• Inicio
  • Artigos
  • Portugal
  • Presidência da UE. Portugal quer salário mínimo europeu que permita “vida digna”

Presidência da UE. Portugal quer salário mínimo europeu que permita “vida digna”

Escreva um comentário

António Cotrim / Lusa

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho

Portugal procurará obter uma orientação geral sobre a diretiva dos salários mínimos adequados que “permita apoiar uma vida digna” para os trabalhadores europeus, anunciou esta segunda-feira a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

 

Ana Mendes Godinho falava à entrada para o conselho informal dos ministros da União Europeia (UE) do Emprego, Política Social, Saúde e Consumidores, que decorre por videoconferência e ao qual preside juntamente com a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

O conselho tem como objetivo principal debater o plano de ação do Pilar Europeu dos Direitos Sociais, que será apresentado pela Comissão Europeia em março e que é uma das prioridades da presidência portuguesa do Conselho da UE.

O salário mínimo europeu é um dos instrumentos do futuro plano de ação, um programa com medidas concretas para executar o Pilar Social Europeu, que Portugal quer ver aprovado na Cimeira Social de 7 e 8 de maio, no Porto.

Os direitos da criança também estarão “no centro” deste encontro, visando adotar uma garantia para a infância.

No final dos trabalhos, nos quais participam os comissários Nicolas Schmit (Emprego e Direitos Sociais) e Helena Dalli (Igualdade), haverá uma conferência de imprensa conjunta das ministras portuguesas e destes dois membros da Comissão Europeia.

Portugal anuncia plataforma europeia sobre sem-abrigo

A presidência portuguesa do Conselho da União Europeia vai lançar, em junho, uma plataforma europeia sobre pessoas em situação de sem-abrigo, anunciou ainda a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Em entrevista à Lusa, via zoom, a propósito da videoconferência informal dos ministros responsáveis pelas pastas de Emprego, Política Social, Saúde e Consumidores (EPSCO), que se realiza, Ana Mendes Godinho avançou que a plataforma tem como objetivo detetar os instrumentos a nível europeu que “permitam mobilizar recursos e encontrar soluções para as pessoas que estão em situação mais vulnerável”.

A iniciativa da presidência portuguesa, que decorre até 30 de junho, “será tomada pela primeira vez” e insere-se no combate à pobreza e à exclusão social, um dos principais eixos do pilar social europeu. Ana Mendes Godinho adiantou que o Governo está a “ultimar o lançamento de uma plataforma nacional para passar a ter a identificação e o acompanhamento das situações [da população sem-abrigo] em tempo real”.

O executivo não dispõe de dados sobre esta população relativos a 2021 e os de 2020 estão a ser ultimados por parte dos núcleos de acompanhamento local, disse a ministra.

A plataforma que será lançada em junho, adiantou, pretende fazer o retrato europeu da população sem-abrigo, que “não existe”, e permitir uma partilha dos instrumentos usados em todos os Estados-membros da UE, “para encontrar respostas mais eficazes” que respondam de forma “integrada” às “várias dimensões” das pessoas em situação de sem-abrigo.

Numa resolução adotada em novembro do ano passado, o Parlamento Europeu apelou à UE e aos seus Estados-membros para que acabem com a situação de sem-abrigo até 2030. Os eurodeputados defenderam um quadro europeu de estratégias nacionais e apelaram aos países da UE para descriminalizarem os sem-abrigo e continuarem a financiar a resolução do problema.

Recordando que a habitação é um direito humano fundamental, o Parlamento Europeu estima que, todas as noites, mais de 700 mil pessoas dormem nas ruas na Europa, um aumento de 70% nos últimos dez anos.

Sob o lema “Um futuro com empregos, Empregos para o futuro de uma Europa Social Forte”, a videoconferência informal dos EPSCO é co-organizada pelos Ministérios da Presidência e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e contará com as participações da Organização Internacional do Trabalho e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

Em debate estarão três áreas-chave do plano de ação para um Pilar Europeu dos Direitos Sociais: apoio ao emprego, qualificação e formação de adultos e combate à pobreza e à exclusão social. Na “agenda ambiciosa” da presidência portuguesa para a área social constam ainda o “lançamento da recomendação da garantia para a infância e a nova estratégia europeia relativa às pessoas com deficiência”, acrescentou a ministra do Trabalho.

A UE deve comprometer-se “cada vez mais com o reforço do seu modelo social europeu e com respostas concretas para os cidadãos”, defendeu.

 
 

Ver a publicação original em 'ZAP.aeiou' na seguinte ligação:

https://zap.aeiou.pt/portugal-salario-minimo-europeu-382332

Artigos relacionados

União Europeia prorroga por mais 1 ano sanções contra Bielorrússia
União Europeia prorroga por mais 1 ano sanções contra Bielorrússia     © AP Photo A União Europeia (UE) prorrogou nesta quinta-feira (25) por mais um ano, até 28 de fevereiro de 2022, as sanções impostas contra funcionários do alto escalão d... 7 views Thu, 25 Feb 2021,
Motoristas: posição sindical conjunta obtém ganhos
Motoristas: posição sindical conjunta obtém ganhos Estruturas sindicais dos motoristas (Fectrans, SIMM e SNMMP) congratularam-se com a decisão relativa ao Acordo Quadro sobre Cargas e Descargas. Motoristas contestam as más condições de trabalho no sector, como os ba... 11 views Sun, 21 Feb 2021,
Direito ao descanso nas IPSS
Direito ao descanso nas IPSS Em comunicado, o Governo Regional dos Açores afirma que não haverá tolerância de ponto na terça-feira de Carnaval, à revelia do CTT. Em Sesimbra, está a ser posto em causa o direito ao descanso. Manifestação dos tra... 25 views Fri, 12 Feb 2021,
Um grande negócio para as grandes empresas farmacêuticas
Um grande negócio para as grandes empresas farmacêuticas   «Dinheiros públicos, vacinas privadas: as razões da produção a conta-gotas» é um texto de José Gusmão, Moisés Ferreira e Bruno Mais, hoje conhecido no «Público», e que merece pertinente atenção. Porque denuncia... 27 views Sun, 07 Feb 2021,
Portugal está em 10.º lugar na tabela dos salários mínimos da UE
Portugal está em 10.º lugar na tabela dos salários mínimos da UE (CC0/PD) Pexels   O salário mínimo bruto variava, em janeiro, nos 21 Estados-membros da União Europeia (UE) onde vigora, entre os 332 euros na Bulgária e os 2.202 euros no Luxemburgo, com Portugal em 10.º ... 25 views Fri, 05 Feb 2021,
Sete sindicatos afastam-se das negociações para acordo de emergência na TAP
Sete sindicatos afastam-se das negociações para acordo de emergência na TAP Aero Icarus / Flickr   Sete dos 12 sindicatos de trabalhadores da TAP que estão a discutir o acordo coletivo de emergência com a companhia aérea e o Governo terminaram as negociações sem entendimento. &nb... 19 views Thu, 04 Feb 2021,

Trabalho, União Europeia

  • Criado em .
  • Visualizações: 18
Say something here...
Cancel
symbols left.
Log in with ( Sign Up ? )
or post as a guest
Loading comment... The comment will be refreshed after 00:00.

Be the first to comment.

LOGO4 vert01
A Plataforma Cascais - movimento cívico é um grupo aberto de cidadãos, autónomo de quaisquer interesses económicos, religiosos ou partidários.
Todas as publicações deste site refletem apenas as opiniões dos seus autores e não responsabilizam a PC-mc
exceto quando expressamente assinadas por esta.