EDITORIAL. Na defesa da honra de Cascais24 e dos seus colaboradores

EDITORIAL. Na defesa da honra de Cascais24 e dos seus colaboradores
                                                                                        01 abril 2019
Cascais24 assume-se, desde que foi fundado, há cinco anos, como um jornal digital isento, pluralista e independente, que pratica um jornalismo de proximidade com os cidadãos, neste caso os cascalenses. Não tem apoios e/ou é sustentado ou, sequer, está colado, como alguns pseudo e críticos “democratas” têm procurado fazer crer, através de comentários públicos e não só, a este ou àquele partido. Infelizmente, praticar jornalismo independente em Cascais e/ou exercer o livre exercício do Jornalismo é uma missão cada vez mais difícil neste concelho!

Vem esta nota a propósito de alguns comentários relativamente a notícias publicadas por Cascais24 sobre a lamentável “guerra” instalada entre órgãos sociais na Associação Humanitária dos Bombeiros de Parede “Amadeu Duarte”. Cascais24 não sabe, nem quer saber, quem tem razão e acha mesmo que uma instituição, quase secular, como é o caso, devia merecer por parte de todos os intervenientes no polémico processo bom senso e maior respeito.

Até ao momento, Cascais24 tem procurado, como é seu dever perante o código e as regras do jornalismo, noticiar factos. Isso mesmo é perfeitamente visível nas notícias publicadas! E só não vê quem não quer mesmo ver e, antes, opta por distorcer e, mais uma vez, com maledicência, procura denegrir a imagem de Cascais24! Se publicar as posições das partes envolvidas é ser sectário e/ou estar ao serviço de esta ou aquela parte, então estamos perante uma gravíssima “doença” que afetará alguns cidadãos pseudo “democratas”.

Insinuam alguns comentários, o que é grave, que basta ver a lista de colaboradores que opinam em Cascais24 para constatar que este jornal não está a ser isento e, até, lança noticias “falsas”. Só por aqui é notória a intenção! Pois, meus caros, convém, de uma vez por todas, que fique claro que nem a Dra Teresa Gago, Vasco Graça ou qualquer outro colaborador, que honram Cascais24 com as suas opiniões, alguma vez, independentemente dos processos cívicos e de cidadania ou outros em que possam estar envolvidos, tenham pedido um único favor que fosse para uma notícia e/ou pressionado a isso! Definitivamente, que fique bem claro e não restem dúvidas!

Antes de todo o processo nos Bombeiros de Parede surgir na praça pública, Cascais24 rececionou informação e o seu fundador, proprietário e diretor, optou, prudentemente, por não trazer para a opinião pública uma questão de guerras internas que só colocariam em causa a imagem e o bom nome de uma instituição, que merece todo o respeito e admiração dos cascalenses. Tinha a esperança de que a estabilidade e a normalidade para bombeiros e funcionários pudessem regressar, mas enganei-me.

E, foi com surpresa, que Cascais24 viu a transmissão de uma reportagem em certo canal televisivo, esse sim, sensacionalista e que não cumpriu as mais elementares e básicas regras do jornalismo, na qual só era dada voz a uma parte! É caso para questionar: Onde estavam os pseudo críticos “democratas” que agora veem acusar Cascais24, quando, na realidade, é o único que cumpriu com os seus deveres de ética e perante os seus milhares de leitores?

Leiam as notícias, do primeiro ao último parágrafo, reflitam (se puderem, embora se me afigure uma tarefa algo difícil para aqueles que usam "palas“) e só depois comentem!
Valdemar Pinheiro
(Jornalista CP376A)
Diretor

Ver o original em "CASCAIS24" na seguinte ligação::

http://www.cascais24.pt/p/blog-page_388.html

Para estar informado(a)

Registo para receber a informação da Plataforma Cascais

captcha