• Entrada
  • Artigos
  • Mundo
  • O que o COVID-19 nos ensinou sobre o Neoliberalismo
  • Teresa Gago in 'O TORNADO'
  • Mundo

O que o COVID-19 nos ensinou sobre o Neoliberalismo

Durante esta pandemia tem sido revelado o espectro dos efeitos do neoliberalismo. Nem todos os países e regiões serão afetados da mesma forma. Nem todas as pessoas serão afetadas da mesma forma.

 

 

por Nela Porobić Isaković, Liga Internacional das Mulheres pela Paz e Liberdade | Tradução de Teresa Gago

A pandemia de COVID-19 tem exposto os efeitos tóxicos do sistema que domina há já longo tempo todos os aspetos das nossas sociedades. O neoliberalismo, como ideologia económica inserida no capitalismo, tem causado a depleção dos serviços públicos; tem transformado o ensino e os cuidados de saúde em negócios que visam o lucro; tem permitido o açambarcamento de lucros à custa da desvalorização profissional e salarial dos trabalhadores; tem favorecido a lucratividade de um mundo militarizado por contraposição à promoção da segurança humana e do bem-estar social e tem agravado as desigualdades entre as pessoas e os países.

Durante esta pandemia tem sido revelado o espectro dos efeitos do neoliberalismo. Nem todos os países e regiões serão afetados da mesma forma. Nem todas as pessoas serão afetadas da mesma forma. As possibilidades de autoisolamento social; de realizar teletrabalho; de acompanhar o ensino dos filhos; de encher a dispensa; de aceder aos cuidados de saúde e de ‘reconstruir’ a vida após a pandemia dependerá da classe social, do género, da raça, da idade e da localização geográfica.

Estamos numa encruzilhada

Embora com escalas diferentes, os problemas serão idênticos. Haverá impacto no desemprego (as empresas já estão a pedir resgates financeiros); o aumento das necessidades de cuidados sobrecarregarão as mulheres; o estado de emergência proclamado em todo o mundo terá efeito nas nossas liberdades e nos direitos humanos; a nossa mobilidade será diferente. Mas enquanto não podemos agir diretamente sobre o metabolismo viral, poderemos, sim, utilizar este momento para iniciar a transformação da nossa sociedade. As escolhas com que nos deparamos – localmente, regionalmente, nacionalmente e globalmente, são sucumbir ao ‘capitalismo de desastre’ (1) e ao credo neoliberal de cada um por si ou utilizar esta oportunidade para construir sociedades que encorajem a solidariedade, a igualdade e o cuidado pelo ambiente e pelas outras pessoas. Podemos começar a transformar a forma como interagimos uns com os outros e com o ambiente para que a resposta à crise permita não somente ‘achatar a curva’ no que concerne à propagação do COVID-19, mas também ‘achatar’ as consequências da pandemia.

O interesse público deverá sempre prevalecer sobre o interesse privado

O capitalismo e o sistema neoliberal são movidos pelo lucro e pelo interesse privado. Durante décadas temos sido bombardeados com a narrativa sobre a ineficiência das instituições públicas e a sua alegada incapacidade para fornecer serviços de forma eficiente, racional e rentável. As instituições financeiras internacionais têm exigido que os governos recuem na capacidade de intervenção económica para favorecer a criação de riqueza pelas empresas privadas porque, alegadamente, o lucro privado é bom para toda a sociedade. O papel reservado aos governos é o de intervir apenas para resolver problemas o que tem criado uma relação assimétrica entre público e privado a qual pode apenas ser descrita da seguinte forma: riscos públicos – lucros privados.

