• Ladrões de Bicicletas (João Ramos de Almeida)
  • Portugal

Silêncios interesseiros

Filme: "Este país não é para velhos", Cohen
Se há uma coisa boa que teve a anunciada "crise" governamental foi ter gerado o silêncio de Marcelo. Marcelo diz que esteve mais de uma semana calado porque "tudo o que dissesse limitava a liberdade". A sua liberdade de decisão quanto ao eventual diploma sobre o tempo de serviço dos professores. Na verdade, Marcelo esteve fortemente envolvido no tema da "crise" quando - fruto do seu destempero e hiper-actividade inconstitucional, que o faz sentir-se invulnerável - pressionou o governo a negociar mais com os sindicatos. E quando a "crise" rebentou, atingiu-o em cheio no peito. Por isso, Marcelo quis ficar quieto, fingindo-se morto, antes que tudo lhe caísse em cima, como caiu em cima de Rui Rio e de Assunção Cristas. Cristas falou e perdeu. Rui Rio tentou o silêncio, mas não conseguiu. Marcelo hibernou e a coisa passou. Agora, com o tema do SIRESP e sobre a possibilidade de nacionalização ou de aquisição por parte do Estado de posição majoritária no seu capital, Marcelo mantém-se igualmente calado. E diz que não fala por ser... um processo em curso e sensível. Na verdade, trata-se de um tema que lhe é caro - os incêndios - e sobre o qual Marcelo interveio tanto e tão repetidamente... Mas há bem pouco tempo, Marcelo fartou-se de intervir - e mal! - sobre a Lei de Bases da Saúde e, esse também, era "um processo em curso e sensível". Noutro tema - sobre a contratação pública de familiares - até interveio raiando a inconstitucionalidade, quando quis propor leis ao governo sobre o seu gabinete! Qual é o critério?  Eis a resposta dada por Marcelo Rebelo de Sousa:
“Quem intervém muitas vezes, não intervém por uma mania, por um estilo, por uma obsessão. Intervém por uma necessidade, e quando entende que a necessidade impõe estar calado uma semana, duas semanas, três semanas, tão depressa está calado como fala todos os dias”, explicou o chefe de Estado. E num ano marcado por três eleições Marcelo Rebelo de Sousa avisa: “Os portugueses têm de se habituar” porque o silêncio “pode repetir-se”.
Pois claro que pode! Agora só falta esclarecer qual foi a "necessidade" de intervir tantas vezes sobre a Lei de Bases da Saúde e a "necessidade" de nada dizer sobre SIRESP ou sobre os múltiplos casos laborais que lhe batem à porta e aos quais Marcelo se esquiva a dizer uma palavra. E qual a "necessidade"de, ao mesmo tempo, lhe ser tão fácil telefonar às apresentadoras Cristina Ferreira e Fátima Lopes, se não será mais esta faceta populista de um Presidente que condena os populismos... Resta a esperança de que Marcelo tenha retirado a ilação "necessária": a sua intervenção não deve entroncar na estratégia política de certas formações e interesses. E muito menos ter um papel inconstitucional de intervir no sentido de alterar os "processos em curso" de elaboração das leis. Nem que seja porque há momentos em que o podem matar politicamente.

Ver original em 'Ladrões de Bicicletas' (aqui)

Artigos relacionados

És populista e não sabias?
És populista e não sabias? Os novos liberais gostam de frases ousadas, que dêem visibilidade. Depois de já ter afirmado, num rasgo de notável persp... 25 views Sun, 05 May 2019, 10:31:30
Tricas menores, mas a que convém estar atento!
Tricas menores, mas a que convém estar atento! Esta comemoração da Revolução de Abril trouxe duas tricas, que não valem mais do que isso! , embora denunciem a pe... 50 views Thu, 25 Apr 2019, 11:11:07
Quem quer casar com o agricultor?
Quem quer casar com o agricultor? (Por Estátua de Sal, 23/04/2019) Melo, Cristas e Soares Em tempos idos os fenómenos mais marcantes e inéditos no... 73 views Tue, 23 Apr 2019, 08:47:27
Até amanhã de manhã à hora do pequeno-almoço
Até amanhã de manhã à hora do pequeno-almoço A evolução da vida política está ir de mãos dadas com a indústria de entretenimento. Mede-se pelo impacte mediático.... 43 views Mon, 22 Apr 2019, 23:38:15
Neossindicalismos aparentados a outros neos
Neossindicalismos aparentados a outros neos Se acreditasse em bruxas eu diria que tudo teria começado à beira de um caldeirão com um espírito malfazejo a ... 42 views Thu, 18 Apr 2019, 17:41:18
Portugal | Assombrações a mais!
Portugal | Assombrações a mais! Jorge Rocha* | opinião As últimas semanas têm sido pródigas no regresso de algumas múmias, que julgávamos ... 70 views Wed, 17 Apr 2019, 13:56:18

MRS, Direita

  • Criado em .
  • Visualizações: 37
Participe na Rede

Para estar informado(a)

Registo para receber a informação da Plataforma Cascais

captcha