• Entrada
  • Artigos
  • Mundo
  • HONG KONG, REGRESSA O TRATADO DE NANQUIM - POR MANLIO DINUCCI

HONG KONG, REGRESSA O TRATADO DE NANQUIM - POR MANLIO DINUCCI

 
Resultado de imagem para pictures of riots in hong kong in front of the British Embassy
A Arte da Guerra
Hong Kong - regressa o "Tratado de Nanquim"
Manlio Dinucci
 
Centenas de jovens chineses, em frente ao Consulado Britânico, em Hong Kong, cantam “Deus Salve a Rainha” e gritam “Grã-Bretanha, salva Hong Kong”, apelo reunido em Londres por 130 parlamentares, que pedem para dar a cidadania britânica aos moradores da antiga colónia. Assim, a Grã-Bretanha é apresentada à opinião pública mundial, especialmente aos jovens, como garantia da legalidade e dos direitos humanos. Para fazê-lo, elimina-se a História. Portanto, é necessário, antes de outras considerações, o conhecimento dos acontecimentos históricos que, na primeira metade do século XIX, conduzem o território chinês de Hong Kong ao domínio britânico
Para penetrar na China, então governada pela dinastia Qing, a Grã-Bretanha recorreu à venda de ópio, que transporta por via marítima da Índia, onde detém o monopólio. O mercado de drogas espalha-se rapidamente no país, provocando graves danos económicos, físicos, morais e sociais que suscitam a reacção das autoridades chinesas. Mas quando elas confiscam, em Cantão, o ópio armazenado e o queimam, as tropas britânicas ocupam,  com a primeira Guerra do Ópio, esta e outras cidades costeiras, constrangendo a China a assinar, em 1842, o Tratado de Nanquim.
No artigo 3 estabelece: “Como é obviamente necessário e desejável que os súbditos britânicos disponham de portos para os seus navios e para os seus armazéns, a China cede para sempre a ilha de Hong Kong a Sua Majestade, a Rainha da Grã-Bretanha e aos seus herdeiros".
No artigo 6 o Tratado estabelece: “Como o Governo de Sua Majestade Britânica foi forçado a enviar um corpo de expedição para obter uma indemnização pelos danos causados pelo procedimento violento e injusto das autoridades chinesas, a China concorda em pagar a sua Majestade Britânica, a quantia de 12 milhões de dólares pelas despesas envolvidas”.
 
O Tratado de Naquim é o primeiro dos tratados desiguais através dos quais as potências europeias (Grã-Bretanha, Alemanha, França, Bélgica, Áustria e Itália, a Rússia czarista, o Japão e os Estados Unidos) asseguram na China, pela força das armas, uma série de privilégios: a transferência de Hong Kong para a Grã-Bretanha, em 1843, a forte redução de impostos sobre mercadorias estrangeiras (assim como os governos europeus estabeleceram barreiras alfandegárias para proteger as suas indústrias), a abertura dos portos principais a navios estrangeiros e o direito de ter áreas urbanas sob a sua administração (as “concessões”) subtraídas à autoridade chinesa.
Em 1898, a Grã-Bretanha anexou a Hong Kong, a península de Kowloon e os designados New Territories (Novos Territórios), concedidos pela China “por aluguer”, durante 99 anos. O descontentamento generalizado sobre estas imposições fez explodir uma revolta popular, no final do século XIX –Revolta dos Boxers - contra a qual interveio um corpo expedicionário internacional de 16 mil homens sob comando britânico, no qual a Itália também participou.
Desembarcou em Tianjin, em Agosto de 1900, saqueia Pequim e outras cidades, destruindo numerosas aldeias e massacrando a população. Posteriormente, a Grã-Bretanha assume o controlo do Tibete, em 1903, enquanto a Rússia czarista e o Japão dividiram a Manchúria, em 1907.
Na China reduzida a condições coloniais e semi-coloniais, Hong Kong torna-se o principal porto de comércio baseado na pilhagem dos recursos e na exploração esclavagista da população.
Uma massa enorme de chineses é forçada a emigrar, sobretudo para os Estados Unidos, Austrália e Sudeste Asiático, onde é coagida a condições semelhantes de exploração e discriminação.
Surge, espontaneamente, uma pergunta: em que livros de História estudam os jovens que pedem à Grã-Bretanha para “salvar Hong Kong”?
 
ilmanifesto, 17 de Setembro de 2019

Ver o original em 'Manuel Banet' (clique aqui)

Artigos relacionados

Empresas gradualmente reabrem à medida que a China avança na luta cont...
Empresas gradualmente reabrem à medida que a China avança na luta cont...   Shenyang, 22 fev (Xinhua) -- As empresas estão gradualmente retomando as operações na China, à medida que ... 75 views Sun, 23 Feb 2020, 01:59:39
Saída da Grã-Bretanha da UE
Saída da Grã-Bretanha da UE Os comunistas da Grã-Bretanha veem a saída da Grã-Bretanha da UE como uma oportunidade para desenvolver uma ampla lu... 40 views Fri, 14 Feb 2020, 15:56:56
“Mais poderoso do que qualquer ataque terrorista”. Coronavírus já fez ...
“Mais poderoso do que qualquer ataque terrorista”. Coronavírus já fez ...   O número de mortos na China continental devido ao novo coronavírus aumentou para 1.113, informou esta terç... 48 views Wed, 12 Feb 2020, 17:00:39
Taxa de cura da infecção do novo coronavírus aumenta na China
Taxa de cura da infecção do novo coronavírus aumenta na China Beijing, 10 fev (Xinhua) -- A proporção de pacientes curados da epidemia causada pela infecção do novo coronavírus n... 40 views Mon, 10 Feb 2020, 16:34:36
União Africana expressa solidariedade com China em sua luta contra epi...
União Africana expressa solidariedade com China em sua luta contra epi... Vista exterior da sede da União Africana em Adis Abeba, capital da Etiópia, em 28 de janeiro de 2015. (Xinhua/Zhai J... 173 views Sun, 09 Feb 2020, 15:05:58
Medicamento antiviral Remdesivir será aplicado em testes clínicos nest...
Medicamento antiviral Remdesivir será aplicado em testes clínicos nest...     Beijing, 6 fev (Xinhua) -- O registro de testes clínicos do remédio antiviral Remdesivir foi aprovad... 72 views Thu, 06 Feb 2020, 12:12:52

China, Reino Unido

  • Criado em .
  • Visualizações: 88

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Publicações mais recentes

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • Vasco Graça updated his profile
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate