mundo001Diversos pontos de vista sobre assuntos de caráter global/mundial.

  • XINHUA Português
  • Mundo

Secretário-geral da ONU reitera apelo por cessar-fogo global durante luta contra a COVID-19

 

 

Nações Unidas, 3 abr (Xinhua) -- O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse na sexta-feira que a comunidade internacional deve se concentrar apenas na batalha contra seu inimigo comum da pandemia COVID-19, que está varrendo o mundo inteiro e trazendo enormes impactos socioeconômicos.

"O apelo de cessar-fogo global está ressoando em todo o mundo", disse Guterres em uma coletiva de imprensa virtual.

Dez dias atrás, o chefe da ONU pediu por um cessar-fogo imediato "em todos os cantos do mundo" para reforçar a ação diplomática, ajudar a criar condições para a entrega de ajuda para salvar vidas e trazer esperança para os lugares que estão entre os mais vulneráveis à pandemia da COVID-19.

"A pandemia está tendo profundas consequências sociais, econômicas e políticas, inclusive as relacionadas à paz e segurança internacionais", disse ele na ocasião. "Deve haver apenas uma luta em nosso mundo hoje: nossa batalha compartilhada contra a COVID-19."

Segundo o chefe da ONU, seu apelo de cessar-fogo global foi endossado por "um número crescente de Estados-membros, cerca de 70 até agora, parceiros regionais, entidades não estatais, redes e organizações da sociedade civil e todos os mensageiros da paz da ONU e defensores dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável".

"Líderes religiosos...somaram sua voz da moral em apoio a um cessar-fogo global, assim como os cidadãos através da mobilização popular online", acrescentou o...

Guerra e Paz, ONU

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 25

A “diplomacia do coronavírus” pode aproximar a União Européia (UE) da Eurásia?


 
Global Research, April 03, 2020
 
A União Europeia (EU) e a União Económica da Eurásia (EEU), uma associação de estados pós-soviéticos, desempenham efetivamente uma função semelhante entre si como um bloco económico. Ao contrário dos 27 membros da EU, a EEU possui apenas 5 membros, pois muitos estados pós-soviéticos alegam que não passa de uma tentativa de reviver a União Soviética, que os países do Ocidente não querem promover. A resistência do Ocidente não trouxe nenhum benefício económico e esse duelo geopolítico se refletiu no sucesso limitado das sanções contra a Rússia. No entanto, a credibilidade da UE e das ordens liberais continua a diminuir como resultado da pandemia de coronavírus. Portanto, a pandemia de coronavírus na verdade cria uma oportunidade única para a EU e a EEU se integrarem em um único sistema, ou pelo menos se aproximarem.
 
O domínio da Rússia na EEU é positivo e negativo para a integração da Eurásia. O grande mercado da Rússia forma a base do potencial de integração da EEU, no entanto, o crescimento económico limitado, as sanções e sua participação na geopolítica global criam riscos para o processo de integração da Eurásia. No entanto, a integração da Eurásia seria do interesse da EU, pois conectará os países europeus a novos mercados na Ásia Central e Oriental com muito mais eficiência e rapidez do que outros meios. A EU alega que trabalha em...

União Europeia

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 35

VIRAGEM DE PÁGINA GLOBAL

 
 
Martinho Júnior, Luanda   
 
As profundas alterações globais em curso estão em fase de agudização!... 
 
Está a passar-se das alterações climático-ambientais, com toda a sua panóplia de fenómenos que tanto tem a ver com a vida tal qual a conhecemos até agora, para o surgimento de ameaças globais desconhecidas que põem em risco a humanidade como um todo, reflectindo-se em cada continente, em cada região e em cada estado, nação, povo, ou comunidade...
 
Ao longo do século XXI esta é a primeira das ameaças ao nível de pandemia, todavia devem ser espectáveis outras mais, tão desconhecidas como esta ou ainda mais desconhecidas, em função dessas profundas alterações, o que obriga a um virar de página no carácter das sociedades, no carácter dos estados, no carácter das instituições e em todas as iniciativas humanas que estão obrigadas a ser muito mais solidárias, muito mais colectivas, muito mais participativas e “protagónicas” e muito mais racionalmente inteligentes na aplicação da lógica com sentido de vida, nos termos rigorosos de seus deveres e obrigações!...
 
A reconversão global deve tornar a humanidade muito mais introspectiva sobre si própria, vai obrigar a uma reconversão mental inexorável, por que finalmente a percepção é de enorme responsabilidade, sobre a humanidade como um todo (mas também sobre seus fragmentos) e sobre o imenso respeito devido à Mãe...

Desenvolvimento, Covid-19

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 27
  • As palavras são armas
  • Mundo

O MONSTRO “INVENCÍVEL”

image
 
Provocador, por onde passa obriga todos os Estados à genuflexão e os povos persignam-se. O ronco dos propulsores nucleares intimida, os radares espreitam e os sofisticados sistemas eletrónicos escutam e registam o mais ténue segredo.
 
O monstro custou 4 biliões e quinhentos milhões de dólares, para se movimentar necessita de 4 mil guerreiros, muitos altamente especializados, e o seu imundo ventre alberga uma força bélica desconhecida, além de aviões última geração. O monstro designa-se “USS Theodore Roosevelt (CVN-71)”
 
Não obstante a atenção permanente a qualquer agressão que vislumbre a milhar de milhas, mantém contato com bases logísticas instaladas por todo o mundo. Ninguém se atreve a travar-lhe a rota.
 
O monstro começou a não poder respirar, apresentava os sintomas do Codiv-19, que sorrateiro passou todas as barreiras, minou todas as astúcias tecnológicas e instalou-se no bunker obrigando o medonho monstro, aos tropeções, ir procurar refúgio no porto de abrigo mais próximo.
 
O MONSTRO É A IMAGEM SIMBÓLICA DO NEOLIBERALISMO.
 

Ver o original em As palavras são armas (clique aqui)

USA, Neoliberalismo

  • Criado em .
  • Visualizações: 27

Covid-19 | EUA registam pior recorde mundial diário de mortes: 1169 em 24 horas

 
 
Os Estados Unidos registaram esta quinta-feira 1.169 mortes em 24 horas causadas pela Covid-19, o pior recorde mundial diário, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.
 
O número recorde de mortes em 24 horas datava de 27 de março, quando foram registados 969 óbitos em Itália.
 
O número total de mortes desde o início da pandemia nos Estados Unidos é agora de quase seis mil.
 
Os Estados Unidos também são, de longe, o país do mundo com o maior número de casos confirmados. Ainda de acordo com a universidade norte-americana, que atualiza continuamente os dados, há já mais de 240 mil casos identificados no país.
 
O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 52 mil.
 
Dos casos de infeção, cerca de 190 mil são considerados curados.
 
Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.
 
Jornal de Notícias com Agências
 
Imagem: Desde o início da pandemia nos Estados Unidos já morreram quase seis mil pessoas / AFP

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2020/04/covid-19-eua-registam-pior-recorde.html

USA, Covid-19

  • Criado em .
  • Visualizações: 35

A CHINA ESTENDE A ROTA DA SEDA PARA A SAÚDE

 
 
No âmbito da Iniciativa Cinturão e Rota, a China vem fornecendo a boa parte do mundo, inclusive à Europa assolada pelo vírus, materiais médicos e sanitários
 
Pepe Escobar*, para o Asia Times
 
Quando, em meados de março, o Presidente Xi Jinping conversou por telefone com o Primeiro-Ministro da Itália Giuseppe Conti, antes da chegada de um voo da China Eastern de Xangai a Milão carregado de ajuda médica, o principal tópico foi a promessa chinesa de desenvolver uma Rota da Seda da Saúde (Jiankang Sichou Zhilu).
 
Essa proposta, na verdade, já estava embutida na estratégia da Iniciativa Cinturão e Rota desde pelo menos 2017, no contexto de uma maior conectividade sanitária pan-eurasiana. A pandemia só fez acelerar o cronograma. A Rota da Seda da Saúde correrá paralela aos múltiplos corredores terrestres e à Rota da Seda Marítima.  
   
Em uma demonstração explícita de poder brando, a China, até agora, ofereceu ajuda médica e equipamentos hospitalares relativos ao Covid-19 a nada menos  que 89 países, lista essa que continua a crescer.
 
Incluídos aí estão países africanos (em especial a África do Sul, a Namíbia e o Quênia, sendo que a Alibaba de fato anunciou que enviará ajuda a todas as nações africanas); América Latina (Brasil, Argentina, Venezuela, Peru); o arco que vai do Leste ao Sudoeste Asiático e a Europa. 
 
Entre os principais recipientes europeus estão Itália...

China, Itália

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 49
  • Marcos Aurélio Ruy, em São Paulo in 'O TORNADO'
  • Mundo

Como combater a violência doméstica em meio ao confinamento da Covid-19

Especialistas do mundo todo indicam o confinamento como a melhor maneira de evitar a rápida disseminação da Covid-19. No entanto, várias organizações não governamentais (ONGs) e a Organização das Nações Unidas (ONU) indicam um aumento da violência doméstica contra mulheres, crianças e adolescentes.

 

 

Preocupados com o aumento da violência doméstica no mundo, a ONU Mulheres e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) propõem algumas medidas preventivas como o treinamento de equipes de saúde, educação e serviços para crianças sobre a prevenção de exploração, abuso sexual e negligência e como denunciar as agressões, sem risco para quem denuncia.

Às mulheres e meninas as dicas são o compartilhamento com amigas, pessoas próximas ou vizinhas denunciando as agressões. Pode-se combinar um sinal (tipo um emoji) em caso de emergência, além de manter o celular sempre carregado e conectado à internet e “se tiver carro, deixar com gasolina, as chaves na ignição” para facilitar o caso de necessidade de fuga.

O problema já começa com a sobrecarga de trabalho crescente com o isolamento, pois “os homens não costumam dividir as tarefas domésticas no Brasil”, afirma Celina Arêas, secretária da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Em nosso país, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no ano passado as mulheres dedicaram 18,5 horas semanais, em média aos afazeres...

Género, Violência

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 6

Quarentena de luxo

Quando se é o rei da Tailândia, há problemas do comum dos mortais que passam completamente ao lado. Ou dos quais é possível desviar-se em grande estilo.

Enquanto os tailandeses se debatem com a doença do coronavírus – a Tailândia foi o segundo país, depois da China, a registar ocorrências – o rei foge do país e isola-se em luxuosa quarentena, com as suas vinte mulheres, numa estância turística da Baviera, ao serviço exclusivo da real comitiva…

«A actual pandemia de coronavírus dita o isolamento social, mas o rei Maha Vajiralongkorn – Rama X – faz a quarentena de outra forma, com o seu harém de 20 mulheres, num hotel na Baviera, numa excepção à lei local do estado de emergência da região alemã.

A estância de luxo, o Grand Hotel Sonnenbichl, em Garmisch-Partenkirchen, foi reservada na totalidade pelo monarca, com “permissão especial” do distrito para o acomodar e à sua comitiva – que inclui as 20 concubinas e múltiplos empregados, não sendo claro se as quatro esposas de Rama X estarão incluídas.

A excepção concedida tem que ver com o facto de “os hóspedes serem um só grupo de pessoas, homogéneo e sem flutuações”, segundo o porta-voz do conselho distrital da região, citado do tablóide local Bild pelo espanhol El País. Entretanto, foi também reportado que 119 membros da comitiva do monarca de 67 anos foram extraditados para a Tailândia, sob suspeita de terem contraído a covid-19.

A insólita quarentena do rei Rama X na...

Covid-19

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 21
  • XINHUA Português
  • Mundo

Trump saúda esforços da China em ajudar outros países na luta contra COVID-19

An Emboldened Xi Will Greet a Troubled Trump in China - WSJ

Washington, 1 abr (Xinhua) -- O presidente dos EUA, Donald Trump, disse na quarta-feira que saúda os esforços da China para fornecer equipamentos de proteção individual aos países e regiões que combatem o COVID-19.

 

Solicitado a comentar as alegações de que a China, enviando ajuda para o exterior, "está assumindo um papel de liderança global" na batalha contra o COVID-19, Trump disse que vê isso como "positivo" se a China estiver ajudando outros países.

 

"Temos 151 países atualmente atingidos pelo vírus", disse o presidente enquanto a Força-Tarefa de Coronavírus da Casa Branca estava informando os repórteres sobre a resposta dos EUA ao surto de vírus, acrescentando que alguns países "não são altamente sofisticados" para enfrentar a crise.

 

"Se a China pode ajudá-los, sou a favor", disse Trump. "Eu adoraria que a China e outros países tivessem suprimentos médicos adicionais para dar aos outros países".

Ver original em "XINHUA Português" na ligação seguinte:

http://portuguese.xinhuanet.com/2020-04/03/c_138943666.htm

USA

  • Criado em .
  • Visualizações: 27
  • XINHUA Português
  • Mundo

Xi destaca disposição da China para ajudar a Bélgica com suprimentos médicos ante surto da COVID-19

Presidente chinês reúne-se com rei da Bélgica e expressa apoio a ...

Beijing, 3 abr (Xinhua) -- O presidente da China, Xi Jinping, disse na quinta-feira que seu país está disposto a ajudar, dentro de sua capacidade, a Bélgica para superar a atual escassez de suprimentos médicos.

Em uma conversa por telefone com o Rei Felipe da Bélgica, Xi disse que a China está disposta a compartilhar com o país europeu experiências úteis em prevenção e controle da COVID-19, e impulsionar a cooperação em, entre outras áreas, a pesquisa e o desenvolvimento conjuntos de vacinas e medicinas.

Ao indicar que a doença causada pelo coronavírus está se propagando por todo mundo e representando um sério desafio para a Europa, incluindo a Bélgica, Xi, em nome do governo e povo chineses, expressou sua solidariedade sincera e apoio firme à realeza, governo e povo belgas.