A narrativa nunca colocou a questão sobre como se relacionam os lucros com o bem estar das pessoas e das comunidades. Por todo o mundo – desde a Suécia, Reino Unido, Estados Unidos da América, Líbano, Chile, África do Sul até à Austrália – os governos têm cedido às ideias de desregulação, contração fiscal e privatização de recursos e serviços públicos. Um relatório recentemente publicado “Austeridade: O novo normal, A renovação do Consenso de Washinghton 2010-24” mostra como as medidas mais comumente utilizadas continuam a ser: reformas no sistema de pensões e segurança social; flexibilização dos direitos laborais; diminuição da massa salarial; redução ou eliminação de subsídios; reforço das parcerias público privadas e reformas dos sistemas de saúde. Na realidade estas medidas visam apenas uma redução dos montantes gastos pelo sector público para que os actores privados se possam expandir adentrando pelo domínio público. No mundo capitalista o investimento privado nos serviços públicos só se justifica se houver lucro para ceifar. Qualquer outra ideia contraria a lógica do capitalismo. É também por isso que no mundo capitalista faz pleno sentido continuar a investir em recursos não renováveis independentemente da evidência sobre a destruição que acarreta. O credo do capitalismo é que a liberdade provém sempre da responsabilidade, da capacidade e do ‘mérito’ individual. As desigualdades são vistas como uma parte necessária de qualquer sociedade e a competitividade é encorajada a todo o momento. É este o motivo pelo qual no mundo neoliberal é bem aceite que o 1% dos mais ricos do mundo possua o dobro do que têm 6.9 mil milhões de pessoas.

O COVID-19 expõe a importância do sector público para o nosso bem-estar

O COVID-19 conta uma história sobre como o neoliberalismo afeta a capacidade das instituições públicas para responder a desafios hodiernos e de amanhã. Os efeitos negativos de um sector público depauperado foram inicialmente mais visíveis para aqueles que necessitam de maior apoio: os trabalhadores mal pagos que precisaram de suplementar o rendimento com benefícios sociais que estavam em constante redução; nas mulheres cuja capacidade para trabalhar e auferir rendimento dependiam da acessibilidade e do custo das creches e do ensino pré-escolar cujas instalações foram progressivamente reduzidas; por aqueles que não podiam pagar seguros de saúde privados enquanto assistiam ao desaparecimento da disponibilidade dos serviços de saúde públicos, entre outros exemplos.  Foi também muito evidente para os profissionais de saúde mal pagos que, mesmo no período antes do vírus, já se confrontavam com um serviço de saúde público desguarnecido e desprovido de meios.

Atualmente as pessoas em diferentes países estão a organizar aplausos coletivos aos profissionais de saúde no desejo de demonstrar gratidão pelos esforços incansáveis destes profissionais. Isso é ótimo para elevar o ânimo, mas os profissionais de saúde não precisariam dos aplausos se houvesse profissionais em número suficiente e com equipamento adequado às necessidades.

A depleção na saúde pública tem efeitos sobretudo nas mulheres. As mulheres são quem proporciona a maior parte dos cuidados informais no seio familiar e essa carga aumenta significativamente com a retração dos serviços públicos. Neste momento sendo mulheres muitos dos cuidadores formais e informais – a centenas de hospitalizados e a muitos que estão confinados ao domicílio – torna-se crescentemente evidente que existem grandes desafios associados a questões de género na capacidade de resposta dos sistemas de saúde.

Hoje em dia já deveria ser evidente que um sector público depauperado não consegue responder adequadamente às dificuldades do futuro. Os atores privados – clínicas privadas, indústrias que poderiam produzir equipamentos técnicos necessários, farmacêuticas, etc – embora tenham ganhado lucros imensos, não parecem reconhecer as suas obrigações perante o interesse público neste momento. Nem tampouco estão a ser requisitadas pelos governos. Enquanto a ideologia neoliberal instilou na consciência pública que as instituições públicas são ineficientes constata-se, neste momento, que não se sente a prometida eficiência do sector privado.

