O capitalismo em debate

 
 
Depois de várias décadas de cozidos requentados pós-modernos, sopas “pós-marxistas”, saladas reformistas e sobremesas pós-coloniais à la carte, a discussão sobre o capitalismo mundial volta ao centro da mesa.
 
Néstor Kohan*
 
Nos movimentos sociais, nas organizações políticas e no mundo cultural. Já ninguém se conforma com os “microrrelatos”, os “micropoderes”, a “micro-história”. Todos os pretextos e malabarismos para não encarar as crises selvagens que atravessam o sistema capitalista são afastados, como migalhas sujas, para fora da toalha.
 
O incêndio da crise de 2008 não se apaga. O fogo estende-se. O planeta range. Cada vez se tornam mais inadiáveis as explicações totalizantes sobre o que atravessamos.
 
Estaremos, por fim, numa época de capitalismo “desterritorializado” e interdependente, sem imperialismo, metrópoles, dependências nem periferias, onde um grupo de vendedores ambulantes de um bairro perdido do Haiti desempenha o mesmo papel no sistema mundial que o Bundesbank alemão, uma aldeia longínqua da Indonésia tem a mesma categoria de poder financeiro e político-militar que a Wall Street ou o Pentágono? Ou talvez continuemos localizados, ainda que não percebamos, no antigo capitalismo keynesiano do pós-guerra, com cadeias produção de valor ancoradas em cada país e capitais regulados em escala puramente nacional? Terá sido totalmente inócua a contraofensiva capitalista iniciada em setembro de 1973 no Chile, estendida a seguir à Argentina de 1976 e finalmente aplicada durante 1979-1980 na Londres de Margaret Thatcher e na Washington de Ronald Reagan? Que alguém avance uma explicação por favor e nos esclareça o panorama!
 
Não estaremos vivendo, talvez, uma nova fase do capitalismo, na qual se combinam as revoluções tecnológicas do capitalismo tardio estudadas por Erneste Mandel, os cinco monopólios mundiais explicados por Samir Amin e a reconquista planetária por expropriação (desposesión) sobre a qual nos alertou David Harvey?
 
 
Seja qual for a resposta correta, o que está claro é que a partir da crise feroz de 2008 e da reconversão dos antigos fanáticos do livre comércio em “protecionistas” e “guerreiros comerciais” (EUA, Alemanha, China, etc), somadas às invasões, bombardeios, bloqueios econômicos e intervenções político-militares imperialistas da última década, qualquer análise séria do presente já não pode continuar a repetir os tiques, os slogans e as modulações da “coexistência pacífica” de 1960.
 
Aquele tosco e demasiado inocente “pacifismo” de Nikita Kruschev dos velhos documentários em branco e preto, uma década mais tarde adotado nas metrópoles ocidentais pelo eurocomunismo (acompanhado de refinadas e esquisitas argumentações epistemológicas), hoje... nos atrasa!
 
Afirmar que a grande meta estratégica do comunismo é... “a paz” (assim, em geral, como diziam os soviéticos) e a defesa “da democracia” (também em geral, sem especificações e qualificações), está demodé. Não vai mais. Não corresponde ao planeta em que vivemos.
Flower power frente ao imperialismo ou estratégia comunista?
 
O mundo mudou. Lamentavelmente não foi para melhor. O movimento hippie de John Lennon e Yoko Ono, junto com o flower power, ficaram no belo rincão da nostalgia estética e da memória musical. Longe daqueles cabelos compridos e dos seus protestos pacifistas em lençóis brancos, nosso mundo atual parece-se muito mais com as sombrias imagens distópicas onde proliferam as invasões, as bases militares em escala planetária, a vigilância global, a repressão das massas empobrecidas migrantes e as guerras por recursos naturais não renováveis.
 
Se tivermos os pés na terra e não confundirmos o princípio do prazer (e a imaginação psicodélica) com o princípio da realidade, o trauma da queda do Muro de Berlim e as antigas nostalgias, hoje imperantes, devem ser superadas de uma vez por todas. De nada serve invocá-las periodicamente para reinventar novos reformismos.
 
Num livro recente, Estudiando la contrainsurgencia de Estados Unidos. Manuales, mentalidades y uso de la antropología (2019), o antropólogo mexicano Gilberto López y Rivas descreve o sistema mundial capitalista da nossa época. É só uma tentativa possível, mas a nosso ver muito útil e realista.
 
No momento de definir as características centrais e o tipo de capitalismo que predomina nos nossos dias, o autor recusa de fato as versões apologéticas de uma suposta globalização “homogênea, plana, sem assimetrias nem desenvolvimentos desiguais”. Gilberto López y Rivas afirma que o sistema capitalista do nosso presente constitui um imperialismo global lançado sem escrúpulo algum numa “recolonização do mundo”. Sua tese, arriscada e precisa, desmonta na prática esse lugar comum das academias (financiadas por fundações “desinteressadas” como a NED ou a USAID) segundo a qual “num mundo globalizado, governado pela informação e o capitalismo cognitivo, os Estados Unidos, a Europa ocidental e os países capitalistas mais desenvolvidos já não necessitam da América Latina, África nem dos países pobres da Ásia, ou seja, do Terceiro Mundo”. Essa formulação trivial, repetida até à exaustão por especialistas em guerra psicológica, opiniólogos do marketing midiático e diletantes vários a soldo do império, depara-se com as guerras permanentes contra países periféricos, os bombardeios “humanitários” contra as sociedades dependentes, os bloqueios econômicos e comerciais contra qualquer governo desobediente – nomeados com desdém como um “regime” só pelo facto de não se ajoelhar perante as ordens das embaixadas estadunidenses, da União Europeia ou as receitas do FMI e do Banco Mundial – e o saqueio ininterrupto dos recursos naturais e da biodiversidade do Terceiro Mundo. Esse processo renovado de dominação e apropriação, ou a tentativa de levá-lo a cabo por métodos violentos, constitui a manifestação de um “neocolonialismo imperialista”, segundo a análise rigorosa de Gilberto López y Rivas. Toda uma definição.
 
O arco-íris da bandeira vermelha
 
Dentro deste contexto global, não cabe a passividade. As resistências são múltiplas. Ainda que nem todas tenham a mesma capacidade de organização, mobilização, nem a mesma nitidez ideológica para convocar e unir em escala internacional as iras populares, as rebeldias antissistêmicas e as dissidências contra “a nova ordem mundial”, cada dia mais caótica, cruel e desapiedada. As bandeiras das massas oprimidas e dos movimentos sociais em escala planetária têm as cores mais diversas, desde o verde ecologista e o violeta feminista até o emblema multicor LGTBI, entre muitíssimas outras expressões da palestra rebelde. Mas de todas as cores e matizes, necessariamente variados e coexistentes, acreditamos que o horizonte vermelho do marxismo continua a ser a perspectiva teórico-política mais abrangente, inclusiva e integradora e a que permite articular e unir todas as demais rebeldias à escala mundial, como há alguns anos assinalou a pensadora dos Estados Unidos Ellen Meiksins Wood no seu conhecido livro A renovação do materialismo histórico. Democracia contra capitalismo (2000).
 
= = =
Trecho do texto: El fantasma comunista en su laberinto: notas "desde un oscuro rincón del mundo". In: La Haine.
 
 
*Néstor Kohan | Investigador e docente na Universidade de Buenos Aires (UBA). Publicou numerosas obras sobre teoria marxista e história do pensamento revolucionário, entre os quais destacam: “O capital: história e método”; “Ernesto Che Guevara: o sujeito e o poder”, “Gramsci para principiantes” e “Fidel para principiantes”. Vários deles têm sido editados na Argentina, Brasil, México, Cuba, Venezuela, Colômbia e no Estado espanhol.
 
 
 
 

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2019/08/o-capitalismo-em-debate.html

Artigos relacionados

Às vésperas da eleição americana
Às vésperas da eleição americana O que irá acontecer depois das eleições presidenciais norte-americanas em novembro deste ano?     Publicado no site A Terra é Redonda O que irá acontecer depois das eleições presidenciais norte-am... 56 views Tue, 21 Jul 2020,
Marx, “O Capital” e o homem-mercadoria [parte 2]
Marx, “O Capital” e o homem-mercadoria [parte 2] por Bruno Guigue (*) | Le Grand Soir - Tradução de Luiz Lima para a Revista Opera No artigo a seguir, que publicamos em duas partes, Bruno Guige analisa as formas da escravidão n’O Capital de Marx. Leia aqui a prime... 52 views Mon, 13 Jul 2020,
AS CARATERÍSTICAS DO CAPITALISMO E DO ESTADO EM PORTUGAL: A PASSAGEM DE GRUPOS ECONÓMICOS E FINANCEI...
AS CARATERÍSTICAS DO CAPITALISMO E DO ESTADO EM PORTUGAL: A PASSAGEM DE GRUPOS ECONÓMICOS E FINANCEI... Eugénio Rosas August 2014       Resumo: O artigo analisa as características do capitalismo na formação social portuguesa, considerando os grupos econômicos em Portugal antes e depois do 25 de Abril.... 145 views Sun, 12 Jul 2020,
Soleimani foi assassinado de forma “ilegal e arbitrária”, considera perita da ONU
Soleimani foi assassinado de forma “ilegal e arbitrária”, considera perita da ONU (h) Iranian Supreme Leader's Office / EPA   A relatora especial da ONU, Agnes Callamard, considera que os Estados Unidos não apresentaram provas suficientes para justificar o ataque.   Uma especial... 42 views Wed, 08 Jul 2020,
 Bolsonaro e o ocaso da teoria política moderna
Bolsonaro e o ocaso da teoria política moderna – A teoria política moderna fundamenta-se em algumas premissas que a crise da sociedade burguesa plenamente desenvolvida se encarrega de solapar. por Mauro Luis Iasi [*]     "Outrora, o bem dos ... 92 views Tue, 30 Jun 2020,
Boaventura: as hierarquias que estão em xeque
Boaventura: as hierarquias que estão em xeque     Fracasso norte-americano revela como se tornou frívola a arrogância do norte diante do sul. E a ideia de uma natureza disponível e consumível – típica da bíblia que o ocidente adotou – desaba sob o pe... 215 views Thu, 04 Jun 2020,

Comentários (0)

Rated 0 out of 5 based on 0 voters
There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
Rate this post:
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Imperialismo, Teoria

  • Criado em .
  • Visualizações: 315
O capitalismo em debate
Note 0 sur 5 Pour 0 votes

Publicações mais recentes

Filtrar por categoria
14, agosto 2020

COVID19. Autocarro 462 a “abarrotar” depois de supressão

em Cascais

por CASCAIS24

COVID19 Autocarro 462 a "abarrotar" depois da supressão de outra carreira 14 AGOSTO 2020 Não param as queixas dos utentes de algumas carreiras municipais de Cascais, por alegada falta de condições e de segurança no…
14, agosto 2020

Fogo noturno consome 1000m2 de mato entre Malveira da Serra e Guincho

em Cascais

por CASCAIS24

SEGURANÇA Por Redação 14 agosto 2020 Cerca de 1000m2 de mato foram consumidos por um incêndio que deflagrou esta quinta-feira, ao final da noite, na EN 247, na estrada que liga a Malveira da Serra…
14, agosto 2020

Marx e a concepção materialista da história

em Mundo

por José Carlos Ruy, em São Paulo in 'O TORNADO'

Cássio Loredano Desde seus primeiros escritos Marx e Engels compreenderam que não há história sem a ação do ser humano, sem a praxis humana. 13 Agosto, 2020 José Carlos Ruy, em São Paulo   Hegel…
14, agosto 2020

Contra o fascismo não pode haver só sensatez!

em Portugal

por jorge rocha in 'Ventos Semeados'

Há uns meses atrás o gesto do jogador Marega fez notícia nos jornais e nos audiovisuais, mas não teve consequências: os energúmenos de Guimarães, que o ofenderam e forçaram a sair do campo continuam sem…
14, agosto 2020

Trabalhadores de grupo hoteleiro de luxo lutam contra precariedade

em Portugal

por AbrilAbril

Os trabalhadores do grupo JJW Hotels e Golf Resorts cumpriram dois dias de greve pelo pagamento dos salários em atraso e contra a degradação das condições de trabalho. Trabalhadores do grupo JJW Hotels & Golf…
14, agosto 2020

O Líbano deveria olhar para o Leste e descartar o ocidente

em Mundo

por resistir.info

por Pepe Escobar  Na medida em que o Covid-19 foi instrumentalizado pelos 0,001% a Covid-19 para engendrar um Grande Reinício ( Great Reset ), a explosão maciça do porto de Beirute já está a ser…
14, agosto 2020

Um vicio antigo

em Portugal

por Vitor Dias in "O Tempo das Cerejas"

A mania das generalizações abusivas   Este editorial refere-se aos vetos presidenciais aos diplomas parlamentares que reduziram o númerode debates sobre temas europeus e elevaram o número de assinaturas exigido às petições.E nele Manuel Carvalho…
14, agosto 2020

Um “novo Plano Marshall” para a Europa. Mas não seria melhor um “novo New Deal” mundial?

em Mundo

por Brasil24/7

  É mais prudente e efetivo um novo consenso entre os países, organizando um “New Deal global”, com incentivos à economia e garantia de direitos sociais de forma ampla e universalizada, a fim não apenas…
14, agosto 2020

Escolas devem reabrir normalmente. Governo preparado para decisões diferentes

em Portugal

por ZAP in ZAP

Rodrigo Antunes / Lusa   As escolas devem reabrir em situação de normalidade e só uma evolução negativa da pandemia levará a decisões contrárias, de maior ou menor alcance, que o Governo disse esta quinta-feira…
14, agosto 2020

Espanha com quase mais 3.000 novos casos. É o maior aumento desde maio

em Mundo

por ZAP in ZAP

Massimo Percossi / EPA   Espanha registou o maior número de infeções de covid-19 desde o final de maio, com 2.935 novos casos nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde, ressalvando que o…
14, agosto 2020

Três meses depois do anúncio, o apoio de emergência às Artes ainda não chegou

em Portugal

por Lusa in ZAP

Miguel A. Lopes / Lusa A ministra da Cultura, Graça Fonseca Cinquenta das 311 entidades abrangidas pela Linha de Apoio de Emergência às Artes, dotada de 1,7 milhões, ainda não tinham esta quinta-feira recebido o…
14, agosto 2020

Plano golpista para a Venezuela prossegue e apoia-se no narcotráfico

em Mundo

por AbrilAbril

O embaixador venezuelano na ONU denunciou que o plano golpista para a Venezuela, para o qual foram prometidas centenas de milhões de dólares, continua activo apesar do seu falhanço inicial. Samuel Moncada é, desde Dezembro…
14, agosto 2020

Família de ativista saudita teme que esteja a ser torturada na prisão

em Mundo

por ZAP in ZAP

Unknown / Wikimedia A ativista saudita Loujain al-Hathloul Familiares de uma importante ativista dos direitos das mulheres da Arábia Saudita, detida desde maio de 2018, temem que esteja a ser torturada na prisão, uma vez…
14, agosto 2020

Em contingência, Câmaras de Lisboa passam a definir horários do comércio. O (pouco) que muda este sábado

em Portugal

por ZAP in ZAP

António Pedro Santos / Lusa   A generalidade de Portugal continental continuará em situação de alerta e a Área Metropolitana de Lisboa em situação de contingência até ao final do mês devido à pandemia de…
14, agosto 2020

Como a Rússia desenvolveu a vacina contra Covid-19 tão rápido e quem poderá tomá-la?

em Mundo

por Brasil24/7

  "Essa vacina é realmente um feito. Um acontecimento raro na ciência, que deve ser comemorado", diz o virologista Feliks Ershov, do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, desenvolvedor da Sputnik V…
14, agosto 2020

Babuínos como nós

em Portugal

por in 'Estátua de Sal'

(Viriato Soromenho Marques, in Diário de Notícias, 08/08/2020) O grande filósofo grego Epitecto, escravizado e agredido pelo seu proprietário romano, secretário de Nero, lembra-nos como na humanidade o desprezo e o domínio dos outros não…
14, agosto 2020

Trabalhadores que estiveram em lay-off durante pelo menos 30 dias também vão ter bónus

em Portugal

por Lusa in ZAP

António Cotrim / Lusa A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho O Conselho de Ministros aprovou um decreto-lei que clarifica que os trabalhadores que estiveram em lay-off por mais de 30…
14, agosto 2020

Organizações progressistas defendem levantamento do embargo contra Cuba 

em Mundo

por AbrilAbril

O aumento das sanções «perversas e cruéis» contra Cuba levou mais de 130 organizações nos EUA a juntarem-se para defender o levantamento do embargo que dura há quase 60 anos. A Assembleia Geral das Nações…
14, agosto 2020

FALTA DE CIVISMO. Donos põem canídeos a defecar nos areais das praias e não limpam!

em Cascais

por CASCAIS24

Por Redação 13 agosto 2020 Os areais de algumas praias de Cascais têm vindo a ser conspurcados pelas fezes de canídeos, libertados pelos donos, que depois não limpam a porcaria. Um dos exemplos é o…
14, agosto 2020

Marcelo pede tolerância zero contra o racismo (e pede “sentido nacional” a Governo e oposição)

em Portugal

por ZAP in ZAP

Mário Cruz / Lusa   O Presidente da República recomendou esta quinta-feira aos democratas “tolerância zero” e “sensatez” para combater o racismo, ao comentar as ameaças de que foram alvo três deputadas e outros sete…
14, agosto 2020

são poucos, mas são nazis

em Portugal

por Dois Dedos de Conversa

Depois de ter anunciado que no dia 8.8 (88 -> hh -> heil hitler) ia acontecer alguma coisa grande, depois de nesse dia dúzia e meia de mascarados terem levado a cabo uma acção de…
14, agosto 2020

A escolha da senadora Kamala Harris

em Mundo

por Jornal Tornado in 'O TORNADO'

Reprodução A escolha da senadora Kamala Harris como vice de Joe Biden, o anúncio pelo Rússia da primeira vacina contra Covid-19, a exclusão da Venezuela da Cúpula pela Amazônia e as manifestações no Líbano e…

Últimos posts (Conversando à beira-mar)

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • LEGALIZAÇÃO DAS CASAS DE PROSTITUIÇÃO

    Um debate que provavelmente vai ganhar dimensão.
    Legalização da prostituição - petição apresentada na A.R
    Gravação da reunião na Assembleia da República
    0
    0
    0
    0
    0
    0
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
  • Homicidal Cops Caught On Police Radio
    #TheJimmyDoreShow
    Homicidal Cops Caught On Police Radio
    42 219 visualizações
    •05/06/2020
    0
    0
    0
    0
    0
    0
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades

página no Facebook

[an error occurred while processing this directive]
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate