Fogos em Portugal: Desastre terreno e aéreo que custa muitos milhões

Se vem aqui rebuscando apontamentos e acontecimentos relacionados com as ditas Eleições Europeias desiluda-se, não daremos para esse “peditório”. Haverá os que argumentarão que decidimos mal porque a direita avança por toda a UE e também em Portugal. Não analisamos assim. 

Ao longo de décadas vimos a direita fascizante representada na Europa e também em Portugal, só que de ano para ano estão mais descarados(as) e dão asas à sua ideologia porque nem sequer os consideram fascistas mas sim neoliberais. Mas fascistas é o que eles(as) são e é aquilo que perseguem e tudo fazem para impor. Na Europa e no mundo. Pronto, lamentamos que não o possamos servir mas sobre “europeia” de campanha rasca, subterrânea e de esgoto não faremos nem uma referência a partir de agora, nem sabemos se votaremos nessas (mal)ditas cujas alcateias de políticos do tipo chulos do Cais do Sodré de antanho demonstram com garbo as suas baixezas e trampas que comportam nos cérebros e nas línguas…
Fogos. Temos de referenciar algo muito mais importante para Portugal e para os portugueses. A hecatombe de Pedrógão e lugares próximos e semelhantes, assim como a serra algarvia de Monchique, por exemplo, estão vivas nas nossas memórias. Foram e são os fogos. Também a maioria de semblantes espantados cabem neste cardápio de catástrofes quando assistimos à “guerra” de políticos sabujos que fizeram cortes cegos na segurança contra fogos e que agora se armam em prostitutas sérias e descascam no atual governo, deixando para trás as responsabilidades que têm em imensas falhas que deram e darão lugar a catástrofes maiores e menores. 


Não que o atual governo seja exemplar nesse e noutros setores, não é. Perito na impecabilidade foi e é a entregar milhares de milhões à banca. Nisso é que todos os governos do bloco central e ilhargas apostaram e têm sido competentíssimos. O de Costa também aplica a mesma “escola”… mas diz-se de esquerda. E existem imensos papalvos a acreditar nisso. Provavelmente até Costa acredita nisso quando se olha pela manhã ao espelho, apesar de sabermos que quem se governa em Portugal são as grandes corporações e certos e incertos “filhotes” do espectro político-partidário que mantém vivaço o tal bloco central, amigo de uns quantos a fazerem fortunas, em prejuízos das populações, dos trabalhadores, do povo ou ralé que é a sustentação deste país e desses tais dignos personagens do tipo chulos do Cais do Sodré.
E é disso que a talhe de foice vamos pôr a lavrar seguidamente. Notícia da Lusa na TSF, sobre meios aéreos… Falta dizer que aquilo é um grande negócio e que amiúde se ouve palrar sobre incêndios inesperados que surgem após passagens de aviões e outras “aves” que voam. Não custa acreditar se olharmos para o panorama de vigaristas e criminosos que nos assolam com esquemas que só depois de desmascarados nos permite cair de quatro na realidade…
As elites em Portugal e pela UE estão podres, purificá-las só se arderem. Como as matas, como as florestas, como os animais apanhados nos fogos, as casas, as pessoas.
Fogos em Portugal pela canícula são um permanente desastre terreno e aéreo… mas a alguns dará milhões. Pelo menos milhares, se forem muitos os “premiados”. Que ardam também. E neste termo "arder" queremos dizer realmente que desapareçam.
Redação PG
Incêndios: Só 21 dos 38 meios aéreos previstos estão disponíveis este mês
No dia em que o risco de incêndioaumenta consideravelmente, o Governo assumiu não ter todos os meios aéreos que estavam planeados. O número total de aeronaves previstas estará apenas preparado em junho, segundo estimativas do Governo
O dispositivo de combate a incêndios deste ano prevê 38 meios aéreos disponíveis a partir desta quarta-feira, mas só 21 vão estar operacionais. O Governo estima que em junho todos os meios aéreos estarão aptos para utilização.
À TSF, o Ministério da Defesa assumiu que há 35 meios aéreos adicionais e ainda três helicópteros do Estado, que dependem do aval do Tribunal de Contas. No entanto, o Executivo salientou que, de 15 de maio de 2018 para o mesmo dia deste ano, há mais 13 aeronaves à disposição.

A Diretiva Operacional Nacional, que estabelece o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para este ano, indicava que a fase de reforço de meios "nível II", que decorre até 31 de maio, teria disponível 38 meios aéreos, inclusive um helicóptero da Força Aérea, que será ativado em caso de necessidade para coordenação aérea.

No entanto, faltam 17 aeronaves, cuja disponibilização "depende do cumprimento do Código dos Contratos Públicos e da emissão do visto prévio do Tribunal de Contas para cada um dos contratos", disse à agência Lusa fonte do Ministério da Defesa Nacional (MDN), e sustentou que existe "a expectativa de que os meios aéreos possam estar disponíveis o mais rapidamente possível".