Durante a etapa crítica do combate da China contra a epidemia, diversos setores da sociedade belga ofereceram sua solidariedade e apoio em diversas formas à China, o que demonstrou a amizade profunda de apoio mútuo entre os dois povos, disse Xi.

A China está disposta a ajudar a satisfazer necessidades urgentes da Bélgica, sublinhou Xi, e acrescentou que está convencido de que, sob a liderança da realeza e do governo belgas, o povo belga definitivamente derrotará o vírus.

De mesmo modo, Xi expressou a esperança de que a parte belga empreste uma estreita atenção e tome medidas para garantir a segurança dos cidadãos chineses que vivem no país europeu, especialmente dos estudantes...

Bélgica, Covid-19

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 36

Covid-19: Sugestão de experiências em África gera indignação

Investigadores franceses sugeriram, em debate televisivo, fazer investigações sobre o novo coronavírus em África o que gerou a indignação de alguns desportistas africanos, como Drogba e Demba Ba.

CréditosMichele Cattani

Jean Paul Mira, clínico do Hospital Cochin de Paris, avançou no canal LCI a pergunta que sabia ser «provocatória»: «não deveríamos fazer um estudo em África, onde não têm máscaras e tratamentos?». Para o médico, é o facto de as populações africanas estarem desprotegidas que tornaria o estudo da vacina mais interessante, uma vez que «se fazem estudos no caso da SIDA, onde usam prostitutas para provar certas coisas, por estarem muito expostas e não terem protecção», justificou.

Em resposta, Camille Locht, director de investigação do Instituto francês da Saúde e Investigação Médica, deu-lhe razão: «Estamos a pensar num estudo paralelo em África. Creio que há uma petição que, se ainda não saiu, vai sair, e pensamos seriamente nisso. Também não rejeitamos um estudo na Europa ou na Austrália.»

Em reacção nas redes sociais, Didier Drogba, ex-futebolista marfinense, considerou a proposta «inconcebível». «África não é um laboratório. Estas declarações são realmente racistas. Ajudem a salvar África do coronavírus. Não queiram usar os africanos como cobaias. É asqueroso. Os líderes africanos têm a responsabilidade de proteger as suas populações de conspirações tão horrendas», afirmou.

Também Demba ba, futebolista senegalês, rejeitou estas declarações...

Covid-19

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 17
  • Abril de Novo Magazine
  • Mundo

Neoliberalismo contaminado

 

02/04/2020 | Michel Husson 
La novedad de la situación actual reside en la mecánica infernal que se ha desencadenado. En 2008 fue la esfera financiera la que encendió la mecha, que después de transmitió a la esfera productiva. Hoy es todo lo contrario: la actividad económica está en parte estancada y este brutal frenazo vuelve, como un bumerán, a golpear a las finanzas. Y esta implosión de las finanzas profundizará la recesión.
El hundimiento de la pirámide financiera
Sin embargo, existe un vínculo con la crisis anterior. De hecho, todas las políticas implementadas desde 2008 tienen como objetivo volver al business as usual y, en particular, a preservar de todas las formas posibles el valor de los títulos financieros, como derechos de giro sobre el valor creado. Si, por el contrario, hubiéramos confinado a las finanzas a las únicas funciones útiles que pueden cumplir, el mecanismo infernal podría haberse encuadrado mejor.

Más fundamentalmente, el agotamiento de las ganancias de productividad condenaba al capitalismo a un funcionamiento patológico consistente en capturar un máximo de valor, compensando con el aumento de las desigualdades el agotamiento de esa fuente esencial de su dinamismo. Dicho de otra forma, el coronavirus no contamina un quinto de un organismo sano sino un organismo ya alcanzado de enfermedades crónicas. La epidemia funciona como un revelador: las modalidades de salida de la crisis precedente no han...

Neoliberalismo

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 14

Espanha: Rumo a uma Frente de Salvação Popular

Frente de Salvação Popular.

– Impõe-se o resgate do nosso povo e não dos monopólios financeiros e empresariais que o parasitam

por Red Roja

 

O colapso sanitário que já ninguém nega colocou na ordem do dia as reivindicações dos colectivos de luta pela defesa da Saúde Pública: maiores recursos orçamentais, começando por reverter os brutais cortes da década anterior, e anular as privatizações que pretenderam fazer da saúde um negócio que, além disso, discrimina entre pacientes conforme a sua classe social. Vemos como a saúde pública derroca enquanto os hospitais de gestão privada com financiamento público olham para outro lado e as seguradoras privadas, em meio da tragédia, pretendem abrir o seu próprio caminho com a angústia do povo.

