POR ONDE ANDA O PACIENTE ZERO?

 
 
A situação real desaconselha declarações peremptórias de que estamos perante um «vírus chinês». Os factos exigem uma investigação muito mais profunda e internacionalmente cooperativa.
 
José Goulão* | opinião
 
Mattia é um cidadão italiano de 38 anos de Codogno, Lombardia. Socialista e sociável, desportista que corre maratonas, extrovertido, saudável, certamente nunca mais esquecerá os primeiros meses de 2020. Não só por lhe ter nascido a filha, Giulia, já em Abril, mas também porque venceu o combate que travou de 19 de Fevereiro a 25 de Março contra o novo coronavírus SARS-CoV-2, que entretanto lhe vitimou o pai e atingiu ao de leve a esposa, Valentina. Não ficam por aqui os episódios em redor de Mattia: ele foi o quarto caso de COVID-19 em Itália, o «Paciente n.º 4»; mas como não teve qualquer contacto com a China nem com os três primeiros infectados na Lombardia, oriundos da cidade chinesa de Wuhan, foi considerado o «Paciente italiano n.º 1». A história de Mattia é suficiente para por em causa a versão oficial, adoptada pelos media corporativos, de que tudo terá começado no mercado de frutos do mar e animais exóticos de Huanan, na cidade chinesa de Wuhan. Há outros caminhos a percorrer para tentar descobrir o Paciente Zero da pandemia.
 
Caso semelhante ao de Mattia ocorreu na Coreia do Sul. Algumas semanas depois de identificados os primeiros 30 casos de COVID-19, todos eles com ligações conhecidas a Wuhan, foi detectado o mesmo tipo de infecção pulmonar numa mulher com 61 anos que nunca teve qualquer contacto com a China e com os primeiros diagnosticados no país. Passou a ser a «Paciente sul-coreana n.º 1», mais um caminho que diverge do mercado de Huanan e da narrativa do «vírus chinês», tão querida do presidente Trump e respectiva corte.
 
Uma narrativa de cariz propagandístico, sem qualquer suporte científico e que, como veremos, trava a procura honesta e necessária do Paciente Zero da pandemia e tenta impor uma versão oficial dos trágicos acontecimentos em curso, tão credível como as inventadas para cobrir o assassínio do presidente John Kennedy e os atentados de 11 de Setembro de 2001.
 
 
Constelação de focos de infecção
 
A pandemia do novo coronavírus não teve, portanto, um único foco de propagação: teve vários. Pelo que o Paciente Zero deve ser procurado a montante de todos eles, o que implica a cooperação das autoridades sanitárias e científicas de vários países – assim houvesse disponibilidade para isso em vez de verdades impostas por quem distorce a realidade.
 
Houve vários focos e, até ao momento, duas grandes vagas de infecção: uma antes de 25 de Janeiro, que atingiu cerca de 25 países; e uma segunda, a partir de meados de Fevereiro, que se expandiu para mais de cem países através do aparecimento de diferentes surtos praticamente simultâneos.
 
Poderá pensar-se que a primeira vaga teve, então, origem no mercado de frutos do mar de Huanan, em Wuhan, China.
 
No entanto…
 
O dr. Giuseppe Remuzzi, médico italiano, revelou num artigo publicado pela revista Lancet que em Dezembro, ou mesmo até em Novembro, vários médicos de família da região da Lombardia detectaram uma «pneumonia muito estranha» em circulação com os sintomas da COVID-19 e sem terem qualquer conhecimento do que estaria a passar-se na China mais ou menos na mesma altura.
 
E no dia 11 de Março, perante a Comissão de Saúde da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, o presidente do Centro de Controlo e Prevenção de doenças (CDC) norte-americano, Robert Redfield, admitiu que vários casos mortais da especialmente virulenta «temporada» de gripe comum, iniciada em Setembro, foram provocados pelo novo coronavírus – o que foi confirmado por exames póstumos.
 
De acordo com informações divulgadas pela estação de televisão CBS em 9 de Março, o surto atribuído à gripe comum nos Estados Unidos no segundo semestre de 2019 provocou 34 milhões de infectados, 350 mil internados e 20 mil mortes. Quantas terão sido provocadas pelo novo coronavírus e não diagnosticadas como tal, tendo em conta a admissão de Redfield?
 