A mesma fonte precisou que a partir desta quarta-feira estão disponíveis 20 meios aéreos, cujos contratos de aluguer foram feitos em 2018, pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, e que se prolongam até este ano, a que se adiciona o helicóptero da Força Aérea, num total de 21.

A fonte do MDN adiantou que estão ainda operacionais outros dois meios aéreos alocados em 2018, mas o contrato só permite que fiquem disponíveis a partir de 1 de junho.

Os meios aéreos que estão dependentes do cumprimento do Código dos Contratos Públicos e da emissão do visto prévio do Tribunal de Contas são os três helicópteros ligeiros do Estado e as 35 aeronaves adicionais alugadas este ano.

Segundo o MDN, o contrato plurianual (2019-2022) relativo aos três helicópteros do Estado foi assinado a 16 de abril, e enviado ao Tribunal de Contas a 22 do mesmo mês, quando se iniciou a execução do contrato "logo após a emissão do visto, estimando-se que aconteça em junho".

O Ministério da Defesa Nacional adianta que os contratos dos 35 meios aéreos alugados este ano, cujo contrato se estende até 2021, e que vão integrar o DECIR, devem ser enviados esta quarta-feira para o Tribunal de Contas.

A mesma fonte esclareceu que os procedimentos para a locação dos 35 meios aéreos adicionais terminaram dentro dos prazos inicialmente previstos, sendo que nenhum dos nove lotes a concurso ficou deserto.

"De acordo com o Código dos Contratos Públicos, terminou na semana passada o período para a apresentação dos documentos de habilitação e o envio das garantias bancárias para os contratos referentes a cada um dos noves lotes", referiu.

O MDN frisou que "a execução dos contratos inicia-se logo após a emissão de cada um dos vistos, estimando-se que estejam igualmente disponíveis em junho".

O Governo espera que, "gradualmente, e, a partir de junho, estejam disponíveis e operacionais todos os meios aéreos previstos no DECIR 2019", além de garantir que "tomará todas as medidas ao seu alcance para que haja meios suficientes e prontos para atuar quando necessário".

O dispositivo de combate a incêndios conta este ano com 61 meios aéreos, inclusive um helicóptero para Madeira, mais cinco do que em 2018.

Este ano, a Força Aérea assume pela primeira vez a gestão e o comando dos meios aéreos de combate a incêndios rurais.

O Ministério da Defesa Nacional referiu ainda que a locação dos meios aéreos adicionais para o DECIR de 2019 corresponde, na íntegra, à proposta apresentada pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, e que é o ano com "o maior dispositivo" de aeronaves de combate a incêndios".

TSF com Lusa

 

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2019/05/fogos-em-portugal-desastre-terreno-e.html

Artigos relacionados

Portugal | Governo rejeita indemnização a família de vítima dos incênd...
Portugal | Governo rejeita indemnização a família de vítima dos incênd... Avelino Ferreira morreu no dia 7 de outubro enquanto manejava uma máquina de combate a incêndios. Secretário de ... 39 views Sun, 12 May 2019, 09:43:10
"Estamos a morrer aos poucos." Seis meses após o fogo, ainda nenhuma c...
"Estamos a morrer aos poucos." Seis meses após o fogo, ainda nenhuma c... Passados seis meses do incêndio que durante mais de uma semana destruiu casas e floresta no concelho de Monchiqu... 13 views Fri, 01 Feb 2019, 16:03:58
Orgulho ou vidas humanas: por que EUA não compram aviões russos para l...
Orgulho ou vidas humanas: por que EUA não compram aviões russos para l... CC BY 2.0 / Pavel Vanka Todos os anos, os EUA sofrem múltiplos incêndios florestais, mas os aviões usados pa... 21 views Mon, 12 Nov 2018, 15:58:46
Promotores imobiliários explicam ação contra Cascais, Estado e ...
Promotores imobiliários explicam ação contra Cascais, Estado e ... Claro, às vezes há coincidências... Afinal o  que querem é que a Câmara (com os nossos impostos) exproprie «com ... 109 views Fri, 12 Oct 2018, 14:09:22
Dois promotores imobiliários põem ação contra Cascais e Turismo ...
Dois promotores imobiliários põem ação contra Cascais e Turismo ... Tão estranho?! Mas estes terrenos não estavam protegidos da construção ? Então agora querem que paguemos por ter ardi... 66 views Thu, 11 Oct 2018, 16:54:28
Terrenos à venda horas após ser apagado o incêndio de Cascais
Terrenos à venda horas após ser apagado o incêndio de Cascais Estranho!A proibição de construção em terrenos ardidos existe há muitos anos em Cascais. Será que tinha caducado para qu... 1531 views Wed, 10 Oct 2018, 16:16:14

Incêndios

  • Criado em .
  • Visualizações: 37
Participe na Rede

Para estar informado(a)

Registo para receber a informação da Plataforma Cascais

captcha