Por tudo isso, hoje torna-se indispensável nacionalizar de forma definitiva a saúde privada, revogando a lei 15/97. Mas isto não é suficiente na actual conjuntura de emergência sanitária e social. Há que assegurar ao máximo o fornecimento do material hospitalar e de protecção intervindo no âmbito empresarial, incluindo a indústria farmacêutica. No aspecto laboral, a referida protecção tem que acabar com essa imagem danosa de trabalhadores forçados a realizar seu trabalho sem condições de segurança. Ao mesmo tempo, impõe-se uma planificação social do confinamento é necessário para travar o abandono em que grandes sectores da população foram mergulhados após o esgotamento dos já escassos serviços sociais. E é necessária uma intervenção no domínio da habitação...

Espanha

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 8
  • Porfirio Silva in "Machina Speculatrix"
  • Mundo

O Império Romano, a pandemia e o futuro



Vai a pandemia substituir a globalização pela "economia natural"? Vamos passar a economias nacionais de auto-suficiência?

-1-
 
Não sou entusiasta de grande parte das análises que tenho lido sobre as consequências futuras da actual pandemia em termos de organização da sociedade. Não creio razoável postular a estagnação económica como solução para os problemas ambientais dos terráqueos; não acredito que a loucura consumista possa ser curada pelo confinamento (embora possa ser travada pelo empobrecimento generalizado e profundo); receio que, mais uma vez, passado o pior momento da crise, voltarão à carga os defensores do Estado mínimo: a saúde encarada como mercadoria voltará a inspirar as propostas políticas de muitos; a fragilidade da civilização, no sentido concreto e imediato de fragilidade das instituições, era ignorada por muitos, mas sempre esteve entre nós – apesar de se ter revelado de forma exuberante no fracasso dos sistemas de governação de países muito ricos, muito poderosos e com histórias institucionais muito sólidas; o nosso conhecimento do mundo, apesar dos sucessos extraordinários da ciência, é incerto… e agora temos a certeza dessa incerteza, apesar de ela nunca ter deixado de ser um facto que só os irresponsáveis faziam por ignorar.

O único ponto em que concordo na generalidade das “grandes análises” que tenho visto por aí é o que se relaciona com a globalização: somos, hoje, um mundo de viajantes e a quase totalidade das sociedades em todos...

Teoria, Desenvolvimento

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 30
  • franciscogtavares in 'A Viagem dos Argonautas'
  • Mundo

A Europa impotente face à perspetiva de uma tragédia global ? Texto 11.Caos na União Europeia: depois do MEE e dos Coronabond, agora a Terceira Via passa pelo Banco Europeu de Investimento . Por Roberto Ciccarelli

Roberto Ciccarelli

 


Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

Texto 11.Caos na União Europeia: depois do MEE e dos Coronabond, agora a Terceira Via passa pelo Banco Europeu de Investimento .

 Por Roberto Ciccarelli

Publicado por em 31/03/2020 (ver aqui)

 

Reações em cadeia. Após o confronto entre os chefes de Estado na quinta-feira, a primeira semana de negociações sobre uma política económica europeia antivírus está a recomeçar. Agora a ideia de refinanciar o BEI com 1,5 milhões de milhões está a avançar. O realismo do Comissário da Economia da UE, Paolo Gentiloni, dissipa as ilusões do governo italiano.

O Comissário Europeu para os Assuntos Económicos © Ap

 

As duas semanas concedidas pelos 27 chefes de Estado europeus para chegar a um acordo de princípio sobre a coordenação das políticas económicas europeias contra a pandemia pelo Covid 19 começaram a ser difíceis. Isto foi visto ontem a partir do adiamento de 5 para 7 de Abril do Eurogrupo, que deverá encontrar uma mediação no jogo de vetos cruzados entre a frente norte (Alemanha e os seus satélites holandeses ou finlandeses) e o grupo de nove países, incluindo a Itália, que solicitou a emissão de títulos da dívida comuns chamados “Coronabond”. A situação está congelada e continuamos no quadro do confronto da última quinta-feira: neste momento a União Europeia não tem uma resposta unívoca contra a crise, a não ser a suspensão do “Pacto de Estabilidade” e da regra que impede os “auxílios...

União Europeia

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 33

Tribunal da UE condena três Estados-membros por negarem asilo a refugiados

 

O Tribunal Superior da União Europeia (UE) condenou a Polónia, a Hungria e a República Checa por violarem a lei europeia ao não darem asilo aos refugiados que chegavam do sul da Europa, que fugiam da guerra na Síria e no Iraque.

 

Segundo noticiou o Guardian, os três países da Europa Central enfrentam agora possíveis multas por se recusarem a receber uma parcela de refugiados, depois que os líderes da UE forçaram, através de quotas obrigatórias, a realocação de até 160 mil requerentes que pediram asilo no auge da crise migratória, em 2015.

Ao divulgar o veredicto, na quinta-feira, o tribunal disse que os três Estados-membros “não cumpriram suas obrigações perante as leis da União Europeia”. A República Checa recebeu apenas 12 requerentes de asilo, enquanto a Hungria e a Polónia se recusaram a receber qualquer pessoa.

O tribunal rejeitou o argumento legal de que a Hungria, a Polónia e a República Checa tinham o direito de desconsiderar as leis da UE com o intuito de manter a segurança pública e a ordem. Nenhum dos países havia provado que era necessário invocar essa cláusula de exclusão nos tratados da UE, concluiu o tribunal.

A Comissão Europeia agora tem o direito de iniciar uma ação legal para aplicar multas aos três países.

A decisão de impor quotas obrigatórias de requerentes de asilo foi tomada diante de uma forte oposição da Hungria e da República Checa, lembrou o Guardian. Depois que o partido nacionalista Lei e Justiça foi eleito, em outubro...

Migração, União Europeia

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 27
  • Ladrões de Bicicletas (Paulo Coimbra)
  • Mundo

Bancos centrais: independência ou controle democrático?

Bancos Centrais01
 
Baseado num livro [ pdf    (1.64 MB) ]de Richard Werner, o documentário* abaixo, tornado público em Novembro de 2014, é sobre o poder dos bancos centrais para criar mudanças económicas, políticas e sociais e sobre a forma como o fazem.

Diria que é um documentário generalista e acessível, mas dirigido a um público informado e interessado em questões económicas e políticas, e que algum conhecimento prévio do trabalho de economistas não neoclássicos pode ajudar.

Por exemplo, a hipótese da instabilidade financeira de Hyman Minsky (aqui resumida por Steve Keen) e a conclusão de Keynes e Schumpeter segundo a qual o investimento não é financiado por poupança, mas pela expansão endógena da oferta monetária bancária (aqui confirmada pelo Banco de Inglaterra), sendo pilares fundamentais da compreensão do capitalismo e da sua inerente instabilidade, constituem também o tipo de conhecimento que permite perceber, por exemplo, o funcionamento opaco e muito pouco escrutinado dos bancos centrais e, simultaneamente, expor a ficção neoliberal da sua independência e a sua real dependência dos mercados financeiros. Tudo questões, mais ou menos, diretamente tratadas no documentário.

 
 

Num relato cadenciado e repleto de informação histórica, o trabalho de Richard Werner permite-nos compreender, por exemplo, como a articulação entre Tesouro e banco central, entre a política orçamental e a política monetária, se constituiu como o arranjo institucional que produziu uma...

Banca

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 44
  • in 'Sputnik Brasil'
  • Mundo

Por expor brasileiros à COVID-19, juristas denunciam Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional

Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, em uma marcha evangélica em Brasília, 10 de agosto de 2019
© REUTERS / Adriano Machado

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) apresentou uma queixa no Tribunal Penal Internacional (TPI), com sede em Haia, contra o presidente Jair Bolsonaro por crimes contra a humanidade devido à pandemia do novo coronavírus.

Conforme relatado pela organização nesta sexta-feira em um comunicado, o Brasil tem um chefe de governo cujas atitudes são "totalmente irresponsáveis", então pedem ao TPI que "condene o presidente brasileiro por crimes contra a humanidade, por expor a vida dos cidadãos brasileiros com ações concretas que aumentam o contágio e a proliferação do vírus".

A organização destaca que alguns estudos indicam que no Brasil pode haver mais de um milhão de mortes caso as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) não sejam respeitadas e cita várias iniciativas de Bolsonaro que vão contra essas diretrizes.

A ABJD lembra que, em seus discursos oficiais, Bolsonaro incentiva o fim do isolamento social (que os governadores dos estados estão implementando por conta própria) e o retorno das atividades nas escolas e no comércio.

Eles também observam que ele promoveu a campanha "O Brasil não pode parar", que participou de atos que geraram multidões públicas e que assinou um decreto que determinava a reabertura de igrejas e lotéricas.

A associação considera ainda que Bolsonaro violou várias leis, como as que lidam com epidemias e medidas sanitárias preventivas, e até outras regulamentações aprovadas...

Brasil

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 24

Um milhão de assinaturas apoia apelo da ONU para cessar-fogo mundial

 

Uma petição lançada pela ONG Avaaz, em apoio ao apelo da ONU para um cessar-fogo mundial, devido à pandemia de covid-19, atingiu, esta quinta-feira, um milhão de assinaturas, numa altura em que os conflitos não diminuem.

 

No encontro diário com a imprensa, o porta-voz das Nações Unidas, Stephan Dujarric, congratulou-se com esta iniciativa. “Estamos muito felizes em ver a quantidade de pessoas que aderiram a esta petição. É importante colocar pressão nos combatentes”.

A petição online foi lançada a 30 de março e respondeu ao apelo lançado por António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, para um cessar-fogo mundial. Se em alguns países, como Filipinas, Camarões, Iémen ou Colômbia, os grupos armados mostraram-se prontos para cessar as hostilidades, a verdade é que não materializaram essas intenções.

“Infelizmente as hostilidades continuam na maior parte das zonas onde nos encontramos”, disse Laetitia Courtois, representante do Comité Internacional da Cruz Vermelha, junto da ONU. “Os combates continuam e os feridos continuam a chegar aos hospitais que têm o nosso apoio, por exemplo, no Sudão do Sul”, acrescentou.

Segundo Laetitia Courtois, o cessar-fogo permitiria aos agentes humanitários continuar a trabalhar em melhores condições e ter um impacto maior no momento da crise pandémica provocada pelo novo coronavírus.

No passado dia 24, Guterres pediu um cessar-fogo imediato em todos os conflitos mundiais para preservar a vida de civis perante a...

Guerra e Paz, ONU

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 26
  • franciscogtavares in 'A Viagem dos Argonautas'
  • Mundo

A Europa impotente face à perspetiva de uma tragédia global ? Texto 10. “UE e BCE, não é assim que se supera a crise”. O apelo de 110 economistas. Por MicroMega

MicroMega
Seleção e tradução de Júlio Marques Mota

Texto 10. “UE e BCE, não é assim que se supera a crise”. O apelo de 110 economistas.

Publicado por  em 24 Março 2020 (ver aqui)

O Banco Central começou por arquivar Draghi, depois voltou atrás, forçado pela reacção dos mercados, mas, entretanto, perdeu a arma decisiva da credibilidade. A UE toma algumas medidas mas não nega – na realidade confirma – a lógica económica que nos condena a uma crise perene. O que é realmente necessário.

 

Nem mesmo diante de um desastre a atual classe dominante europeia está disposta a reconhecer que as ideias que têm guiado a política económica até agora estão profundamente erradas. Essa classe dominante exige que essas ideias sejam tomadas como a melhor maneira de fazer os mercados funcionarem, elevadas a pensamentos míticos do que é justo e do que não é, substituindo-se, de facto,  ao processo democrático. Mas foi precisamente a reação dos mercados às primeiras decisões dos ministros das finanças e, depois, do BCE sobre a forma de lidar com a situação de emergência que enterrou a incompreensão flagrante da situação, pela parte dos altos dirigentes europeus, sob uma avalanche de venda de títulos em pânico, forçando-os a fazer tentativas apressadas de reparação.

No entanto, estas reações não serviram para convencer líderes e tecnocratas da falácia das suas teorias. Os discursos são apresentados como uma resposta excecional a um estado de exceção, sem que isso ponha em causa as regras...

União Europeia, Crise 2020

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 25
  • in 'Sputnik Brasil'
  • Mundo

Cientistas chineses desenvolvem máscaras eletrostáticas que aniquilam organismos virulentos (FOTO)

Pedestres caminham de máscaras protetoras na capital da Coreia do Norte, Pyongyang, 1º de abril de 2020
© AP Photo / Chsa Song Ho

A Escola de Engenharia Mecânica e Elétrica da Universidade Eletrotécnica de Xian desenvolveu uma "máscara antiviral eletrostática" com um "purificador de ar" especial.

O professor Tong Xufeng, desta universidade, falou em entrevista à Sputnik China sobre as vantagens desta máscara em comparação com a N95. Nomeadamente, ele explicou que o vírus tem dificuldade de sobreviver sozinho no ar, em geral o vírus se espalha fixando-se em partículas.

Primeiro ele precisa de se agarrar a algo, o diâmetro de tais partículas é geralmente menor do que PM (particulate matter) 2,5, ou seja, cerca de 1 mícron (1 mícron corresponde a 0,000001 metro).

"A vantagem principal da máscara desenvolvida pela nossa equipe, em comparação com a N95, é que ela consegue filtrar partículas menores que um micrômetro de diâmetro. Depois de absorver estas partículas, a máscara usa raios e campos de alta tensão para matar os organismos virulentos. Se você usa máscaras normais, que filtram partículas PM 2,5, elas não serão capazes de filtrar partículas menores de 2,5 mícrones", explicou o cientista.
© Foto / Universidade Eletrotécnica de Xian
Máscara eletrostática desenvolvida pela Universidade Eletrotécnica de Xian

Durante o surto de coronavírus, o Departamento da Saúde da província de Xian contatou a equipe de Tong Xufeng, perguntando se as máscaras poderiam ser usadas no combate contra o coronavírus. Assim, os cientistas decidiram, com base nas máscaras...

China, Covid-19

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 23

NÃO PERMITAMOS QUE TRUMP PROVOQUE A GUERRA COM VENEZUELA!