A partir destes dados não é ousado recuar umas boas semanas na linha do tempo em busca do Paciente Zero, uma vez que o primeiro caso em Wuhan foi declarado em 1 de Janeiro de 2020, embora houvesse sinais da doença em Dezembro, ou mesmo em Novembro, segundo o jornal britânico Guardian.
 
China, Itália, Estados Unidos… Pode admitir-se que pelo menos em Novembro circulavam focos simultâneos de um novo coronavírus em três países de três continentes e muito distantes entre si.
 
O caso dos Jogos Mundiais Militares
 
A situação real desaconselha, portanto, uma declaração tão peremptória de que estamos perante um «vírus chinês». Os factos exigem uma investigação muito mais profunda e internacionalmente cooperativa.
 
Foi perante a insistência de Trump e do seu secretário de Estado, Michael Pompeo, em carregarem na tecla xenófoba que a China agitou as águas em estilo de balão de ensaio. Um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Zhao Lijian, levantou a hipótese de o vírus ter sido levado para Wuhan pela representação dos Estados Unidos nos Jogos Mundiais Militares realizados naquela cidade entre 18 e 27 de Outubro. E convidou as autoridades norte-americanas a prestar esclarecimentos sobre as circunstâncias que envolveram a representação militar-desportiva.
 
Na verdade, o episódio da participação norte-americana nos jogos militares de Wuhan merece ser observado com alguma atenção.
 
A delegação, constituída por cerca de 300 membros, preparou-se nas imediações de Fort Detrick, no Maryland, que alberga os mais importantes laboratórios de guerra biológica dos Estados Unidos e nos quais se realizam investigações sobre o ébola, coronavírus e antraz. Estes laboratórios, de acordo com o New York Times, foram encerrados em Julho de 2019 por terem sido detectadas «falhas de segurança» pelo CDC, organismo presidido pelo atrás citado Robert Redfield.
 
Já em Wuhan, a representação norte-americana ficou alojada no Oriental Hotel, localizado a 300 metros do mercado de frutos do mar Huanan. Em 25 de Outubro, cinco membros da delegação foram assistidos num hospital de doenças infecciosas da cidade depois de terem manifestado problemas respiratórios acompanhados de febres elevadas. As autoridades chinesas certamente não levantarão problemas em facultar os processos dos cinco pacientes às autoridades sanitárias e científicas norte-americanas que estejam dispostas a procurar seriamente o Paciente Zero da pandemia.
 
Posteriormente, 42 trabalhadores do Oriental Hotel de Wuhan, onde estiveram os soldados-atletas norte-americanos, vieram a ser diagnosticados com COVID-19: foi o núcleo original da cidade e teve contacto com o primeiro grupo de sete pessoas associado ao mercado de Huanan.
 
Na sequência destes factos, um estudo publicado na revista Lancet revela que 13 dos 41 primeiros casos de COVID-19 diagnosticados em Wuhan não tiveram qualquer associação com o mercado.
 
Daniel Lucey, especialista em doenças infecciosas da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos, revelou à revista Science, depois de estudar o processo de deflagração do surto de Wuhan, que a primeira infecção deve ter sido originada em Novembro «ou mesmo antes».
 
As circunstâncias demonstram, portanto, que em Wuhan não houve apenas um foco de infecção. Mais uma contradição da tese da passagem do vírus de um morcego ou um pangolim para um ser humano no mercado de Huanan.
 
Reza a crónica desses dias que a delegação dos Estados Unidos aos Jogos Mundiais Militares fez mais turismo do que desporto. Treinou pouco e as performances desportivas deixaram muito a desejar: oito medalhas, nenhuma de ouro e 35.º lugar entre as nações participantes. Uma posição medíocre para uma potência que costuma servir-se das competições desportivas internacionais para projectar a imagem do seu poderio global. Nenhum representante norte-americano, masculino ou feminino, subiu ao pódio em modalidades como o atletismo e a natação. «Atletas de molho de soja» – assim ficaram conhecidos, segundo a imprensa chinesa.
 
