• Início
  • Artigos
  • Cascais
  • Alforrecas invadem praia de S. Pedro do Estoril e obrigam a içar Bandeira Vermelha

Alforrecas invadem praia de S. Pedro do Estoril e obrigam a içar Bandeira Vermelha

Segurança

Por Redação
09 maio 2019
A Bandeira Vermelha está içada, temporariamente, desde terça-feira na praia de S. Pedro do Estoril, devido à deteção de alforrecas, também conhecidas como caravelas portuguesas, mas as autoridades marítimas acreditam que a segurança possa regressar esta sexta-feira.
Pereira da Terra, capitão do Porto e comandante local da Polícia Marítima de Cascais disse, a Cascais24, que a previsão oceano meteorológica aponta para o desaparecimento das alforrecas a partir de amanhã.
Os avisos aos banhistas têm sido feitos pelos nadadores-salvadores, entre o içar da Bandeira Vermelha e Amarela.
Já a Câmara Municipal de Cascais, no seu site oficial, informou que "os nadadores-salvadores da área e praias da jurisdição foram alertados, assim como os respetivos concessionários, para que possam fazer a sensibilização/prevenção local do utentes balneares".
As águas-vivas, também conhecidas como medusas ou alforrecas, são animais gelatinosos que vivem no mar, na coluna de água ou à superfície, e podem ter diferentes tamanhos, formas e cores. Estes animais têm tentáculos que podem libertar um líquido, potencialmente urticante e perigoso. Este veneno serve para paralisar pequenos animais.
O contacto com uma água-viva pode produzir irritação na pele e até queimaduras ou outras reações graves e prejudiciais.
Ao avistar uma alforreca, o banhista deve afastar-se, mas caso sinta uma picada, deve sair rapidamente da água, dirigindo-se de imediato ao nadador-salvador.
Os sintomas da picada são dor forte e sensação de queimadura (calor/ardor) no local e ainda irritação, vermelhidão, inchaço e comichão. Algumas pessoas, especialmente sensíveis às picadas e venenos das águas-vivas, podem ter reações alérgicas graves, como falta de ar, palpitações, cãibras, náuseas, vómitos, febre, desmaios, convulsões, arritmias cardíacas e problemas respiratórios. Nestes casos devem ser encaminhadas de imediato para o serviço de urgência.

Primeiros socorros

No caso de contacto com águas-vivas, deverá ter em conta os seguintes conselhos para prestar os primeiros socorros:
- Não esfregar ou coçar a zona atingida para não espalhar o veneno;
- Não usar água doce, álcool ou amónia;
- Não colocar ligaduras;
- Lavar com cuidado com a própria água do mar;
- Retirar com cuidado os tentáculos da água viva (caso tenham ficados agarrados à pele) utilizando luvas, uma pinça de plástico e soro fisiológico ou água do mar;
- Se possível, aplique bicarbonato de sódio misturado em partes iguais com água do mar;
- Aplicar frio (água do mar gelada ou bolsas de gelo) no local atingido para aliviar a dor (o gelo não pode ser aplicado diretamente na pele, deve ser enrolado num pano);
- Tomar um analgésico para aliviar a dor;
- Aplicar uma camada fina de pomada própria para queimaduras.

Ver o original em "CASCAIS24" na seguinte ligação::

http://www.cascais24.pt/p/blog-page_558.html

  • Criado em .
  • Visualizações: 49
Participe na Rede

Para estar informado(a)

Registo para receber a informação da Plataforma Cascais

captcha