                       


Don’t weaponize a pandemic. No war on Venezuela!

Just when we thought things couldn’t get any worse, in the middle of the coronavirus pandemic, Trump is trying to start a war with Venezuela! He used his Wednesday White House briefing to switch gears, hijacking the coronavirus briefing to announce that Navy warships will be moving towards Venezuela and suggesting that President Maduro could be trying to spread COVID-19 throughout the US. Sign our petition below: NO WAR ON VENEZUELA!
We the people are outraged that when hundreds of thousands of Americans, maybe millions, are facing death from coronavirus, and when Venezuelans are mustering all the forces they can to combat the coming viral onslaught in their own country, the Trump administration is provoking a war with Venezuela.
Last week the Trump administration indicted a sitting president, Nicolas Maduro, on bogus drug charges. They put out a $15 million dollar reward for information leading to his capture. And now they are sending Navy ships to the coast of Venezuela on the pretext of anti-drug operations and saying that the drug trade might be partially responsible for the spread of coronavirus in the U.S. The real goal of the Trump administration is to distract from their gross, even criminal, mishandling of the coronavirus crisis plus the same goal the administration has been pursuing for the past year: regime change.
This is...

Venezuela

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 40

Nem a pandemia cessa o bloqueio: Donativo de empresa chinesa não pôde chegar a Cuba

 
 
– Notícias como esta são omitidas pelos media corporativos
 
Carlos Miguel Pereira Hernández [*]
 
 
Para Cuba, as coisas são sempre mais difíceis. Nem em tempos de pandemia deixam os cubanos respirarem tranquilos

Em 13 de Março último Jack Ma, fundador do Alibaba, o gigante electrónico chinês e a fundação que tem o seu nome, anunciaram ao mundo a sua intenção de doar aos EUA 500 mil kits de detecção rápida do COVID-19 e de um milhão de máscaras, ignorando frases xenófobas e racistas do seu actual presidente. Antes disso já havia feito doações a outros países, como o Japão, Coreia do Sul, Itália, Irão e Espanha, considerados então como os que estavam expostos ao maior perigo, exprimindo assim seu apelo transparente para unir esforços nesta batalha dura e desigual.

Um segundo envio de donativos para apoiar os trabalhos de prevenção na Europa chegou ao aeroporto belga de Liège em 16 de Março. Nesse mesmo dia informava-se também da chegada à Etiópia de outro carregamento destinado aos 54 países africanos. No dia seguinte, um voo de Hangzhou para Roma levava fornecimentos médicos para a Cruz Vermelha Italiana e anunciava-se que mais kits e máscaras iam a caminho.

Nesse mesmo dia, outro avião chegava a Saragoça, Espanha, com outra carga de umas 500 mil máscaras e outros equipamentos médicos para apoiar o combate contra o novo Coronavírus. Nesse dia uma mensagem na conta de Jack Ma no twitter assegurava em castelhano...

Cuba

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 61
  • in 'Sputnik Brasil'
  • Mundo

O que explica escala do coronavírus no país mais rico do planeta?

Um homem com máscara e um médico durante o surto de coronavírus em Nova York, EUA
© REUTERS / Andrew Kelly

Os Estados Unidos contam com uma grande quantidade de profissionais capacitados, porém, já têm mais de 240 mil casos confirmados de infecção por coronavírus.

Os Estados Unidos já somam mais de 6 mil falecidos e mais de 245 mil casos de contágio pelo coronavírus, sendo o país com o maior número de infectados a nível mundial. No começo de março, após meses tentando demonstrar que o país estava preparado para enfrentar a pandemia, o presidente Donald Trump finalmente admitiu que o contágio não está "sob controle", tanto em seu país como no exterior.

© REUTERS / Tom Brenner
Presidente dos EUA, Donald Trump, em frente a gráfico intitulado "Metas de Mitigação Comunitária" mostrando as mortes projetadas nos EUA em meio à pandemia, durante briefing diário de resposta ao coronavírus na Casa Branca em Washington, EUA, em 31 de março de 2020

Por que a pandemia se tornou tão intensa no país mais rico do mundo e que erros foram cometidos na hora de enfrentá-la?

Meses perdidos

Em primeiro lugar, entre o final de janeiro e princípio de março, quando o vírus já estava se propagando da China aos EUA, não se realizaram testes em grande escala de pessoas que poderiam ter sido infectadas devido a falhas técnicas, obstáculos regulatórios, burocracia e falta de liderança em múltiplos níveis, segundo mais de 50 funcionários da saúde pública atuais e anteriores, fontes da Administração norte-americana, cientistas de alto nível e executivos de empresas...

USA, Covid-19

Continuar a ler

  • Criado em .
  • Visualizações: 52

Publicações mais recentes

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
Aqui ainda não existem atividades