsar os estudantes pobres das residências universitárias…

O que se passa com a universidade passa-se com os hospitais, a agricultura, os bombeiros, a escola, o estado das pontes. Em França, do mesmo modo que noutras paragens. Passados trinta e cinco anos de privatizações, de recuo da gratuitidade, de diminuição das prestações sociais, de controlos miudinhos em todas as áreas – obrigada, Internet –, chegámos a uma sociedade sob pressão, atordoada, no osso, que está a esgotar as suas últimas reservas. Uma sociedade com sectores inteiros que estão a sucumbir. A intervalos regulares, esta sociedade mostra o seu esgotamento, exprime a sua cólera [2]. Pé ante pé, ela resiste à violência que os partidos de governo teimam em infligir-lhe, apesar de todas as alternâncias políticas. No programa das mais recentes «reformas», ou das próximas, constam a redução dos apoios à habitação, um novo aumento da idade de aposentação, a liberalização do trabalho à noite, a restrição dos apoios do Estado na saúde, o endurecimento das condições para o subsídio de desemprego – «uma chacina», segundo reconhece um responsável sindical, Laurent Berger, apesar de beneficiar dos favores da presidência da República.

Um jovem que sacrifica a vida como se faz nos regimes autoritários, manifestantes que perdem um olho, uma mão, durante uma carga policial, panfletários de direita que anunciam a guerra civil… Nas próximas semanas vão acontecer em França vários movimentos de greve. Se eles fracassarem, em que situação estaremos no próximo ano?


[1] Marie-Hélène Boidin Dubrule e Stéphane Junique, «Éradiquer la grande pauvreté à l'horizon 2030», Conseil économique, social et environnemental, Paris, 26 de Junho de 2019.

[2] Ler Bernard Cassen, «Quand la société dit “non”» (bem como o dossiê em que se insere), Le Monde diplomatique, Janeiro de 1996.

Ver o original em Le Monde Diplomatique PT (clique aqui)

Artigos relacionados

A “uberização” do trabalho: motorista de aplicativo não é empreendedor
A “uberização” do trabalho: motorista de aplicativo não é empreendedor Considerar a “uberização” do trabalho como um processo empreendedor é uma deturpação do conceito de empreendedoris... 49 views Wed, 15 Jan 2020, 11:38:32
A uberização do funcionalismo público faz parte de um projeto de enfra...
A uberização do funcionalismo público faz parte de um projeto de enfra... A Reforma Administrativa do Governo Bolsonaro, que diminui direitos e garantias dos servidores públicos, provavelmente... 43 views Tue, 14 Jan 2020, 16:35:01
Desbravando o negócio da Uber
Desbravando o negócio da Uber Este útil dossier enuncia aspectos essenciais da natureza e da actuação da multinacional norte-americana UBER. Nada lhe ... 88 views Fri, 10 Jan 2020, 17:32:34
Trabalhadores a recibos verdes nunca receberam tão pouco
Trabalhadores a recibos verdes nunca receberam tão pouco Mário Cruz / Lusa   Os trabalhadores independentes ou a recibos verdes nunca receberam tão pouco como no ... 66 views Mon, 23 Dec 2019, 17:07:22
É preciso vontade política para pôr fim à precariedade laboral
É preciso vontade política para pôr fim à precariedade laboral PS, PSD e CDS-PP consideram inoportunas e desadequadas as propostas de combate à precariedade discutidas no Parlamento... 35 views Fri, 20 Dec 2019, 18:59:01
Advogados, pobrezas envergonhadas
Advogados, pobrezas envergonhadas (Virgínia da Silva Veiga, 14/12/2019) O dia em que os advogados conseguirem um sistema justo de contribuições p... 55 views Tue, 17 Dec 2019, 16:05:45

Precariedade, Jovens

  • Criado em .
  • Visualizações: 67

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Publicações mais recentes

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • Vasco Graça updated his profile
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate