• Entrada
  • Artigos
  • Mundo
  • Privatização: passa boi, passa boiada, mas não passa água

Privatização: passa boi, passa boiada, mas não passa água

O território brasileiro abriga, sozinho, 20% da água de todo mundo. Ainda assim, neste país, pátria de 211 milhões de pessoas, aproximadamente 35 milhões não têm acesso à água tratada, e 100 milhões vivem sem acesso à coleta e ao tratamento de esgoto. Dados como estes, que demonstram que metade do Brasil do século 21 vive ainda no 19, foram usados como desculpa nesta semana para a aprovação do marco legal do saneamento básico no Senado, por 65 votos contra 13. 

O projeto, que agora segue para sanção presidencial, facilita a privatização do serviço de água e esgoto, e extingue o atual modelo de contrato entre companhias estaduais e municípios, os chamados contratos de programa. Assim, para que determinado município feche um contrato para a prestação do serviço, obrigatoriamente terá de fazer licitações em que competirão empresas públicas e privadas – atualmente é possível fazê-las, mas não é obrigatório. “O que nos preocupa muito é que de fato essa concepção do projeto corre o risco de desestruturar as companhias estaduais de saneamento, com o setor privado se interessando mais pelas cidades grandes, pelas cidades ricas, e vamos ficar com o Estado sem a possibilidade de aplicar de maneira mais ampla o subsídio cruzado, que permite que cidades maiores, cidades mais ricas, apoiem o serviço das cidades menores”, diz Marcos Montenegro, coordenador do Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento (ONDAS). Ele cita o exemplo do Tocantins: “Lá há um caso muito significativo, porque o Estado vendeu o controle acionário da companhia estadual e uma empresa privada assumiu todos os municípios, mas devolveu os menores ao Estado, para que ele resolvesse o problema dos municípios que são menos rentáveis.”

Outro ponto levantado para a aprovação do projeto foi a pandemia do coronavírus, que para alguns senadores demonstra os perigos da falta de saneamento e a urgência de expansão do atendimento à população. “Essa utilização da pandemia é um escracho, um deboche. Todos os exemplos internacionais dão conta de que a privatização dificultou o acesso à água e ao tratamento esgoto, porque houve elevação de tarifas”, responde o deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ). Ele relembra o caso de sua cidade natal, Nova Friburgo, onde a distribuição da água e esgotamento sanitário foi concedida à empresa privada norte-americana no final da década de 90. “Com o aumento de preço da conta de água, essa empresa deixa de realizar os investimentos, porque as pessoas não pagavam a conta, que foi lá pra cima, e a empresa dizia que tinha um ‘desequilíbrio econômico-financeiro’ porque não se arrecadou aquilo que se pretendia”, diz. “Por um ano ficamos como? Conta cara e investimentos não realizados.”

Água e saneamento no mundo: público ou privado?

Uma pesquisa de 2017, intitulada “Mapa das Remunicipalizações”, realizada por onze organizações, dá conta de 267 casos de “remunicipalização” ou “reestatização” de sistemas de água e esgoto no mundo num intervalo de 17 anos. O aumento das tarifas, promessas não cumpridas e falta de transparência depois das privatizações são alguns dos efeitos que a pesquisadora Satoko Kishimoto apontou como razões para a decisão de reestatizar. A tendência foi observada em cidades como Berlim, Paris, Budapeste, Buenos Aires e La Paz. 

De acordo com Kishimoto, um outro problema é que a reversão das privatizações costuma acarretar custos para o Estado. “Quando as autoridades locais entram em conflito com uma companhia, vemos batalhas judiciais sem fim. Em geral, as empresas podem mobilizar muito mais recursos, enquanto o poder público tem recursos limitados, e muitas vezes depende de dinheiro proveniente de impostos para enfrentar o processo”, diz. Ela cita ainda o caso de Berlim, onde metade do sistema hídrico foi privatizado em 1999. Depois de um referendo em 2011, a privatização foi revertida, em 2013 – mas com um custo de 1,3 bilhão de euros ao Estado. “É um caso muito interessante, porque a iniciativa popular conseguiu motivar a desprivatização. Mas isso gerou uma grande dívida para o Estado, que vai ser paga pela população ao longo de 30 anos.”

Esse custo é também lembrado por Marcos Montenegro, do ONDAS: “Essas medidas têm um custo social na sua implementação, e um custo social à posteriori, no seu desmonte, para uma política que seja mais democrática. Infelizmente esse quadro é o quadro que decorre no saneamento da prevalência da política neoliberal no País. Em vários países do mundo essa política já foi criticada, em especial nessa situação de pandemia – mesmo governos que tinham o credo neoliberal como sua cartilha estão revendo essa posição para o enfrentamento da pandemia.” Ele destaca que, no caso de privatizações, muitas das companhias que acabam por ganhar as licitações não são companhias de água e saneamento, mas fundos de pensão e de investimentos. “Não estão preocupadas em aumentar a cobertura.”

Um caso interessante é o do Chile. No país, de 1875 até o começo da década de 1980, o saneamento e distribuição de água permaneceu majoritariamente nas mãos do Estado, que garantiu níveis crescentes de distribuição e saneamento. A partir dos anos 80, é adotado um sistema misto, em que mais empresas estatais são criadas e continuam provendo os serviços, mas a participação privada acionária é permitida. O desenvolvimento da infraestrutura em todo o período aumentou a cobertura de água e esgoto, ainda que, a partir de 1980, às custas de grandes aumentos tarifários. No final da década de 90, quando 95% do fornecimento de água e sistema de esgoto era público, a cobertura era de 99,3% e 91,6% respectivamente. É a partir daí que um processo de privatização mais amplo é realizado, com vistas a aumentar o nível de tratamento de água – ponto em que a lucratividade era maior e os investimentos eram menores -, sem se preocupar com fornecimento e esgotamento, que já tinha uma infra-estrutura básica. 

Em um longo trabalho sobre o tema, os pesquisadores María Angélica Alegría Calvo e Eugenio Celedón Cariola avaliaram que as privatizações no Chile ocorrem em uma realidade bastante diferente da do Brasil. “As empresas puderam conectar de uma só vez todos os usuários [à água], o que tem uma altíssima rentabilidade, e é diferente de quando as empresas nascem do zero e têm de fazer todos os investimentos.” Em seu trabalho, notam também que “as informações demonstram que aqueles investimentos que são menos rentáveis foram sendo deixados de lado, como investimentos de substituição” depois das privatizações.

No país também prevalece uma grande variação nas tarifas de acordo com a região – mas as tarifas mais altas não significam apoio às regiões mais pobres. No geral, de acordo com a Superintendência de Serviços Sanitários do país (SISS), nas regiões mais populosas os serviços são mais baratos, enquanto as menos populosas – que costumam ser as mais distantes e mais empobrecidas – as tarifas são mais caras. Há também nessas regiões graves problemas de abastecimento. Um estudo publicado neste ano pela Fundação Amulén chamado “Seca no Chile: a brecha mais profunda”, demonstra que as regiões em que prevalece a falta de água potável são as regiões mais pobres do país. Em janeiro desse ano, quando Ministério de Obras Públicas do país decretou 88 comunas como zonas de escassez hídrica, o Senado chileno analisou um projeto que visava declarar a água como bem de uso público. 24 senadores votaram a favor, e 12 contra (todos da coalizão do presidente Sebastián Piñera, Chile Vamos), mas a matéria não foi aprovada porque necessitava de ⅔ dos votos.

68% do mercado da água chileno está nas mãos de quatro empresas privadas; outros 25% estão em mãos de oito empresas concessionadas (que têm o direito à exploração das concessões, mas não controlam os ativos diretamente); 5% do mercado está com a única empresa estatal ainda existente (no município de Maipú) e outros 2% do mercado estão em mãos de pequenas empresas. Isso demonstra que a privatização não necessariamente significa a maior concorrência – ele pode significar, pelo contrário, a monopolização e a formação de cartéis.

Estado e investimento

De acordo com o senador Tasso Jereissati, relator do marco legal do saneamento no Senado, para que o acesso ao saneamento e à água fosse universalizado no país seriam necessários investimentos entre 500 bilhões e 700 bilhões de reais. Com a abertura para o capital privado, a expectativa do marco legal é que esses investimentos sejam feitos pela iniciativa privada, com o fim de universalizar o acesso a água e esgoto até 2033. Ainda de acordo com o marco, caso as empresas não consigam fazê-lo até esse ano, terão a possibilidade de estender o prazo por mais sete anos. Tomando a maior previsão de investimentos – 700 bilhões – e o menor prazo – 13 anos – seria necessário um investimento de cerca de 58 bilhões/ano.

Para Marcos Montenegro, da ONDAS, a universalização dependerá da disponibilidade de recursos estatais para o financiamento, ainda que seja feita por empresas privadas. “O principal, que precisamos ter claro, é que o déficit atual tem uma cara: e essa é a da população mais pobre, que vive nas periferias da cidade, em pequenas cidades isoladas e no campo. Esse tipo de déficit as empresas privadas não têm vocação a atender, porque é uma população que tem dificuldade para pagar o custo do serviço. Precisaria garantir recursos do Estado para que isso pudesse acontecer”, diz. “Em muitos lugares nós temos problemas mais complexos do que simplesmente instalar a rede de água e esgoto. Em locais como a Baixada Fluminense, por exemplo, onde há problemas de alagamentos e inundações frequentes, nós temos situações onde o não-equacionamento da drenagem não vai permitir que o esgoto sanitário funcione adequadamente. Então é uma questão mais complexa, que o tratamento do saneamento como negócio não vai resolver”.

Para o deputado federal Glauber Braga (PSOL-RJ), essa é uma das razões pela qual a universalização pode ser tocada pelo Estado. “Por que não fazer um grande programa nacional público de investimento e de liberação de recursos por parte dos bancos públicos brasileiros? Não existe nenhuma vedação para que as empresas privadas ou as estatais de outros países que venham a assumir o setor de água e de saneamento no Brasil façam empréstimos com os bancos públicos brasileiros. Se essas empresas ou estatais de outros países podem, por que esses empréstimos para ampliação, com metas de universalização, não podem ser feitos para as estatais brasileiras? Podem, mas aí tem que ter vontade política e um projeto de desenvolvimento voltado para isso.” 

The post Privatização: passa boi, passa boiada, mas não passa água appeared first on Revista Opera.

Ver original em 'Revista Opera' (aqui)

Artigos relacionados

Quem são os 50 mil mortos?
Quem são os 50 mil mortos? Os mortos têm rostos. O vírus não é democrático. Negros, pobres e periféricos têm mais chances de morrer.&nb... 52 views Mon, 22 Jun 2020, 16:43:41
Governo Bolsonaro tem 66% das verbas para ações contra a Covid-19 para...
Governo Bolsonaro tem 66% das verbas para ações contra a Covid-19 para...   247 - O Ministério da Saúde segue com dificuldade de desembolsar recursos para o combate à Covid-1... 100 views Sat, 20 Jun 2020, 22:57:48
Aos gritos de “acabou, porra”, bolsonaristas tentam invadir o Congress...
Aos gritos de “acabou, porra”, bolsonaristas tentam invadir o Congress...   247 - O grupo 300 do Brasil tentou invadir o Congresso Nacional na tarde deste sábado (13); O grup... 152 views Sat, 13 Jun 2020, 21:50:46
COVID-19: Brasil supera Reino o Unido e já é o 2º país com mais mortes...
COVID-19: Brasil supera Reino o Unido e já é o 2º país com mais mortes... © REUTERS / Bruno KellyO número de mortos no Brasil pela COVID-19 ultrapassou o Reino Unido nesta sexta-fei... 149 views Sat, 13 Jun 2020, 13:20:57
Brasil registra 530 mil confirmações de coronavírus
Brasil registra 530 mil confirmações de coronavírus   247 - Dados divulgados pelas secretarias estaduais de saúde apontaram 530,7 mil casos de coronavír... 101 views Tue, 02 Jun 2020, 16:10:55
Um cavalo trota sobre 30 mil mortos!
Um cavalo trota sobre 30 mil mortos!   No último dia de maio de 2020, os brasileiros tiveram um espetáculo a parte em meio a esta pandemi... 34 views Mon, 01 Jun 2020, 17:41:00

Ambiente, Brasil, Água

  • Criado em .
  • Visualizações: 141

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Publicações mais recentes

Filtrar por categoria
06, julho 2020

OMS vai à China investigar origem da covid-19, mas Pequim aponta o dedo a Espanha

em Mundo

por Lucas Rohan

05/07/2020   Esta semana assinalam-se os seis meses da identificação do novo coronavírus por parte das autoridades chinesas, que alegam agora que podem ser apenas um elo na correia de transmissão e defendem que a…
06, julho 2020

EUA expandem base militar no Pacífico em meio a impasse com China, diz jornal (FOTO)

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© AP Photo / Vincent Yu No final de junho, um think tank do governo chinês alertou para um possível conflito militar devido à implantação "sem precedentes" de forças militares dos EUA na região Ásia-Pacífico.…
06, julho 2020

Cascais não regista novos casos, mantêm os 1.061 infetados

em Cascais

por Portal CASCAIS

  No relatório de hoje (5), da Direcção Geral da Saúde (DGS) não se registam novos casos no número de infectados com o COVID-19 no Concelho de Cascais, mantendo o valor de 1.061 casos confirmados em Cascais.…
06, julho 2020

Seis meses de coronavírus: o pior ainda está para vir

em Mundo

por Gonçalo Lopes

José Miguel Gaspar - 05/07/2020   Seis meses de pandemia: sem vacina ainda certa, o Mundo poderá ter que conviver com a covid-19 por muito mais tempo do que o esperado. A realidade é muito…
06, julho 2020

Tiroteio em discoteca na Carolina do Sul deixa 2 mortos e 8 feridos

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© AP Photo / John Minchillo Na madrugada deste domingo (5), um tiroteio em uma discoteca no estado norte-americano da Carolina do Sul deixou ao menos 12 pessoas feridas em "várias condições", informou um oficial…
06, julho 2020

Caos no mercado de ouro afeta outros metais preciosos e causa grandes perdas aos bancos

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© Sputnik / Pavel Lisitsin O caos no mercado de ouro, causado pela pandemia de COVID-19, está atingindo outros metais preciosos, incluindo a prata e a platina, provocando grandes perdas em alguns bancos. O mercado…
06, julho 2020

Amante diz que os 65 milhões dados por Juan Carlos foram presente “de amor”

em Mundo

por Gonçalo Lopes

05/07/2020   Jornal “El Pais” teve acesso ao testemunho prestado à justiça suíça por Corinna Larsen. A ex-amante do rei emérito de Espanha fala sobre os 65 milhões dados por Juan Carlos. Corinna Larsen, ex-amante…
06, julho 2020

Encontrado com tiro na cabeça no carro junto ao Autódromo chega morto ao hospital

em Cascais

por CASCAIS24

Por Redação 04 julho 2020 Um homem, 62 anos, foi encontrado ferido, dentro de uma viatura, com um tiro de pistola na cabeça, este sábado, ao início da noite, junto ao Autódromo do Estoril, acabando…
06, julho 2020

Bombeiros travam fogo em Polima e salvam oficina de carros e habitações

em Cascais

por CASCAIS24

(Fotos Bombeiros de Carcavelos e São Domingos de Rana) Por Redação 04 julho 2020 Só a eficaz intervenção dos Bombeiros, apoiados por um meio aéreo impediu que um incêndio, que deflagrou este sábado, à tarde,…
06, julho 2020

Perseguição a ladrões de carros acaba nas falésias da Guia com dois detidos

em Cascais

por CASCAIS24

Por Redação 04 julho 2020 Uma perseguição iniciada pela GNR a um veículo, cujos ocupantes andariam a efetuar furtos em viaturas estacionadas, terminou nas falésias da Guia, junto ao mar, em Cascais, com agentes da…
06, julho 2020

Funcionário da Cascais Ambiente morre esmagado por máquina na Tratolixo

em Cascais

por CASCAIS24

Por Redação 04 julho 2020 Um funcionário, 55 anos, da empresa Cascais Ambiente, morreu esmagado por uma máquina, durante uma operação de descarga de resíduos, esta sexta-feira, de madrugada, na Tratolixo, em Trajouce.   A…
06, julho 2020

IMPÉRIO EQUIVOCADO…

em Mundo

por Página Global

    Martinho Júnior, Luanda  O Império da hegemonia unipolar tem feito sistematicamente cálculos equivocados sobre as potencialidades da revolução cultural chinesa, que perfez agora sete décadas de vida, numa altura em que, por seu…
06, julho 2020

Portugal/UE | Pólvora seca e vespeiros

em Portugal

por Página Global

    Carvalho da Silva* | Jornal de Notícias | opinião   O tempo para se adotarem políticas eficazes com vista à saída da crise escasseia e Portugal surge cada vez mais enredado em dois…
06, julho 2020