É possível fazer diferente

Existem exemplos demonstrativos da possibilidade de reversão do processo. Em Espanha nacionalizaram-se temporariamente todos os hospitais privados e requisitaram-se para o serviço público todos os profissionais de saúde, algo que seria impossível de conceber antes do surto pandémico. Mas faz sentido. O interesse público deve preceder o interesse privado – sempre – particularmente em situações de crise como a atual. Portanto, por que motivo só se entendem os cuidados de saúde como direito público e de interesse público em tempos de crise? Por que não remover o lucro da equação?

A solidariedade global importa

Existe também uma correlação entre a depleção do sector dos cuidados de saúde e o aumento das dívidas ‘soberanas’. Os países endividados estão frequentemente confrontados com condicionamentos impostos pelas instituições financeiras internacionais que, basicamente, utilizam os empréstimos como cavalos de troia. Através dos condicionamentos que acompanham os empréstimos, as medidas de austeridade são institucionalizadas e a privatização dos serviços públicos é propagandeada como uma forma ideologicamente neutra, objetiva e inevitável para que os governos possam responder às exigências dos empréstimos – os denominados “ajustamentos estruturais”. A privatização dos serviços desempenha um papel fulcral na minoração das capacidades do estado para interferir dado que um aspeto crucial para o neoliberalismo é: atores privados em primeiro lugar. A privatização também serve o propósito de diminuir a despesa pública para que a dívida possa ser paga.

As instituições financeiras internacionais, em particular o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) desempenham um papel importante na propagação do neoliberalismo. A capacidade do ‘capitalismo de desastre’ para capitalizar com o COVID-19 dependerá em grande parte do posicionamento do Banco Mundial e do FMI. A perspetiva não é encorajadora. Recentemente o FMI rejeitou emprestar à Venezuela 5 mil milhões de dólares que se destinariam a fortalecer a capacidade de resposta do serviço de saúde contra a presente pandemia. A rejeição ocorreu porque, alegadamente, o FMI não ‘conseguiu decidir’ sobre quem é o legítimo líder da Venezuela. A incapacidade que o “regime global” demonstra para ver além das diferenças ideológicas e da competição política pode ser fatal para um país já em dificuldades. Numa conferência de imprensa recente o perito independente das Nações Unidas para os efeitos da divida externa e direitos humanos, Juan Pablo Bohoslavsky, afirmou que tal decisão poderá constituir uma violação grosseira dos direitos humanos a qual requererá a responsabilização da instituição e dos seus decisores.

No nosso objetivo de transformação do sistema político e económico, sistema este que parece ter-se apropriado da decisão sobre quem deve viver ou pode morrer, devemos modificar a forma como se permite que as instituições financeiras internacionais realizam negócios. Devemos introduzir a solidariedade global como sendo um dos seus objetivos nucleares.

Existem alternativas para além do neoliberalismo

À medida de a pandemia progride assistimos a diferentes actos de solidariedade. Pessoas jovens formam grupos para entregar comida ou passear animais domésticos daqueles que estão mais vulneráveis, pessoas a partilhar livros e receitas ou a ensinar como fazer jardinagem e outras coisas aparentemente vulgares, mas que em tempos de crise se tornam testemunho da nossa humanidade. Um testemunho da importância do coletivo. Outras coisas extraordinárias também estão a acontecer. Coisas que anteriormente tinham um preço como assistir a peças de teatro ou aulas de yoga estão presentemente a ser difundidas gratuitamente em diferentes plataformas online; ferramentas educacionais estão a ser publicamente disponibilizadas e até os níveis de poluição diminuíram.

Tudo isto testemunha as vastas possibilidades e alternativas para além do neoliberalismo e da exploração. Mas para que esta extraordinária demonstração de solidariedade possa continuar precisamos de criar sistemas que incrementem a solidariedade para além da crise e coloca-la no centro da nossa economia, do nosso sistema político e nas nossas relações com os outros.


Original em:

COVID-19: What has COVID-19 Taught Us about Neoliberalism?


por Nela Porobić Isaković, Liga Internacional das Mulheres pela Paz e Liberdade  |   Texto com tradução de Teresa Gago | Este artigo respeita o AO90


 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 

Ver original no jornal 'TORNADO' na seguinte ligação:

https://www.jornaltornado.pt/o-que-o-covid-19-nos-ensinou-sobre-o-neoliberalismo/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=o-que-o-covid-19-nos-ensinou-sobre-o-neoliberalismo

Artigos relacionados

OMS admite transmissão pelo ar e recomenda evitar aglomerações
OMS admite transmissão pelo ar e recomenda evitar aglomerações 07/07/2020 A Organização Mundial de Saúde (OMS) admitiu hoje haver ... 93 views Wed, 08 Jul 2020, 01:07:47
Cascais não regista novos casos, mantêm os 1.061 infetados
Cascais não regista novos casos, mantêm os 1.061 infetados   No relatório de hoje (5), da Direcção Geral da Saúde (DGS) não se registam novos casos no número de... 45 views Mon, 06 Jul 2020, 01:56:20
Bolsonaro subestimou a COVID-19 e Brasil paga a conta, avalia chefe da...
Bolsonaro subestimou a COVID-19 e Brasil paga a conta, avalia chefe da... © AP Photo / Andre BorgesO presidente da Federação Internacional da Cruz Vermelha, Francesco Rocca, declaro... 43 views Thu, 02 Jul 2020, 01:43:36
Da incerteza ao alívio. Pai da agressiva resposta da Nova Zelândia exp...
Da incerteza ao alívio. Pai da agressiva resposta da Nova Zelândia exp... Mário Cruz / Lusa Michael Baker, o médico que idealizou a resposta agressiva à pandemia por parte da No... 100 views Mon, 29 Jun 2020, 00:39:48
Brasil supera 1,2 milhão de infectados pela COVID-19 e está muito pert...
Brasil supera 1,2 milhão de infectados pela COVID-19 e está muito pert... Rio de Janeiro, 25 jun (Xinhua) -- O Brasil registrou 1.141 mortes nas últimas 24 horas, elevando para 54.971 o ... 57 views Fri, 26 Jun 2020, 11:26:55
Mais 6 mortos e 311 novos casos em Portugal. 77% dos casos na Grande L...
Mais 6 mortos e 311 novos casos em Portugal. 77% dos casos na Grande L... Tiago Petinga / Lusa Portugal regista esta quinta-feira mais seis mortos por covid-19 e mais 311 infe... 38 views Fri, 26 Jun 2020, 00:36:03

Neoliberalismo, Covid-19

  • Criado em .
  • Visualizações: 454

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Publicações mais recentes

Filtrar por categoria
09, julho 2020

Concurso externo de docentes: 872 vinculações

em Portugal

por António Duarte

Estão publicadas no site da Direção-Geral da Administração Escolar (DGAE) as listas definitivas do concurso externo, tendo 872 docentes reunido as condições para serem contratados, o que representa a vinculação de mais 330 docentes do que no…
09, julho 2020

Uso de máscara passa a ser obrigatório na Catalunha. Até na rua e independentemente da distância social

em Mundo

por ZAP in ZAP

Fabio Frustaci / EPA   O uso de máscara passa a ser obrigatório a partir de quinta-feira na região espanhola da Catalunha em todo o momento e em todos os espaços, interiores e exteriores, mesmo…
09, julho 2020

Pedro Nuno Santos demarca-se de Costa no voto presidencial. “Nunca apoiarei um candidato da direita”

em Portugal

por ZAP in ZAP

António Cotrim / Lusa   O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, disse em entrevista à RTP que se o PS não apresentar um candidato às eleições presidenciais de 2021 votará num…
09, julho 2020

Bolsonaro adia decisão e país continua sem ministro da Educação

em Mundo

por Brasil24/7

  247 - O Brasil segue há 20 dias sem ministro da Educação. O cargo está vago desde que Abraham Weintraub deixou o governo sob pressão. Enquanto isso, candidatos ao posto se movimentam nos bastidores…
09, julho 2020