A sucessão de factos e acontecimentos revela, portanto, que existiram focos de infecção independentes de COVID-19 em Itália, nos Estados Unidos e até mais do que um em Wuhan.
 
Há outras particularidades a registar: a estirpe de coronavírus de Wuhan não é a mesma de Itália, sendo esta idêntica à dominante nos Estados Unidos. Aliás, as variedades que circulam em países vizinhos da China, incluindo o próprio território chinês de Taiwan, não são as mesmas de Wuhan; mesmo na China continental, em regiões afastadas desta cidade, surgiram bolsas de uma estirpe diferente.
 
E o primeiro-ministro australiano assegura que a esmagadora maioria dos infectados no seu país, mais de 80%, resulta de contágios com origem nos Estados Unidos.
 
Na procura do Paciente Zero devemos usar «ciência e cooperação», defende Geng Shuang, outro porta-voz do Ministério chinês dos Negócios Estrangeiros. «É uma questão científica, é preciso ouvir opiniões científicas e profissionais».
 
No submundo dos morcegos
 
Onde estaria então o morcego – ou o pangolim – responsável por ter passado o vírus ao Paciente Zero, nos termos da tese tão cara a Trump e ao mainstream?
 
Penetrando um pouco no universo aterrador das armas de extermínio massivo não tardamos a perceber que as mentes perversas da guerra biológica têm uma preferência especial pelos morcegos.
 
Por exemplo, o Programa de Empenhamento Biológico Cooperativo (CBEP) da Agência para a Redução das Ameaças de Defesa dos Estados Unidos (DTRA) tem como objectivo procurar patógenos com importância militar em morcegos.
 
Em 2019 foi publicado um estudo financiado pelo governo dos Estados Unidos, através do Pentágono, sobre novas linhagens de coronavírus de morcegos. Incidiu sobre os coronavírus existentes em populações que circulam entre a China e o Casaquistão.
 
O Washington Post explicou aos seus leitores que o interesse do Pentágono em investir no potencial dos morcegos para espalhar doenças é suscitado pelo facto de «os russos fazerem o mesmo». Por isso, revela a revista Vice News, «os Estados Unidos gastaram milhões de dólares nos últimos anos a financiar pesquisas sobre morcegos, os vírus mortais de que podem ser hospedeiros – incluindo coronavírus – e como esses patógenos são transmitidos a humanos».
 
No topo norte-americano desta azáfama contaminadora está a DARPA – Agência de Projectos de Pesquisa avançada de Defesa – através dos seus 25 laboratórios de guerra biológica espalhados pelo mundo, sobretudo em países da antiga União Soviética – 11 dos quais na Ucrânia.
 
Foi na cidade ucraniana de Kharkiv, onde se situa um desses laboratórios, que em Janeiro de 2016, em apenas dois dias, 20 soldados ucranianos morreram de vírus da gripe e 200 foram hospitalizados. Dois meses depois foram registados, através da Ucrânia, 364 casos mortais provocados pela gripe suína H1N1. De notar que este vírus é idêntico ao da «gripe espanhola» de 1918-19 recentemente «ressuscitado» em laboratório por cientistas norte-americanos a partir de restos mortais de uma vítima recolhidos no Alasca.
 
Num trabalho de fundo recentemente publicado a jornalista Whitney Webb testemunha que em 2018 a DARPA gastou milhões de dólares em estudos realizados em laboratórios de países vizinhos da China e que resultaram na descoberta de novos coronavírus. Dez milhões de dólares foram destinados a «um projecto para identificar os mecanismos complexos da transição de um vírus de morcegos para seres humanos».
 
Cenários estratégicos desta actividade febril são os laboratórios que funcionam em Fort Detrick – o Instituto de Pesquisas Infecciosas do Exército (USAMRIID) e o Centro Nacional de Análise e Contramedidas de Defesa (NBACC) – precisamente as instalações encerradas pelo CDC em Julho e nas imediações das quais se preparou a equipa norte-americana enviada aos Jogos Militares Mundiais. Entre as 16 prioridades que se investigam nestas instalações está a caracterização de patógenos clássicos, emergentes e geneticamente modificados; e o estudo de patógenos mortais, incluindo ébola, antraz e coronavírus, no âmbito da ligação entre os morcegos e as armas biológicas.
 
Nada permite dizer que existe uma relação de causa e efeito entre o frenesim investigativo do terror biológico e o vírus que infectou o cidadão italiano Mattia, os trabalhadores do Oriental Hotel em Wuhan ou os frequentadores do mercado de frutos do mar e animais exóticos de Huanan. Quando a corporativa CNN, porém, cita agora agentes da inteligência norte-americana que teriam advertido para a circulação de um surto viral em Wuhan na segunda metade de Novembro é legítimo deduzir que os espiões saberiam até mais do que as próprias autoridades de Pequim.
 
O académico chinês Zhong Nanshan afirma, por seu lado, que «o surto foi identificado pela primeira vez na China mas isso não significa forçosamente que se tenha originado na China».
 
Por todas as razões e mais estas seria fulcral, em nome da saúde dos habitantes do planeta, descobrir o Paciente Zero desta pandemia que nos aterroriza; e também identificar as origens das três outras epidemias das quatro que já atingiram a China nos vinte anos incompletos que tem o século XXI.
 
Cooperação e Investigação precisam-se. Mas há quem as não permita ao mesmo tempo que manipula a realidade de maneira arrogante. Uma atitude que incita à reflexão, sobretudo quando estão milhões de vidas humanas em jogo.
 
*José Goulão, Exclusivo O Lado Oculto/AbrilAbril

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2020/04/por-onde-anda-o-paciente-zero.html

Artigos relacionados

OCDE. Metade dos trabalhadores portugueses em risco de infeção
OCDE. Metade dos trabalhadores portugueses em risco de infeção 07/07/2020 O número é avançado pela Organização para a Cooperação e... 39 views Wed, 08 Jul 2020, 00:11:53
Pela Paz, fim às armas nucleares!
Pela Paz, fim às armas nucleares!   O Conselho Português para a Paz e Cooperação, em conjunto com a Movimento de Municípios pela Paz... 32 views Thu, 09 Jul 2020, 01:40:54
Arizona nos EUA enfrenta mudança preocupante em panorama de COVID-19
Arizona nos EUA enfrenta mudança preocupante em panorama de COVID-19 Los Angeles, 27 jun (Xinhua) – O Departamento de Serviços de Saúde dos EUA do estado do Arizona relatou 3.591 no... 46 views Tue, 30 Jun 2020, 00:40:30
OMS compara Covid-19 à gripe espanhola, que voltou no outono e matou 5...
OMS compara Covid-19 à gripe espanhola, que voltou no outono e matou 5... 27/06/2020 Ranieri Guerra, subdiretor da OMS diz que o “covid-19 é como a gripe esp... 180 views Sat, 27 Jun 2020, 22:44:32
Portugal | Grande Lisboa é a atual "capital do covid-19"
Portugal | Grande Lisboa é a atual "capital do covid-19"     Dever de confinamento e ajuntamentos limitados a cinco pessoas em 19 freguesias da região de Lisboa ... 61 views Fri, 26 Jun 2020, 11:22:34
Isto
Isto «Há dois tipos de profissionais que arriscaram a vida para assegurar a normalidade possível. Um tem grau académico e... 97 views Thu, 25 Jun 2020, 23:57:16

Guerra e Paz, Covid-19

  • Criado em .
  • Visualizações: 442

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Publicações mais recentes

Filtrar por categoria
09, julho 2020

Concurso externo de docentes: 872 vinculações

em Portugal

por António Duarte

Estão publicadas no site da Direção-Geral da Administração Escolar (DGAE) as listas definitivas do concurso externo, tendo 872 docentes reunido as condições para serem contratados, o que representa a vinculação de mais 330 docentes do que no…
09, julho 2020

Uso de máscara passa a ser obrigatório na Catalunha. Até na rua e independentemente da distância social

em Mundo

por ZAP in ZAP

Fabio Frustaci / EPA   O uso de máscara passa a ser obrigatório a partir de quinta-feira na região espanhola da Catalunha em todo o momento e em todos os espaços, interiores e exteriores, mesmo…
09, julho 2020

Pedro Nuno Santos demarca-se de Costa no voto presidencial. “Nunca apoiarei um candidato da direita”

em Portugal

por ZAP in ZAP

António Cotrim / Lusa   O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, disse em entrevista à RTP que se o PS não apresentar um candidato às eleições presidenciais de 2021 votará num…
09, julho 2020

Bolsonaro adia decisão e país continua sem ministro da Educação

em Mundo

por Brasil24/7

  247 - O Brasil segue há 20 dias sem ministro da Educação. O cargo está vago desde que Abraham Weintraub deixou o governo sob pressão. Enquanto isso, candidatos ao posto se movimentam nos bastidores…
09, julho 2020

Milícia digital implodida pelo Facebook é chefiada por Carlos Bolsonaro e deve ser investigada pela CPI e pelo STF

em Mundo

por Brasil24/7

  247 – A implosão do gabinete do ódio, milícia digital comandada pelos filhos de Jair Bolsonaro para espalhar mentiras e ataques a adversários políticos, pelo Facebook deve dar novo gás às investigações sobre fake…
09, julho 2020

Conselheiro de Estado chinês propõe três sugestões para levar relações China-EUA de volta ao caminho certo

em Mundo

por XINHUA Português

Beijing, 9 jul (Xinhua) -- O conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, propôs na quinta-feira três sugestões para levar as relações China-EUA de volta ao caminho certo, no discurso…
09, julho 2020

Déficit dos EUA bate recorde ao ser 100 vezes maior que no ano fiscal de 2019

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© REUTERS / Leah Millis Impulsionado pela pandemia, o déficit norte-americano nos primeiros nove meses do ano fiscal alcançou um valor recorde de US$ 2,7 trilhões (R$ 14,4 trilhões). O déficit federal dos EUA em…
09, julho 2020

Editora da Agência Pública demonstra como Deltan Dallagnol trabalhou por dinheiro para os Estados Unidos

em Mundo

por Brasil24/7

  247 - A jornalista Natalia Viana, editora da Agência Pública, explicou em detalhe as tratativas sigilosas da Lava Jato com o FBI. Segundo Viana, Deltan receberia uma recompensa financeira através dos ‘assets sharing’ baseados…
09, julho 2020

Uma análise “em contra corrente” da solidariedade na União Europeia

em Mundo

por Areia dos Dias

  O tema da solidariedade no interior da União Europeia (UE) tem vindo a ser objecto de debates intensos e acalorados. Tal vinha acontecendo, desde há bastante tempo, antes da pandemia da Coronavírus – 19,…
09, julho 2020

Ensino à distância, economia e “pedagogia chapa 1”

em Portugal

por Areia dos Dias

  Com a pandemia do COVID 19 não houve alternativa senão recorrer ao ensino à distância. Através das tecnologias da informação e da comunicação, escolas e professores desenvolveram metodologias de ensino e aprendizagem e puseram-nas…
09, julho 2020

Harvard e MIT tentam travar expulsão de estudantes internacionais

em Mundo

por Filipe Sousa

08/07/2020     A Universidade de Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) pediram a um tribunal federal que bloqueie temporariamente uma regra do governo Trump que impede os estudantes estrangeiros de permanecerem…
09, julho 2020

A descolonização portuguesa e as feridas por sarar

em Portugal

por Carlos Esperança in 'PONTE EUROPA'

4 As descolonizações foram sempre tragédias, agravadas com o prolongamento da guerra. A portuguesa deveu-se ao ditador, leviano e sinistro, que ignorou os sinais da História e recusou negociar a autodeterminação que os africanos e…
09, julho 2020

Costa diz que situação em Portugal é estável e reuniões no Infarmed continuam

em Portugal

por Filipe Sousa

08/07/2020   O primeiro-ministro afirmou hoje que as reuniões com epidemiologistas no Infarmed, em Lisboa, vão continuar, mas não foi marcada a seguinte porque a situação pandémica no país está estabilizada e não há informação…
09, julho 2020