Projecto «Faz Ruído pela Igualdade»

em Portugal

por AbrilAbril

A Associação Projecto Ruído apresentou a campanha «Faz Ruído pela Igualdade», que se apresenta como «intrinsecamente ligado à vida e aspirações dos jovens». Créditos / MDM Esta associação juvenil foi criada por um grupo de…
06, julho 2020

Portugal | Jerónimo acusa Marcelo de "contribuir" para "novo bloco central"

em Portugal

por Página Global

    O secretário-geral do PCP acusou hoje o Presidente da República de estar a "contribuir" para colocar em marcha uma nova vida para um "novo bloco central de interesses políticos e económicos", e para…
06, julho 2020

Quando a capa de um jornal não bate certo com o seu editorial

em Portugal

por Ladrões de Bicicletas (Nuno Serra)

1. A 27 de junho, com a divulgação da ordenação de escolas, Manuel Carvalho defendeu, em editorial no Público, que «os rankings não servem para criar hierarquias de escolas no sistema» mas sim, «pelo contrário,…
06, julho 2020

Lisboa e Vale do Tejo com 77% das novas infeções nas últimas 24 horas

em Portugal

por Página Global

  A região de Lisboa e Vale do Tejo registou 77% das novas infeções por covid-19 nas últimas 24 horas, com 254 dos 328 novos casos hoje contabilizados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).    …
06, julho 2020

Cantem-lhes os nomes

em Mundo

por span itemprop="author creator" itemprop="name" data-byline-name="Inês Pedrosa e Melo"Inês Pedrosa e Melo

A «greatness of America» – aquela que o Trump quer trazer de volta – está baseada em tudo aquilo que torna impossível de nela viver. Os EUA são um país construído em cima de uma…
06, julho 2020

Sentado em um café ao lado da igreja de Madonna di Loretto

em Portugal

por Beatriz Aquino in 'O TORNADO'

Os sinos de uma velha catedral ressoaram atrasados e aflitos. Decerto temerosos da bronca episcopal que ouviriam por desrespeitar a liturgia das horas. 5 Julho, 2020 Beatriz Aquino   Sentado em um café ao lado…
06, julho 2020

Portugal | Efacec nacionalizada «provisoriamente»

em Portugal

por Página Global

    Os recursos públicos são chamados a resolver os problemas da Efacec em nome da importância da empresa para o País. Mas logo o mais importante volta a ser privatizar o seu potencial lucrativo.  …
06, julho 2020

A Reforma Constitucional russa

em Mundo

por Página Global

      Bruno Veillard - Colaborador Voluntário | CEIRI em Jul 03 A Federação Russa declarou independência da União das Repúblicas Socialistas Soviética (URSS) em 12 de junho de 1990, todavia, sua conclusão ocorreu…
06, julho 2020

Vietname doou a Cuba 5000 toneladas de arroz

em Mundo

por AbrilAbril

A doação, oficializada a 17 de Abril último numa cerimónia em Hanói, foi concretizada esta semana em Haiphong, cidade portuária também no Norte do país asiático. A doação que agora se concretizou foi oficializada em…
06, julho 2020

Piquenique da Interjovem: «Já conhecemos bem a precariedade»

em Portugal

por AbrilAbril

«A luta é o caminho» para «fazer valer» a exigência de emprego estável, erradicação da precariedade, fim dos baixos salários e da reversão dos despedimentos que foram levados a cabo a pretexto da Covid-19. CréditosPaulo…

Últimos posts (Cascais)

Itens com Pin
    Atividades Recentes
    Aqui ainda não existem atividades

    Últimos posts (País e Mundo)

    Itens com Pin
      Atividades Recentes
      • LEGALIZAÇÃO DAS CASAS DE PROSTITUIÇÃO

        Um debate que provavelmente vai ganhar dimensão.
        Legalização da prostituição - petição apresentada na A.R
        Gravação da reunião na Assembleia da República
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      • Homicidal Cops Caught On Police Radio
        #TheJimmyDoreShow
        Homicidal Cops Caught On Police Radio
        42 219 visualizações
        •05/06/2020
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      Aqui ainda não existem atividades
      LOGO4 vert01
      A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
      Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
      exceto quando expressamente assinadas por esta.
       

      SSL Certificate
      SSL Certificate