Portugal | O algoritmo de Costa

Miguel Guedes | Jornal de Notícias | opinião

Silêncio, luta e inveja. E sentido inverso. A crise de nervos que António Costa provocou na oposição à Direita foi o golpe de teatro mais cómico (não fosse trágico) desta legislatura. À memória, uma palavra batida: irrevogável. Só que, desta vez, a dois para dançar o tango. Poder-se-ia dizer que Costa deu baile. Não fosse tudo isto trágico, lá está.

Tragédia, desde logo, para a confiança que qualquer cidadão deve entregar à classe política. Numa altura em que falta apenas um par de semanas para as eleições europeias no contexto de uma Europa desagregada e com a pirâmide invertida, assolada por populismos e fascismos vários, esta chicana política à volta do tempo de serviço dos professores é combustível para os que pensam que não há melhor remédio do que um frasco de veneno. Construímos mais uma ponte para o irremediável, para a falta de crença nos formatos representativos de poder, para a destruição dos últimos alicerces da democracia e da política como ela deve ser entendida. A nobreza foi-se e restam, trôpegas, as danças recreativas de salão.

O algoritmo de António Costa está afinado. No momento em que precisava de afirmar a sua noção de estadista, não só o consegue aos olhos dos incautos, como desterra para o silêncio a primeira figura do Estado. O presidente da República silenciou-se e, também ele, aproveitou para reforçar pela diferença a sua pose de responsabilidade. A "win-win situation" para Costa e Marcelo, à boleia da incoerência desmemoriada de Rui Rio e Assunção Cristas, líderes dos partidos-professores de ruína nos tempos da troika da "PàF", agora inusitadamente de braço dado aos sindicatos que sempre desprezaram.


António Costa simulou a sério a crise que inventou, encostando PSD e CDS ao seu passado histórico e dando um "boost" à campanha europeia de um PS refém de um candidato frágil e de sondagens pouco animadoras, atirando números erráticos para a mesa com centenas de milhares de euros de falibilidade, agitando a bandeira de contas que nem seriam para esta legislatura e dependeriam sempre de negociação. E fê-lo com a certeza de, ainda assim, ser inteiramente compreendido. O algoritmo de Costa sabia bem que não jogava com a luta de classes mas com a inveja. Nenhuma classe profissional toleraria (como desde logo se viu pelas reivindicações de outros sectores da Administração Pública) que os professores começassem a ganhar uma luta que é de todos. Um país com dor de cotovelo também não.

Sabendo que nem BE nem PCP estão interessados em coligações negativas, António Costa sabia que ganhava pela cobiça e nervosismo dos outros. Era evidente que a oposição à Direita tentara dar um salto maior do que a perna, desprezando o algoritmo do primeiro-ministro. Composição e alquimia. As pessoas não são assim tão fascinadas pela pureza das contas públicas apesar de já terem sofrido que chegue à conta delas. O que não suportam mesmo é ver o vizinho a chegar primeiro à meta que é de todos.

* Músico e advogado

O autor escreve segundo a antiga ortografia

Ver o original em 'Página Global' na seguinte ligação:

https://paginaglobal.blogspot.com/2019/05/portugal-o-algoritmo-de-costa.html

Tags:

Artigos relacionados

O estado da Nação
O estado da Nação O estado da Nação que importa à cidadania discutir flete para variáveis que por vezes escapam ao domínio e conheci... 37 views Mon, 15 Jul 2019, 10:33:47
Estado da Nação: que País temos?
Estado da Nação: que País temos? Em dia de debate do Estado da Nação, o AbrilAbril faz a retrospectiva da legislatura em áreas fundamentais, como a Saú... 37 views Wed, 10 Jul 2019, 16:13:19
Inconsistências (ou o sono da razão?)
Inconsistências (ou o sono da razão?) A palavra é tão difícil de pronunciar como o conceito de apreender. A e não-A não podem ser ambos verdadeiros; se A im... 45 views Fri, 05 Jul 2019, 15:49:11
Ministra da Cultura quer baixar salários para que haja «igualdade» na ...
Ministra da Cultura quer baixar salários para que haja «igualdade» na ... Chamada à Comissão da Cultura, Graça Fonseca mantém a intransigência do Governo em relação aos trabalhadores do OPART.... 45 views Wed, 03 Jul 2019, 17:05:02
«Eferreá» em torno do défice esconde investimento público negativo
«Eferreá» em torno do défice esconde investimento público negativo O ministro das Finanças, Mário Centeno, fez o balanço da legislatura, assumindo que «nunca antes tantas contas bateram... 42 views Thu, 27 Jun 2019, 18:25:41
Da geringonça ao dispositivo
Da geringonça ao dispositivo (António Guerreiro, in Público, 10/05/2019) António Guerreiro   AJude a Estátua de Sal. Click aqui &nb... 79 views Fri, 10 May 2019, 19:02:17

Governo

  • Criado em .
  • Visualizações: 93

Comentários (0)

There are no comments posted here yet

Deixe os seus comentários

  1. Posting comment as a guest. Sign up or login to your account.
0 Characters
Anexos (0 / 5)
Share Your Location

Para estar informado(a)

Registo para receber a informação da Plataforma Cascais

captcha