Milícia digital implodida pelo Facebook é chefiada por Carlos Bolsonaro e deve ser investigada pela CPI e pelo STF

em Mundo

por Brasil24/7

  247 – A implosão do gabinete do ódio, milícia digital comandada pelos filhos de Jair Bolsonaro para espalhar mentiras e ataques a adversários políticos, pelo Facebook deve dar novo gás às investigações sobre fake…
09, julho 2020

Conselheiro de Estado chinês propõe três sugestões para levar relações China-EUA de volta ao caminho certo

em Mundo

por XINHUA Português

Beijing, 9 jul (Xinhua) -- O conselheiro de Estado e ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, propôs na quinta-feira três sugestões para levar as relações China-EUA de volta ao caminho certo, no discurso…
09, julho 2020

Déficit dos EUA bate recorde ao ser 100 vezes maior que no ano fiscal de 2019

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© REUTERS / Leah Millis Impulsionado pela pandemia, o déficit norte-americano nos primeiros nove meses do ano fiscal alcançou um valor recorde de US$ 2,7 trilhões (R$ 14,4 trilhões). O déficit federal dos EUA em…
09, julho 2020

Editora da Agência Pública demonstra como Deltan Dallagnol trabalhou por dinheiro para os Estados Unidos

em Mundo

por Brasil24/7

  247 - A jornalista Natalia Viana, editora da Agência Pública, explicou em detalhe as tratativas sigilosas da Lava Jato com o FBI. Segundo Viana, Deltan receberia uma recompensa financeira através dos ‘assets sharing’ baseados…
09, julho 2020

Uma análise “em contra corrente” da solidariedade na União Europeia

em Mundo

por Areia dos Dias

  O tema da solidariedade no interior da União Europeia (UE) tem vindo a ser objecto de debates intensos e acalorados. Tal vinha acontecendo, desde há bastante tempo, antes da pandemia da Coronavírus – 19,…
09, julho 2020

Ensino à distância, economia e “pedagogia chapa 1”

em Portugal

por Areia dos Dias

  Com a pandemia do COVID 19 não houve alternativa senão recorrer ao ensino à distância. Através das tecnologias da informação e da comunicação, escolas e professores desenvolveram metodologias de ensino e aprendizagem e puseram-nas…
09, julho 2020

Harvard e MIT tentam travar expulsão de estudantes internacionais

em Mundo

por Filipe Sousa

08/07/2020     A Universidade de Harvard e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) pediram a um tribunal federal que bloqueie temporariamente uma regra do governo Trump que impede os estudantes estrangeiros de permanecerem…
09, julho 2020

A descolonização portuguesa e as feridas por sarar

em Portugal

por Carlos Esperança in 'PONTE EUROPA'

4 As descolonizações foram sempre tragédias, agravadas com o prolongamento da guerra. A portuguesa deveu-se ao ditador, leviano e sinistro, que ignorou os sinais da História e recusou negociar a autodeterminação que os africanos e…
09, julho 2020

Costa diz que situação em Portugal é estável e reuniões no Infarmed continuam

em Portugal

por Filipe Sousa

08/07/2020   O primeiro-ministro afirmou hoje que as reuniões com epidemiologistas no Infarmed, em Lisboa, vão continuar, mas não foi marcada a seguinte porque a situação pandémica no país está estabilizada e não há informação…
09, julho 2020

Primeiro caso de doente com VIH considerado curado apenas com medicação

em Mundo

por ZAP in ZAP

Alexey Kashpersky Conceito artístico do VIH criado pelo designer ucraniano Alexey Kashpersky O paciente em causa foi tratado durante anos com uma combinação de antirretrovirais e nicotinamida.   Um paciente com o vírus da imunodeficiência…
09, julho 2020

Facebook exclui páginas bolsonaristas por postagens de conteúdo falso

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© Folhapress / André Coelho A rede social Facebook informou nesta quarta-feira (8) que removeu uma série de contas e páginas consideradas falsas, com ligações com a família do presidente Jair Bolsonaro e com o…
09, julho 2020

O TERRORISTA "BOM", A NATO E O TRÁFICO DE ÓRGÃOS

em Mundo

por in 'O Lado Oculto'

O secretário-geral da NATO com o traficante de órgãos humanos: um quarto de século de aliança 2020-07-08 Hashim Thaci, “presidente” do Kosovo, ia a caminho de Washington em 24 de Junho encontrar-se com Trump quando,…
09, julho 2020

Trump pressiona reabertura de escolas apesar do crescimento de casos de covid-19 nos EUA

em Mundo

por ZAP in ZAP

Chris Kleponis / EPA   O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, prometeu exercer pressão sobre os estados para reabrir as escolas neste outono, apesar do aumento do número de casos de covid-19 em…
09, julho 2020

China tomou 'ação incrivelmente agressiva' em confronto armado com a Índia, diz Pompeo

em Mundo

por in 'Sputnik Brasil'

© AP Photo / Andy Wong O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, acusou a China nesta quarta-feira (8) de tomar "ações incrivelmente agressivas" em um recente confronto com a Índia sobre uma área…
09, julho 2020

O poeta - Atahualpa Yupanqui

em Mundo

por Voar Fora da Asa

   O poeta   Pensas que és diferente porque te chamam poeta, e vives num mundo à parte para lá das estrelas.   De tanto olhar a lua já nada sabes ver, és como um…
09, julho 2020

Xi Jinping diz que a China está pronta para se juntar à Rússia

em Mundo

por Fernanda Mira

08/07/2020   O presidente chinês, Xi Jinping, disse esta quarta-feira que o lado chinês está disposto a continuar a trabalhar com o lado russo para se apoiar firmemente e rejeitar a sabotagem e a intervenção…
09, julho 2020

Bombas de combustível passam a funcionar até às 22h (mas continuam sem vender álcool)

em Portugal

por Lusa in ZAP

Marcelo Camargo / ABr   Os postos de combustíveis na Área Metropolitana de Lisboa (AML) podem funcionar normalmente até às 22h, se o horário o permitir, e a partir dessa hora exclusivamente para efeitos de…
09, julho 2020

Marcelo anuncia fim das reuniões do Infarmed (e diz que os comboios não são a origem dos surtos)

em Portugal

por ZAP in ZAP

António Pedro Santos / Lusa   Marcelo Rebelo de Sousa anunciou, esta quarta-feira, o fim das sessões epidemiológicas para avaliar a situação epidemiológica da covid-19 em Portugal. Vários partidos criticaram a decisão, à exceção do…
09, julho 2020

Fim dos debates quinzenais. Rio diz que é o melhor para o país (e pensa em si próprio)

em Portugal

por ZAP in ZAP

Mário Cruz / Lusa O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio O líder do PSD, Rui Rio, explicou, num vídeo da PSD/TV que defende o fim dos debates quinzenais porque é o “melhor…

Últimos posts (Cascais)

Itens com Pin
    Atividades Recentes
    Aqui ainda não existem atividades

    Últimos posts (País e Mundo)

    Itens com Pin
      Atividades Recentes
      • LEGALIZAÇÃO DAS CASAS DE PROSTITUIÇÃO

        Um debate que provavelmente vai ganhar dimensão.
        Legalização da prostituição - petição apresentada na A.R
        Gravação da reunião na Assembleia da República
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      • Homicidal Cops Caught On Police Radio
        #TheJimmyDoreShow
        Homicidal Cops Caught On Police Radio
        42 219 visualizações
        •05/06/2020
        0
        0
        0
        0
        0
        0
        Publicação sobre moderação
        Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
      Aqui ainda não existem atividades
      LOGO4 vert01
      A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
      Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
      exceto quando expressamente assinadas por esta.
       

      SSL Certificate
      SSL Certificate