• Início
  • Artigos
  • Cascais
  • Condutor com 100 anos e mulher com 90 anos feridos em colisão na Galiza

Cascais paga à Scotturb quase 12 milhões para não deixar utentes apeados

Comentário à seguinte notícia:

Nós (com os nossos impostos municipais) vamos pagar 12 Milhões de euros à Scotturb para 'remediar' as politiquices e a incompetência dos dirigentes da Câmara e para alimentar a 'esperteza' rentista da Scotturb.

Lamentavelmente, prosseguindo na sua "oposição construtiva" o PS-Cascais continua a apresentar-se como a "bengala" sempre disponível para apoiar a maioria absoluta do PSD/CDS de Carlos Carreiras. Colando-se à pseudo-justificação desta, que vai pagar 12 Milhões (retirados aos contribuintes) com a desculpa de obstar a eventuais prejuízos aos utentes, o PS local deixa-se 'embrulhatr' numa inqualificável situação de delapidação dos dinheiros públicos.

No 'pântano' da política cascalenses os munícipes pagam todos os desvarios, festarolas, caciquismos e despesismos. Há quem aproveite...

______________________________________________________________________________________________________________________________

                       01 outubro 2019
Por ter impugnado para o Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra, em processo que ainda decorre, o concurso público internacional, no ano passado, em que perdeu a favor da espanhola Martin, SA, a operadora de transportes de passageiros Scotturb vai arrecadar quase 12 milhões de euros, pagos pelo município de Cascais, para que não deixe “apeados” os milhares de utentes a partir do início de dezembro.
A decisão do executivo, aprovada pela maioria PSD/CDS-PP, com a abstenção dos vereadores do PS e contra do vereador da CDU, na reunião extraordinária que teve lugar no dia 24 de setembro, irá permitir à Scotturb arrecadar por ajuste direto € 11.905.920,00 (onze milhões novecentos e cinco mil novecentos e vinte euros), a liquidar em três tranches.
 
Luís Miguel Reis (PS)
Para o vereador do PS e presidente da Concelhia de Cascais, Luís Miguel Reis, “o ajuste direto foi mal conduzido e, porventura uma precipitação, atendendo, por um lado que será mais dispendioso e, por outro, porque o Governo Central prepara-se para legislar no sentido de manter, ao nível da Área Metropolitana de Lisboa, os atuais vínculos contratuais com as operadoras de transporte público até que a situação do concurso internacional esteja resolvida".
Luís Miguel Reis, no entanto, não deixou de sublinhar a Cascais24 que “esta matéria é muito complexa, tem sido alvo de análise e discussão” e lamentou “a posição que a Câmara de Cascais tem assumido, ao criar-se, isoladamente, como autoridade municipal de transporte público”. 
Porém, salvaguardou que “a abstenção do PS visa garantir que a partir do próximo mês de dezembro os munícipes de Cascais não fiquem privados do serviço público de transporte rodoviário”.
Já para o vereador da CDU, Clemente Alves, que votou contra, “o prolongamento do contrato de exploração do transporte coletivo rodoviário em Cascais e o exemplo mais elucidativo daquilo que a CDU sempre afirmou acerca das consequências que iriam recair sobre Cascais em virtude da politica da coligação PSD e CDS e de Carlos Carreiras, que para se mostrar melhor e mais capaz que todas as outras Câmaras da Área Metropolitana de Lisboa decidiu promover um concurso isolado dos demais municípios, cometendo graves faltas que justificaram a impugnação judicial do processo por parte da Scotturb.
Clemente Alves (CDU)
 
Em declarações a Cascais24, o vereador comunista reforçou que a Scotturb é uma “empresa que, paradoxalmente, vê prolongado 'ad eternum' o contrato de exploração, com custos financeiros tremendos para os munícipes de Cascais, que são quem paga a factura da vaidade e da incompetência de Carlos Carreiras, do PSD e do CDS”.
 

Maioria justifica-se 

Já o chamado governo local de Cascais, de maioria PSD/CDS-PP, sustenta que, “tendo presente a suspensão dos efeitos do ato de adjudicação do concurso público internacional, acrescido do tempo necessário para a entrada em vigor da nova operação resultante desse concurso [celebração do contrato, fiscalização prévia do Tribunal de Contas e decurso do prazo de Período Transitório proposto pelo adjudicatário (8 meses), tornou-se patente a inviabilidade de a nova operação poder estar em curso após 3 de dezembro de 2019, data em que, nos termos da Lei n.º 52/2015, de 9 de junho, caducarão as autorizações provisórias concedidas ao principal operador de serviço público no concelho de Cascais”.

Para o município, “esta situação configura, objetivamente, um risco eminente de rutura na prestação dos serviços de transporte público rodoviário de passageiros no concelho de Cascais o que traria graves prejuízos ao interesse público, designadamente ao nível do bem-estar da população que diariamente se socorre e carece de usar o transporte público para assegurar a sua mobilidade assim como todos os consequentes prejuízos sociais, ambientais e económicos que uma suspensão alargada no tempo da prestação do serviço de transporte público sempre acarreta”.
Ajuste direto 
De acordo com a Câmara de Cascais, foi realizada uma “consulta preliminar ao mercado, de modo a apurar preliminarmente preços estimados por quilómetro que cobrissem uma operação fundamentalmente idêntica àquela que está a ser levada a cabo no âmbito municipal pelo operador privado em termos de linhas e de horários, com um prazo mínimo de operação de 6 a 8 meses e um máximo de 2 anos.
A opção foi dada à Scotturb por ajuste direto. No entanto, “a rede agora a contratualizar com carácter provisório e transitório é constituída pelas atuais 23 linhas municipais operadas pela Scotturb, sendo exigida uma frota no mínimo composta por veículos Euro V – que é ambientalmente melhor do que a operada atualmente pela Scotturb (que opera ainda com veículos Euro III e IV)”, assegura o governo local de Cascais, segundo o qual “o modelo contratual de operação será muito semelhante ao da futura operação que resultará do concurso público internacional”.
Noticia relacionada 
 
 

Ver o original em "CASCAIS24" na seguinte ligação::

https://www.cascais24.pt/p/blog-page_610.html

Artigos relacionados

FAA assume erro em certificar Boeing 737 Max
FAA assume erro em certificar Boeing 737 Max © REUTERS / Jason Redmond O chefe da Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA admitiu ter errado ao pe... 34 views Thu, 12 Dec 2019, 18:33:08
Cargas e descargas não são tarefa dos motoristas
Cargas e descargas não são tarefa dos motoristas No âmbito das negociações sobre as condições de trabalho dos motoristas de pesados, assinou-se um acordo que clarifica... 38 views Mon, 09 Dec 2019, 14:57:29
Liberalização do transporte rodoviário vai isolar (ainda mais) o Inter...
Liberalização do transporte rodoviário vai isolar (ainda mais) o Inter... O presidente da Antrop e administrador do grupo Barraqueiro admite que os operadores de transporte rodoviário «express... 82 views Mon, 09 Dec 2019, 14:08:30
Negociações na CP aguardam proposta salarial do Governo
Negociações na CP aguardam proposta salarial do Governo Prosseguem as negociações entre sindicatos e governo/administração da CP para um novo acordo de empresa. Matérias não ... 35 views Sun, 01 Dec 2019, 14:09:11
AML vai aumentar oferta de autocarros em 40%
AML vai aumentar oferta de autocarros em 40% O investimento, «sem paralelo», resulta do trabalho desenvolvido durante cerca de dois anos pelos municípios da Área M... 9 views Sun, 01 Dec 2019, 14:01:10
CP assegura 900 milhões do Estado até 2030
CP assegura 900 milhões do Estado até 2030 Miguel A. Lopes / Lusa   A CP garante que começará a cumprir as metas de regularidade e conforto fixadas ... 35 views Sun, 01 Dec 2019, 13:43:38

Transportes

  • Criado em .
  • Visualizações: 186

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Últimos posts

Itens com Pin
Atividades Recentes
  • Vasco Graça updated his profile
    Publicação sobre moderação
    Item de fluxo publicado com sucesso. Item passa a ser visível no seu fluxo.
Aqui ainda não existem atividades
LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.
 

SSL Certificate
SSL Certificate