Primeiro caso de doente com VIH considerado curado apenas com medicação

em Mundo

por ZAP in ZAP

Alexey Kashpersky Conceito artístico do VIH criado pelo designer ucraniano Alexey Kashpersky O paciente em causa foi tratado durante anos com uma combinação de antirretrovirais e nicotinamida.   Um paciente com o vírus da imunodeficiência…
09, julho 2020

Facebook exclui páginas bolsonaristas por postagens de conteúdo falso

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© Folhapress / André Coelho A rede social Facebook informou nesta quarta-feira (8) que removeu uma série de contas e páginas consideradas falsas, com ligações com a família do presidente Jair Bolsonaro e com o…
09, julho 2020

O TERRORISTA "BOM", A NATO E O TRÁFICO DE ÓRGÃOS

em Mundo

por in 'O Lado Oculto'

O secretário-geral da NATO com o traficante de órgãos humanos: um quarto de século de aliança 2020-07-08 Hashim Thaci, “presidente” do Kosovo, ia a caminho de Washington em 24 de Junho encontrar-se com Trump quando,…
09, julho 2020

Trump pressiona reabertura de escolas apesar do crescimento de casos de covid-19 nos EUA

em Mundo

por ZAP in ZAP

Chris Kleponis / EPA   O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, prometeu exercer pressão sobre os estados para reabrir as escolas neste outono, apesar do aumento do número de casos de covid-19 em…
09, julho 2020

China tomou 'ação incrivelmente agressiva' em confronto armado com a Índia, diz Pompeo

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© AP Photo / Andy Wong O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, acusou a China nesta quarta-feira (8) de tomar "ações incrivelmente agressivas" em um recente confronto com a Índia sobre uma área…
09, julho 2020

O poeta - Atahualpa Yupanqui

em Mundo

por Voar Fora da Asa

   O poeta   Pensas que és diferente porque te chamam poeta, e vives num mundo à parte para lá das estrelas.   De tanto olhar a lua já nada sabes ver, és como um…
09, julho 2020

Xi Jinping diz que a China está pronta para se juntar à Rússia

em Mundo

por Fernanda Mira

08/07/2020   O presidente chinês, Xi Jinping, disse esta quarta-feira que o lado chinês está disposto a continuar a trabalhar com o lado russo para se apoiar firmemente e rejeitar a sabotagem e a intervenção…
09, julho 2020

Bombas de combustível passam a funcionar até às 22h (mas continuam sem vender álcool)

em Portugal

por Lusa in ZAP

Marcelo Camargo / ABr   Os postos de combustíveis na Área Metropolitana de Lisboa (AML) podem funcionar normalmente até às 22h, se o horário o permitir, e a partir dessa hora exclusivamente para efeitos de…
09, julho 2020

Marcelo anuncia fim das reuniões do Infarmed (e diz que os comboios não são a origem dos surtos)

em Portugal

por ZAP in ZAP

António Pedro Santos / Lusa   Marcelo Rebelo de Sousa anunciou, esta quarta-feira, o fim das sessões epidemiológicas para avaliar a situação epidemiológica da covid-19 em Portugal. Vários partidos criticaram a decisão, à exceção do…
09, julho 2020

Fim dos debates quinzenais. Rio diz que é o melhor para o país (e pensa em si próprio)

em Portugal

por ZAP in ZAP

Mário Cruz / Lusa O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio O líder do PSD, Rui Rio, explicou, num vídeo da PSD/TV que defende o fim dos debates quinzenais porque é o “melhor…

Últimos posts (Cascais)

Itens com Pin
    Atividades Recentes
    Aqui ainda não existem atividades

    Últimos posts (País e Mundo)

    Itens com Pin
      Atividades Recentes
      • LEGALIZAÇÃO DAS CASAS DE PROSTITUIÇÃO

        Um debate que provavelmente vai ganhar dimensão.
        Legalização da prostituição - petição apresentada na A.R
        Gravação da reunião na Assembleia da República
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      • Homicidal Cops Caught On Police Radio
        #TheJimmyDoreShow
        Homicidal Cops Caught On Police Radio
        42 219 visualizações
        •05/06/2020
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      Aqui ainda não existem atividades
      LOGO4 vert01
      A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
      Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
      exceto quando expressamente assinadas por esta.
       

      SSL Certificate
      SSL Certificate